O bicampeonato de 83 como você nunca viu (e nem vai ver de novo)

Memória Fiel

Nostalgia alvinegra que vai além dos jogos, gols e súmulas. Aqui reviramos os arquivos para reencontrar as várias pequenas histórias e detalhes que formam a gigantesca história do Corinthians.

ver detalhes

O bicampeonato de 83 como você nunca viu (e nem vai ver de novo)

Coluna do Juliano Barreto

Opinião de Memória Fiel

1.2 mil visualizações 23 comentários Comunicar erro

Corinthians vence o Campeonato Paulista de 1983

Acervo/Corinthians em Memória

No meio dos anos 1980, com o Brasil ensaiando uma volta à Democracia enquanto ainda era governado por um presidente militar, a TV Cultura de São Paulo teve a coragem de dar espaço a uma geração de jovens jornalistas e profissionais de televisão e cinema que finalmente encontraram alguma liberdade para se expressar --e para testar limites.

Um fruto desse vanguardismo foi o programa “Avesso”, que teve poucas edições e muitas dores de cabeça com os censores para eventualmente conseguir ir ao ar. Talvez por isso, o episódio mostrando os bastidores da final do Campeonato Paulista de 1983 jamais tenha ganho o reconhecimento do grande público. Isso é um absurdo! São 44 minutos obrigatórios para qualquer torcedor corinthiano, não importando a idade, classe social ou ideologia política.

Ao contrário do que seria esperado de uma cobertura esportiva ou de um documentário sobre futebol, a equipe do “Avesso” faz jus ao nome do programa e foca nos detalhes em torno do Morumbi antes de entrar no estádio e seguir buscando personagens e lugares que ninguém está acostumado a mostrar. O jogo em si era apenas um detalhe.

Corinthians vence o Campeonato Paulista de 1983

Acervo/Corinthians em Memória

Torcedores anônimos e totalmente embriagados, vendedores ambulantes, cambistas e outras figuras pitorescas têm total liberdade para dizer o que quiserem; valia gritar, cantar o hino em versão pagode sem saber a letra, declamar poemas e, claro, soltar aquele grito de “Vai Corinthians” vindo do fundo da alma. Se você nunca ouviu as palavras quiçaça, video-rádio e pingão. Chegou a hora!

Isso não quer dizer que o “Avesso” tenha deixado de registrar as lendas que circulavam no futebol paulista dos anos 1980. Osmar Santos, Fernando Solera, Dulcídio Wanderley Boschilia e até o apresentador Raul Gil falam ao microfone do “Avesso” com a mesma liberdade que os torcedores comuns de fora do estádio.

Corinthians vence o Campeonato Paulista de 1983

Reprodução

Sócrates, Zenon, Biro-Biro e Casagrande também respondem perguntas aleatórias e mostram como jogar uma final era algo natural para eles. Em vez de nervosismo, o Corinthians entrou em campo vestindo uma camisa com a frase “A Caminho do Bi” no lugar do patrocinador. Casagrande, entrevistado por um jovem Serginho Groisman, parecia estar mais preocupado com a censura do filme “Nova Onda” do que com a final.

O centroavante atacou de ator no longa que criou uma enorme polêmica por mostrar cenas de consumo de drogas e relações homossexuais. Casagrande até se compara a John Lennon!

E o jogo? Bem, o “Avesso” decidiu ignorar quase a partida toda, escolhendo mostrar imagens de cores estouradas e uma trilha sonora com Kraftwerk para mostrar que, no final das contas, aquilo era quase um game de Atari.

Corinthians vence o Campeonato Paulista de 1983

Acervo/Corinthians em Memória

Ainda assim, eles não conseguiram ignorar o golaço de Sócrates com direito a assistência com passe de calcanhar de Zenon. O tento não foi suficiente para garantir uma vitória, já que o placar terminou 1x1, mas garantiu o bicampeonato ao Timão. Com Leão; Alfinete, Mauro, Juninho e Wladimir; Paulinho, Sócrates e Zenon; Biro-Biro, Casagrande e Eduardo. O time do técnico Jorge Vieira venceu seu segundo campeonato paulista seguido, mas o programa “Avesso” conseguiu com rara felicidade que o Corinthians é muito mais que um time de futebol.

O vídeo completo foi publicado pelo pessoal do Corinthians em Memória - veja abaixo. Gostaria de agradecê-los publicamente por resgatar esse tesouro! Em uma época que o Corinthians se distancia da sua essência dentro e fora de campo, assistir a esse vídeo nos faz reviver o amor incondicional pelo Coringão.

Veja mais em: Democracia Corinthiana.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Juliano Barreto

Por Juliano Barreto

Jornalista, biógrafo, maloqueiro e sofredor. Desde 1993 recorta jornais, revistas e guarda tudo relacionado ao Coringão. Neste blog, vamos tirar a poeira desses arquivos e matar as saudades.

O que você achou do post do Juliano Barreto?

x