7 motivos que fazem Carille ser uma boa supresa

Roberto Gomes Zanin

Jornalista, diretor da RZ Assessoria, Bicampeão do mundo. Não sou ligado a nenhuma corrente política do clube. Quero apenas o melhor para o Timão. Discorde à vontade, mas com o respeito aos irmãos

ver detalhes

7 motivos que fazem Carille ser uma boa supresa

4.6 mil visualizações 63 comentários Comunicar erro

7 motivos que fazem Carille ser uma boa supresa

Treinador deu oportunidade ao garotos e deu uma gelada nos preguiçosos

Foto: Agência Corinthians

Amigos Fieis:

O desfecho da novela “ O Substituto de Oswaldo” decepcionou muita gente. Com a recusa, por motivos de saúde, de Reinaldo Rueda, sem opções no mercado, o Corinthians optou por efetivar Fabio Carille.

Passados três meses, o trabalho dele tem sido, a meu ver, uma boa surpresa. O Corinthians voltou a jogar ao melhor estilo Tite. Defesa sólida, marcação implacável, posse bola, triangulações por ambas as beiradas do campo.

Ainda falta, a meu ver, mais poder de criação e de ataque, mas quem sabe a chegada de um ou dois reforços de qualidade ajude a sanar o problema.

Mas elenco vários pontos positivos no trabalho Carilliano.

  1. Sinceridade

Ao contrário de muitos treinadores que desviam o foco (quase sempre para a arbitragem) quando o time perde ou joga mal, Carille simplesmente diz: “não jogamos bem”. Não ilude a torcida, nem parece preocupado em garantir o emprego. Destaco, também, uma ótima entrevista em que, perguntado sobre a necessidade de Pedrinho ganhar massa muscular, Carille disse: “não precisa. Pedrinho é assim e vai jogar assim”.

  1. Meritocracia

Com ele, não se ganha a posição com nome, cara feia ou mimimi na imprensa. Joga quem estiver melhor e, mais ainda, quem sua o manto em campo.

  1. Banco para os chinelinhos

Sequência do item “2”. Guilherme, Marquinhos Gabriel (mesmo antes da contusão), Marlone e Giovanni Augusto sentiram na pele que quem não ralar, não assume a titularidade.

  1. Chance aos garotos da base

Sequência do item “3”. Nesse quesito, Carille supera até Tite. Vendo a moleza dos chinelinhos e a falta de dinheiro para contratar, o treinador resolveu dar chance para meninos que há muito tempo aguardavam oportunidade, como Arana, Jabá e Maycon; além disso bancou a entrada no time do ótimo Pedrinho, de apenas 18 anos. Não veio com aquele discurso, precisamos ter cautela com o garoto, blá, blá, blá.

  1. Ganhou o respeito do grupo

Mesmo sem ter um nome consagrado, Carille conseguiu, graças à sua competência, fazer com que os jogadores obedeçam em campo as orientações dele (até porque, quem não fizer, sabe que sairá do time).

  1. Espírito de equipe

Mesmo sabendo do respeito que Osmar Loss tem por parte da torcida e da diretoria, Carille fez questão de contar com o conhecimento e competência do ex-treinador multicampeão na base. Muitos em seu lugar ficariam com receio de ser comparado ao auxiliar no caso de possíveis tropeços.

  1. Padrão de jogo

Enfim, Carille deu ao time o que se espera de um técnico: padrão de jogo. Nada de ver aquela bagunça dos tempos de Cristóvão ou de Oswaldo. A maneira como a equipe se posta em campo, compactada e com as linhas bem definidas, demonstram que a equipe é bem treinada. Fiz algumas ressalvas com relação à postura excessivamente cautelosa contra o São Paulo, mas a tendência é que a equipe se solte nos próximos clássicos fora de casa.

Coluna do Roberto Gomes Zanin

Por Roberto Gomes Zanin

Jornalista, diretor da RZ Assessoria de imprensa, bicampeão do mundo. Não sou ligado a nenhuma corrente política do clube. Quero apenas o melhor para o Timão. Discorde à vontade, mas com o respeito.

O que você achou do post do Roberto Zanin?