Sufoco em Mirassol traz dez lições a Tiago Nunes, diretoria e comissão do Corinthians

Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e, por 12 anos, no LANCE!. Neste momento, também é repórter da Rádio 9 de Julho, SP (AM 1600). Participa ainda, quando chamado, de programas na TV.

ver detalhes

Sufoco em Mirassol traz dez lições a Tiago Nunes, diretoria e comissão do Corinthians

Coluna do Rodrigo Vessoni

Opinião de Rodrigo Vessoni

24 mil visualizações 105 comentários Comunicar erro

Sufoco em Mirassol traz dez lições a Tiago Nunes, diretoria e comissão do Corinthians

Richard é um dos pontos destacados na coluna: ainda não está solto

Foto: Reprodução/TV

O Corinthians trouxe um ponto de Mirassol. E tem muito a comemorar, já que Cássio foi o melhor jogador em campo e, se tivesse um vencedor, seria a equipe da casa. Sem dúvida.

Mas nem tudo é péssima notícia após os 90 minutos. Ao menos lições podem ser tiradas desse confronto na cidade de Mirassol. Na minha visão, algumas delas:

1) É preciso tomar cuidado com a parte física dentro de uma pré-temporada. Jogador não é super-herói. A curta recuperação do jogo contra a Botafogo-SP (quinta a domingo), somado aos treinos intensos, derrubou fisicamente o Corinthians após 20 minutos do primeiro tempo;

2) Ainda dentro desse tema, quinta-feira tem a Ponte Preta, em Campinas. Domingo tem o Santos, na Arena. E, na quarta que vem, tem Libertadores (provavelmente no Paraguai, diante do Guaraní). A queda física em Mirassol precisa servir de parâmetro;

3) Richard, apesar do bom jogo diante do Botafogo-SP, ainda não está solto. Claramente joga pressionado por si mesmo, com temor de errar e ser crucificado, de voltar o clima da primeira passagem. Por que não dar uma chance a Gabriel? Nesse caso, Camacho viraria o segundo volante...

4) Lucas Piton tem muita qualidade técnica, que vem desde a época do futsal. Ataca sempre bem, cruza quase sempre bem, dá boas opções ofensivas. Mas, claramente, há uma enorme margem de melhora defensiva. É preciso trabalhar essa parte com ele. Dia a dia;

5) Luan fez quatro jogos pelo Corinthians. Em níveis diferentes de intensidade e atuação. É preciso que o torcedor se acostume a isso. Eu, particularmente, não acredito que o camisa 7 fará uma sequência gigante de grandes jogos. Será decisivo em alguns e ficará sumido em outros. É a minha impressão...;

6) Fagner não pode ficar sem reserva. Não que alguém precise assustar sua titularidade, não é isso. Mas Fagner precisará se preparar melhor fisicamente nesse início de ano. Michel Macedo? Daniel Marcos? Bruno Méndez improvisado? Não sei. Mas alguém precisa jogar para Fagner se cuidar mais;

7) Goleiro precisa jogar com os pés nos dias de hoje. Isso é claro. É assim nos grandes times do mundo. Mas goleiro ainda é... goleiro. Goleiro ainda precisa, antes de tudo, defender com a mão. E, nisso, Cássio é indispensável. Simples assim. Não há outro melhor que ele;

8) Pedro Henrique precisa pensar, sempre, em fazer o fácil. Ao menos até que a confiança do torcedor em seu futebol seja retomada. Não adianta o zagueiro tentar consertar um erro com um grande lance, dando a chance de um segundo erro e ficar marcado. Tem a confiança do treinador para agir assim.

9) Ramiro precisa ser olhado com carinho. O ano, pelo visto, será bem diferente de 2019. O papo de "está esquentando a vaga do Pedrinho" precisa ser repensado. Não estou dizendo que Pedrinho não deva ser titular. Ao contrário. Deve, sim. É apenas um alerta para não ver Ramiro como carta fora do baralho tão facilmente. Janderson talvez?

10) A última das lições é para Tiago Nunes. O Paulistão não é o Paranaense. Como diria Bruno Henrique, é "oto patamar". É preciso sempre colocar uma equipe pronta para competir na parte física, independentemente da qualidade técnica.

Veja mais em: Tiago Nunes, Richard, Cássio, Pedro Henrique, Pedrinho, Lucas Piton, Campeonato Paulista, Ramiro, Luan e Fagner.

Coluna do Rodrigo Vessoni

Por Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e, por 12 anos, no LANCE!. Neste momento, também é repórter da Rádio 9 de Julho, SP (AM 1600). Participa ainda, quando chamado, de programas na TV.

O que você achou do post do Rodrigo Vessoni?