Quem sai por cima? Quem sai arranhado? Rescaldo da eleição do Corinthians em dez pontos

Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e, por 12 anos, no LANCE!. Neste momento, também é repórter da Rádio 9 de Julho, SP (AM 1600). Participa ainda, quando chamado, de programas na TV.

ver detalhes

Quem sai por cima? Quem sai arranhado? Rescaldo da eleição do Corinthians em dez pontos

Coluna do Rodrigo Vessoni

Opinião de Rodrigo Vessoni

21 mil visualizações 183 comentários Comunicar erro

Quem sai por cima? Quem sai arranhado? Rescaldo da eleição do Corinthians em dez pontos

Parque São Jorge viveu mais uma eleição, desta vez, com Duilio Monteiro Alves como presidente eleito

Foto: Rodrigo Vessoni/ Meu Timão

Duilio Monteiro Alves é o novo presidente do Corinthians. O empresário conduzirá o clube no triênio 2021-2023, em meio a um cenário bastante complicado financeira e administrativamente. Há muito o que fazer.

A eleição passou. Mas há um rescaldo. Que vou trazer em dez pontos:

1) Andrés Sanchez

Ocular

Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Andrés Sanchez, que merece ser criticado por inúmeras decisões e erros, mostrou mais uma vez que é um maestro na política corinthiana. Sabe mexer as peças no tabuleiro político do clube como nunca se viu. Para muitos associados, apesar da situação atual do clube, seu carisma parece intacto. Tem o Parque São Jorge nas mãos. Obs: sabe a importância política de figuras como André Negão e Jorge Kalil, os mantém por perto apesar dos desacertos e as dores de cabeça, dando-lhes importância. Em troca, ganha o trabalho silencioso e árduo junto aos associados com direito a voto.

2) Paulo Garcia

Ocular

Rodrigo Vessoni/ Meu Timão

Paulo Garcia saiu arranhado. O empresário fez vazar uma carta em setembro de 2019 que confirmava sua candidatura, o tempo passou e a decisão foi de não entrar no pleito. Tentou emplacar Piovesan como candidato, mas não conseguiu. Então, decidiu apoiar Gobbi, mas um apoio quase envergonhado, sem tanta ênfase nem tão explícito como deveria. A baixa votação em Gobbi dos sócios mais velhos provou que errou tudo que tentou.

3) Augusto Melo

Ocular

Rodrigo Vessoni/ Meu Timão

Augusto Melo não era conhecido antes da eleição. E terminou na frente do presidente que comandou o clube no ano mais mágico da história. Isso não é pouco. Mesmo que fique a dúvida se os votos recebidos foram a seu favor ou contra a dupla Gobbi e Duilio, o empresário saiu enorme dessa votação. Nem mesmo os áudios vazados às vésperas do pleito, que não tiveram a contenção da crise necessária, o deixou abaixo de Gobbi. Perdeu a votação, mas saiu vencedor na eleição.

4) Mário Gobbi

Ocular

Rodrigo Vessoni/ Meu Timão

Mario Gobbi era o favorito da torcida nas pesquisas de Internet. Seu histórico vitorioso segue no subconsciente do torcedor. Mas há um mundo diferente no Corinthians, o mundo do Parque São Jorge. E ele precisa entender que, se não tiver presente, se não tiver contato com quem vota, jamais terá chance. Vai precisar abrir um diálogo maior com quem vive o Parque São Jorge. E abrir esse diálogo é vivenciar o clube. Saiu arranhado da eleição por ter tido menos voto do que um candidato que sequer era conhecido da torcida do Corinthians.

5) Impaciência e desconfiança da Fiel

Ocular

Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Apoiado por Duilio e por sócios e conselheiros que sabem como trabalhar diariamente no Parque São Jorge, Duilio se elegeu. Mas a vitória foi do muro para dentro do clube. Do lado de fora há milhões e milhões de torcedores que, em sua maioria, estão sem paciência e não gostaram de seu triunfo. Isso está claro nas redes sociais. Duilio terá que fazer um trabalho espetacular não apenas para colocar o clube nos trilhos, mas também para mudar esse ambiente com a massa.

6) Papel da Oposição

Ocular

Divulgação

A oposição terá chance quando tiver uma estratégia mais clara e mais união. Também será necessário que um candidato único seja decidido com antecedência e o trabalho iniciado antes do que se pensava ser necessário. Obs: iniciar antes não é trabalhar contra o clube, e sim, a seu próprio favor. Dá pra fazer as duas coisas, sim.

7) Gestão nova, pessoas novas

Ocular

Reprodução/Internet

Para Duilio, a hora é agora. A limpeza precisa ser feita já no mês de janeiro. Se algum departamento não está bem (e não são poucos), a hora de mudar é agora. Se deixar para fazer meses depois, pode esquecer. Não muda mais. O novo presidente promete uma nova gestão, então, será preciso iniciar dessa maneira. Pra dar credibilidade junto à torcida, a primeira imagem será fundamental.

8) Fiel Torcedor com direito a voto

Ocular

Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

A pressão para que os sócios-torcedores tenham direito a votar aumentou de uns anos para cá. O movimento cresceu. E vai aumentar a partir de agora, ainda mais depois da sexta vitória consecutiva do mesmo grupo político. Dualib passou a ser pressionado para ser tirado do poder e a pressão foi iniciada do lado de fora. Duilio não terá paz pra governar se os torcedores (principalmente das organizadas) perceberem que esse movimento do Fiel Torcedor não estiver sendo realizado internamente.

9) Romeu Tuma Jr.

Ocular

Rodrigo Vessoni/ Meu Timão

A condução da Comissão Eleitoral beirou a perfeição. A seriedade do processo eleitoral foi elogiada por todas as chapas. E muito tem a ver com a figura de Romeu Tuma Júnior, bastante respeitado por todos e que transparece seriedade nas suas ações. Figuras como essa precisam ser utilizadas pelo clube, seja em comissões internas obrigatórias via estatuto ou criadas por determinadas situações. Duilio precisa ter essas pessoas ao seu lado. E ouvi-las. O clube é maior do que qualquer lado político.

10) Conselho Deliberativo rachado ao meio

Ocular

Rodrigo Vessoni/ Meu Timão

Conselho Deliberativo estará rachado, com metade dos eleitos para o triênio a favor da administração e a outra metade contra. Isso é bom porque, se Duilio ou sua diretoria estiver fazendo algo errado, a metade contrária estará no pé para não fazer. Porém, essa mesma metade, por vaidade ou ideologia, pode querer atrapalhar quando algo de certo para o clube estiver sendo feito. Saber entender a situação e contornar os dois lados será um desafio ao presidente.

Veja mais em: Eleições no Corinthians, Duílio Monteiro Alves, Andrés Sanchez, Diretoria do Corinthians e Parque São Jorge.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Rodrigo Vessoni

Por Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e, por 12 anos, no LANCE!. Neste momento, também é repórter da Rádio 9 de Julho, SP (AM 1600). Participa ainda, quando chamado, de programas na TV.

O que você achou do post do Rodrigo Vessoni?