Quando a cobrança vira paranoia

Ulisses Lopresti

Vinte e três anos de vida e de corinthianismo. Jornalista, trabalho no Meu Timão. Escrevo aqui e apareço no Contra-Ataque, mídia alternativa de futebol.

ver detalhes

Quando a cobrança vira paranoia

Coluna do Ulisses Lopresti Figueiredo

Opinião de Ulisses Lopresti

1.9 mil visualizações 42 comentários Comunicar erro

Quando a cobrança vira paranoia

Cássio em treino pelo Timão

Foto: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians

O Brasileirão está acabando e tudo indica que o Timão não irá se classificar para a Libertadores. A equipe comandada por Mancini parecia bem próxima da competição, mas resultados negativos contra adversários diretos minaram nossas chances. Nos últimos jogos, o Cássio tem sido bem criticado por suas atuações. A cobrança pelo desempenho em campo é válida, mas será que fora dele também é coerente?

Não se assuste com o título, a intenção não é mascarar uma má fase do goleiro do Timão. Podemos apontar muitas falhas do Cássio no Campeonato Brasileiro, é inegável. Mas o que me assusta é o que cheguei a ler de muitos torcedores sobre a postura do atleta fora de campo.

É claro que o Cássio não é maior que a instituição, mas ler que o Corinthians é refém do goleiro, é de sangrar os olhos. Vi opiniões que diziam que ele ameaçava sair do Timão e por isso o clube se tornou refém de um atleta, entre outras coisas.

Sim, em 2016 ele quase saiu, mas desde então a única crise é a que estamos vivendo. Em quase 10 anos, o jogador se tornou o maior campeão pelo clube, tem mais de 500 partidas pelo Timão e se tornou uma liderança do elenco. Qual o sentido de dizer que o goleiro trata a instituição de forma desrespeitosa?

Você pode ouvir a entrevista do goleiro e achar que ele não reage bem às críticas, que falta liderança e qualquer outra coisa. Mas não transforme isso em um conflito ético e construa uma imagem de vilania em um dos maiores ídolos da história do clube.

A discussão “Walter x Cássio” sempre aconteceu, às vezes com maior intensidade, às vezes um assunto esquecido, porém, sempre soubemos que tínhamos dois goleiros de alto nível no elenco. Se hoje tudo indica que precisamos mudar a titularidade, que seja. Mas em até que ponto essa demora é culpa do herói do Mundial?

Ninguém é maior do que o Corinthians, mas não é por isso que a história do ídolo tem que seguir um roteiro de conflito. A cobrança tem que rolar, é necessário cobrar todos os atletas do Timão de forma igual, mas dizer que o clube é refém, ou que o Cássio está de sacanagem é paranoia das boas.

Veja mais em: Cássio e Ídolos do Corinthians.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Ulisses Lopresti Figueiredo

Por Ulisses Lopresti Figueiredo

Vinte e três anos de vida e de corinthianismo. Jornalista, trabalho no Meu Timão. Escrevo aqui e apareço no Contra-Ataque, mídia alternativa de futebol

O que você achou do post do Ulisses Lopresti?

x