Jemerson, Otero e Cazares: renovar ou não?

Ulisses Lopresti

Vinte e três anos de vida e de corinthianismo. Jornalista, trabalho no Meu Timão. Escrevo aqui e apareço no Contra-Ataque, mídia alternativa de futebol.

ver detalhes

Jemerson, Otero e Cazares: renovar ou não?

Coluna do Ulisses Lopresti Figueiredo

Opinião de Ulisses Lopresti

5.1 mil visualizações 60 comentários Comunicar erro

Jemerson, Otero e Cazares: renovar ou não?

Renovar ou não?

Foto: Montagem/ Meu Timão

Em toda minha vida, eu não lembro de nenhuma época de “mercado da bola” em que o Corinthians estava tão parado como esse ano. A razão é óbvia, estamos reduzindo nossa folha salarial, mas dá uma saudade de especular sobre reforços para uma nova temporada.

Nessa nova realidade, a grande discussão nos bastidores do Timão são as renovações. Desde o fim do ano passado, vários jogadores deixaram o clube, foram emprestados para outros times ou rescindiram o contrato. Porém, três atletas com o vínculo até junho continuam com o futuro indefinido: Jemerson, Otero e Cazares.

Muito se debate se os atletas deveriam permanecer. Em um cenário de redução da folha salarial, a negociação deles é simbólica sobre como a diretoria vai montar o Corinthians de 2021. Manter os três indica que o clube não vai atrás de ninguém da posição e que jovens da base terão uma concorrência pesada. Por exemplo, no começo do Paulista, Otero e Jemerson foram titulares em muitas partidas, mesmo com outros atletas pedindo passagem.

O caso do zagueiro é bem simbólico, o mais caro dos três. Mancini mostra ter muita confiança no atleta e sempre que possível o coloca nos 11 iniciais, mas, claramente, Bruno Méndez vive uma melhor fase. Mesmo assim, o uruguaio joga mais improvisado do que na posição de origem. Ao decorrer da temporada, essa mudança na equipe tem que acontecer. Vendo que o Jemerson não é um titular absoluto hoje, vale a pena gastar dinheiro e manter o atleta? Eu não acho.

Na meia, Otero também tem a confiança do Mancini. Já jogou até como segundo volante e raramente fica no banco. Mas, confesso, o futebol do venezuelano não me agrada. O especialista em bolas paradas do Corinthians não tem regularidade e um contrato longo com ele me parece um tiro no pé. Tudo bem, não sei se hoje teríamos peças de reposição, ainda não vimos os jovens da base entrarem. Porém, se tiver que gastar dinheiro com um meia, que seja um nome que venha para jogar e suba o patamar do time. Otero não mostrou ser esse meia.

O único com quem eu renovaria é o Cazares. Na melhor fase do Corinthians no Brasileirão de 2020, o equatoriano era o destaque do time. Com assistências e gols, o meia mostrou que pode ser uma opção viável de meia de qualidade. Não creio que podemos encontrar um jogador com qualidades parecidas em um mercado tão inflacionado. Ele só precisa recuperar a forma física rápido, antes que seja tarde para provar que merece ficar.

Se é hora de reformular o time, que seja com um olhar apurado para a base e opções baratas no mercado. Não podemos repetir os erros de fazer longos contratos. Se é para renovar, que não seja em apostas.

Veja mais em: Elenco do Corinthians, Cazares, Otero, Jemerson e Mercado da bola.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Ulisses Lopresti Figueiredo

Por Ulisses Lopresti Figueiredo

Vinte e três anos de vida e de corinthianismo. Jornalista, trabalho no Meu Timão. Escrevo aqui e apareço no Contra-Ataque, mídia alternativa de futebol

O que você achou do post do Ulisses Lopresti?

x