Ranking da agonia: os 10 gols históricos do Corinthians nos minutos finais

Victor Farinelli

Victor Farinelli é um jornalista brasileiro e corinthiano residente no Chile, colabora como correspondente de meios brasileiros como Opera Mundi, Carta Capital, Revista Fórum e Carta Maior.

ver detalhes

Ranking da agonia: os 10 gols históricos do Corinthians nos minutos finais

Ranking da agonia: os 10 gols históricos do Corinthians nos minutos finais

Paulinho, após marcar contra o Vasco, na Libertadores de 2012

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Na falta de jogos do Coringão pra alegrar os nossos fins de semana, a gente fica buscando qualquer coisa pra ocupar o tempo, e essa qualquer coisa geralmente também envolve a paixão alvinegra, mesmo ela estando em modo de espera.

Passei esta manhã de domingo, prévia ao jogo da Copinha, lembrando de grandes momentos do nosso Coringão em que eu participei. Eu moro no Chile, e como todo corinthiano que mora longe, poder ver um jogo no país onde você mora sempre tem um gosto especial. Por isso, o gol mais importante que eu já vi do Corinthians não foi de nenhum título e sim aquele chorado e sofrido gol contra do zagueiro chileno já nos acréscimos daquela estreia na Libertadores de 2016. Foi a primeira vez que levei meu filho, chileno corinthiano, a um jogo no país dele, e precisava ser com vitória. Também teve toda a aventura de ir junto com uma centena de loucos dos mais loucos mesmo para o meio do Deserto do Atacama, viagem na qual nasceu a Fiel Chile, primeira torcida organizada nossa aqui no país.

Daquele gol na agonia da partida, me veio a ideia de pensar em outros gols corinthianos como o daquele dia. Lembrei de vários, e logo pensei em fazer uma lista dos melhores, com um pouco mais de objetividade jornalística e considerando a importância dos lances para títulos relevantes da história do clube.

10. Escalona (autogol) contra o Cobresal - Libertadores 2016

Eu sei que falei que priorizaria a objetividade jornalística, mas precisava fazer isso por mim mesmo - e se eu fosse mais sincero, e também um pouco egoísta, colocaria este feio gol contra o Cobresal em primeiro lugar, pelo que ele significou pra mim: aquele abraço de gol com o meu filho foi o mais gostoso da minha vida. E podem ter certeza de que praquelas centenas de pessoas que viveram a aventura de ir até o meio do deserto mais seco do planeta, só pra ver o Coringão jogar, aquele gol foi sim maravilhoso.

9. Rincón contra o Al Nassr - Mundial 2000

O que diminui a posição deste gol na lista é que não foi tão no finalzinho - faltavam ainda uns 7 ou 8 minutos pro fim do jogo, mas pelo critério de importância ele talvez pudesse estar entre os cinco primeiros. O chute cruzado do colombiano naquele Morumbi lotado não foi só o segundo gol contra o time árabe como também o que classificou o Corinthians pra final do Mundial - estávamos empatados no saldo de gol e abaixo nos gols pró, precisávamos de mais um pra ratificar o primeiro lugar no grupo. Depois dos 35 do segundo tempo, a Fiel começou a ficar apreensiva, mas aí apareceu o capitão Rincón pela direita, colocando ordem na casa e evitando maiores problemas cardíacos na torcida.

8. Ralf contra o Deportivo Táchira - Libertadores 2012

Uma derrota na Venezuela não seria um bom começo praquele time que vinha de eliminação na Pré-Libertadores no ano anterior, e a eterna cobrança por aquele título que não chegava nunca. Já nos acréscimos da partida, numa cobrança de falta levantada na área, Ralf apareceu pra tocar de cabeça e marcar um dos seus raríssimos gols com a camisa alvinegra - o que acrescenta em importância - e decretar o empate que iniciaria o caminho de uma conquista inédita, invicta e inesquecível. (Trecho corrigido após dicas de usuários nos comentários)

7. Ronaldo contra o Palmeiras - Paulistão 2009

O gol que mostrou que a estrela de Ronaldo chegou pra brilhar forte no Corinthians. Foi o seu primeira com a camisa alvinegra, no último minuto, para conseguir um empate heróico contra o nosso maior rival. Com direito a abraço com a torcida, alambrado despencando, uma loucura que parecia não ter fim. Também foi o início da recuperação de um clube que saiu do seu pior momento histórico e que dali em diante se consolidou como o maior ganhador de títulos do futebol brasileiro. Tudo começou naquele gol.

6. Cristian contra o São Paulo - Paulistão 2009

Aquele primeiro jogo da semifinal era de mando do Corinthians, que precisava de uma vitória pra ir tranquilo pra volta no Morumbi. Já nos acréscimos, Cristian recebe na intermediária, vê um espacinho lá de longe e solta o pé. Ninguém acreditou na trajetória que a bola fez, e na velocidade impressionante que alcançou, para superar o Rogério e entrar no cantinho. O cara chutou com a alma, o coração, colocou de tudo naquele pé pra fazer história, depois, com as mãos, numa das comemorações de gols mais recordadas pela Fiel Torcida.

5. Elivélton contra o Palmeiras - Paulistão 1995

Aquela não era uma final qualquer. O arquirrival vinha de um bicampeonato, e buscava o tri, era preciso impedir aquilo de qualquer jeito, e pra piorar havíamos perdido as duas últimas finais contra eles - o Paulistão de 1993 e o Brasileirão de 1994 - e também perder uma terceira seria inaceitável. De quebra, os caras saíram na frente no segundo tempo, e parecia que todos os pesadelos se tornavam realidade, até que o Marcelinho empatou, pouco tempo depois, numa cobrança de falta perfeita - como sempre. O Corinthians jogava pelo empate, e no final do segundo tempo da prorrogação parecia que estava tudo certo, mas como aqueles tempos eram de seca, ninguém se arriscava a gritar antes do tempo, precisava de um gol pra assegurar a taça. Quando a bola caiu nos pés de Tupãzinho, talismã do título brasileiro de 1990, ele só deu um toquinho de lado, como quem passa o bastão pra que Elivélton chutasse da intermediária no ângulo de Veloso. Foi a única jogada recordável dele com a camisa do Coringão, e como foi marcante!

4. Romarinho contra o Boca Juniors - Libertadores 2012

Voltamos àquela Libertadores, que foi generosa na quantidade de gols na agonia. E desta vez lembrando de um do Romarinho que não foi contra o Palmeiras, e sim o que salvou o Corinthians da derrota na primeira final. Foi a primeira vez que ele tocou na bola em uma partida de Libertadores, e com isso ele encobriu o goleiro e deixou tudo igual no marcador da Bombonera, aos 40 do segundo tempo. Não foi tão no finalzinho, mas a importância de levar um resultado favorável pro jogo decisivo é inestimável.

3. Jô contra o Palmeiras - Paulistão 2017

A importância desse lance está em dois aspectos: em parte pelo jogo em si, o primeiro Derby do Centenário, e as circunstâncias que o envolveram, com a expulsão injusta, o time - que já vinha desacreditado - se desdobrando pra suprir o homem a menos, e a vitória conseguida na raça, como a própria jogada do gol. O outro aspecto é que, como disse, o time vinha desacreditado, e foi a partir daquele gol e daquela vitória que a equipe ganhou a moral que precisava pra fazer um 2017 brilhante como o que nós vimos depois. Foi como revalidar o gol de Ronaldo em 2009, e lembrar que o que começou lá atrás, a hegemonia corinthiana no futebol brasileiro, ainda não ia acabar, como os comentaristas disseram durante a pré-temporada quase inteira.

2. Paulinho contra o Vasco da Gama - Libertadores 2012

A Libertadores de 2012 não foi especial só por ser o primeiro título continental e pela invencibilidade da campanha. Também foi marcada pela quantidade de gols nos minutos finais, o que aos poucos foi fortalecendo a mística e a confiança da torcida que via, a partir disso, que aquele time tinha garra suficiente para merecer vestir a camisa do Coringão. Já tivemos dois outros exemplos nesta lista, mas o mais emocionante sem dúvidas foi o gol do Paulinho nas quartas-de-final contra o Vasco. Caramba, que jogo tenso! Quase perdemos tudo no meio do segundo tempo, quando o Cássio salvou a pátria no mano a mano contra o Diego Souza. O Corinthians enfrentou 87 minutos de paredão vascaíno e parecia que não sabia o que fazer pra marcar, até que num escanteio Alex acha a cabeça do homem do povo, Paulinho, que subiu até o nono andar numa das mais lindas cabeçadas da história do futebol, e correu pra abraçar os iguais no alambrado. Tite também nos braços do povo. A emoção no Pacaembu era indescritível, alguns choraram com o gol, tamanha a agonia para se chegar a ele. Que momento!!


1. Ricardinho contra o Santos - Paulistão 2001

De todos os gols deste ranking este é o que foi mais no finalzinho - e por isso está em primeiro lugar. O jogo já se aproximava dos 48. O time inteiro do Santos apontava pro relógio e talvez o juiz já pudesse ter acabado o jogo na hora que o Andrezinho recebeu no meio e parecia não saber o que fazer com a bola. Aí ele achou o Gil no lado esquerdo, que arrancou pela lateral de forma meio kamikaze, o corte que deixou o zagueiro praiano com a bunda no chão ascendeu a última faísca de esperança de uma Fiel Torcida que não queria aceitar aquela eliminação antes da hora. O cruzamento parecia outra jogada sem futuro, mas o corta-luz do Marcelinho corrigiu magicamente o lance e deixou a bola redondinha pra canhota do Ricardinho, que colocou no canto, indefensável pro Fábio Costa. A torcida do Santos, que já comemorava a classificação pra final, ficou atônita. Foi uma obra de arte futebolística tão incrível que até hoje é recordada como se fosse o gol do título, e isso que foi numa semifinal.


Lambuja (ou bonus track pro pessoal nutella):
Dida contra o São Paulo, segundo penal defendido contra o Raí - Brasileirão 1999

Era a primeira partida da semifinal daquele campeonato, contra o eterno freguês, que tinha como reforço o Raí, único jogador deles com algum retrospecto favorável contra a gente na história. Dida já havia defendido uma penalidade dele no começo do segundo tempo, e aquela segunda chance, já nos acréscimos, poderia decretar o empate e levar a série a três partidas - naquele campeonato, o mata-mata era em melhor de três jogos. Mas o maior pegador de pênaltis da história estava lá pra acabar com a esperança tricolor e marcar pra sempre a biografia do ídolo sãopaulino como freguês corinthiano, assim como o seu clube. Depois o Coringão ganhou também a segunda partida e foi pra final sem precisar jogar a terceira.


Gostaram da lista? Fariam alguma(s) mudança(s)? Esqueci algum gol ou lance importante?

Alguém poderá reclamar que alguns lances não foram tão no finalzinho assim, e nesse critério até o gol do Basílio poderia entrar também, já que foi, por exemplo, mais ou menos no mesmo minuto do gol do Rincón em 2000. Mas o gol do Basílio é o gol mais importante da história do futebol mundial em todos os tempos, e pra não cometer a heresia de não deixá-lo em primeiro da lista, preferi colocá-lo de fora, pra que o lugar dele na história do Corinthians não seja afetado por esta singela lista, que é baseada na memória de uma só pessoa durante uma tarde de ócio num domingo de janeiro.

Fica então o convite para que comentem e de repente a gente monta um ranking mais rigoroso e completo com as suas lembranças.

Saudações e Vai Corinthians!

Veja mais em: Gols do Corinthians.

Coluna do Victor Farinelli

Por Victor Farinelli

Victor Farinelli é um jornalista brasileiro e corinthiano residente no Chile, colabora como correspondente de meios brasileiros como Opera Mundi, Carta Capital, Revista Fórum e Carta Maior.

O que você achou do post do Victor Farinelli?

  • 1000 caracteres restantes