Não começamos do zero, mas do um

Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

ver detalhes

Não começamos do zero, mas do um

Coluna do Walter Falceta

Opinião de Walter Falceta

3.6 mil visualizações 39 comentários Comunicar erro

Não começamos do zero, mas do um

Corinthians tenta reescrever a partitura de jogo

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

1) Aplausos para Romero. Equivocou-se aqui e acolá, mas lutou o tempo inteiro. Costurou bons dribles, fez assistências e até auxiliou os laterais. Por conta dele, nosso grande rearranjo não começa do zero, mas do "um" que anotou no crepúsculo do jogo.

2) O triângulo ou losango de meio campo, que tantos elogios rendeu a Tite, não existe mais. O coração do time terá de ser refeito. O que se espera dos torcedores? Apoio e paciência.

3) Para estabelecer-se no setor de criação, Rodriguinho precisará ouvir com atenção as preleções do técnico. O desafio é aprimorar-se para construir triangulações e imaginar o ponto futuro, aquele tão bem visto por Jadson e Renato Augusto nos lançamentos em profundidade. No ano passado, saiu-se bem como volante improvisado.

4) Se falamos do clube, e não do time, desperdiçamos todas as últimas cobranças de penalidades, desde a cavadinha de Matheus Pereira, na final da Copa São Paulo. Em razão de nossa força e grandeza, talvez consideremos esse recurso desnecessário à construção de vitórias. Solução? Mais treino, foco e concentração.

5) Durante boa parte do jogo, Bruno Henrique pareceu ausente. Talvez seja conveniente estabelecer de maneira mais clara sua função em campo. Se Elias é o homem que sobe para alinhavar a trama ofensiva, ele se converte no guardião da zaga. Ou não?

6) Miolo defensivo em fase de ajuste. Yago parece seguro. Desconexão em algumas jogadas aéreas, como naquela desperdiçada pelos piracicabanos após uma cobrança de escanteio.

7) Uendel em marcha lenta. Fagner também caiu de produção no segundo tempo. Ambos devem evoluir na parte física. Arana mais lépido que os dois.

8) Danilo sempre cerebral, mas evidentemente sofre ao atuar por 90 minutos. Uma das opções de Tite é aproximá-lo de Marlone, no setor de criação. O rapaz tem fôlego e pode correr pelo veterano campeão.

9) Lucca ainda desconectado. Não parece o atleta que ganhou nossa admiração no ano passado. Afobado para resolver sozinho. Possivelmente, sente o peso de eventual titularidade. Bom jogador, vai ouvir as lições do técnico.

10) Desta vez, Tite falou muito, mais do que o habitual. Isso porque precisa reescrever a partitura de jogo, redistribuir os instrumentos, reeducar sua orquestra.

11) Será um longo Paulistão, mas se trata de nobre laboratório. Queremos o título 28, mas na competição também nos preparamos para o bi da Libertadores. Vai, Corinthians.

Coluna do Walter Falceta

Por Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

O que você achou do post do Walter Falceta?