10 mudanças para resgatar nossa grandeza

Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

ver detalhes

10 mudanças para resgatar nossa grandeza

Coluna do Walter Falceta

Opinião de Walter Falceta

86 mil visualizações 113 comentários Comunicar erro

10 mudanças para resgatar nossa grandeza

Corinthians: nau sem rumo em 2016.

Foto: Agência Corinthians

1) Fundamental: o Corinthians precisa deixar de ser um obscuro balcão de negócios. O clube deve honrar sua tradição vencedora e prover satisfação a seus legítimos donos, os torcedores.

2) Nas transferências de atletas, é preciso constituir negócios que beneficiem o clube, e não os tubarões intermediários, associados aos cartolas.

3) A formação de esquadrões competitivos exige planejamento, organização e disciplina na gestão financeira. Clubes grandes não realizam desmanches como o que destroçou a equipe desde o fim de 2015. Não se pode comprar caro e vender sempre barato, oferecendo-se o naco maior das receitas ao tubaronato predador.

4) O Corinthians precisa ser favorecido pelas formidáveis receitas geradas por sua torcida fiel. Hoje, empresas terceirizadas, especialmente aquelas envolvidas na gestão da Arena, enriquecem à custa do esforço do trabalhador corinthiano.

5) O clube não pode viver de jeitinhos, arranjos de última hora e gambiarras. Precisa cultivar uma visão estratégica de longo prazo. Em 2016, mostrou que não tinha qualquer plano para substituir a contento o técnico Tite. Todas as providências, neste caso, exibiram incompetência, lerdeza e amadorismo.

6) O Corinthians precisa resgatar sua história, valorosa desde 1910, hoje aparentemente ignorada por seus dirigentes. O conhecimento da cultura corinthianista teria evitado muitos dos fracassos recentes.

7) Quem sabe a história, reconhece o ethos corinthiano, marcado pela democracia, pela solidariedade, pelo serviço colaborativo e pela garra. Esse saber deve ser estendido aos atletas que envergarem o manto sagrado alvinegro. Apático, desmotivado e alienado, o time que nos representou em 2016 não parecia corinthiano.

8) Uma instituição gigante e popular como o Corinthians exige máxima transparência em sua gestão. Não foi o que se viu em tempo recente. O Timão não pode mais ser governado por interesses particulares, sem que a Nação tome conhecimento das decisões de seus administradores.

9) É preciso trazer o povo de volta a sua casa. Se o Corinthians necessita incrementar receitas, é necessário universalizar a frequência da Arena, no bairro de Itaquera. Nos últimos jogos do clube, os vazios enormes, especialmente no setor Oeste e Leste Superior, evidenciaram graves erros no aproveitamento do estádio e o desperdício de ingressos financeiros fundamentais ao equilíbrio contábil.

10) Com Roberto de Andrade, o Corinthians é uma nau sem rumo, que percorre os piores caminhos, sob nevascas e tempestades. O mandatário precisa modificar radicalmente sua conduta, educar-se para a gestão do clube ou, com grandeza, abdicar do cargo. É para já. Porque o Corinthians faz a hora, não espera acontecer.

Veja mais em: Diretoria do Corinthians.

Coluna do Walter Falceta

Por Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

O que você achou do post do Walter Falceta?