Análise tática: o moderno Corinthians e o futuro de seu meio campo

Fórum do Corinthians
Tópico Lendário Entenda as regras

André #526 @decocampos em 13/02/2015 às 11:19

Já aviso que o texto é um pouco longo para os impacientes e sem tempo. Mas o fascínio que o Corinthians me ocasiou nesse início de temporada foi tanto que eu tive de começar a entender como a equipe joga. Estou obcecado.

Tite voltou de seu ano sabático falando que estudou o futebol moderno profundamente. Sem rodeios, as últimas quatro rodadas jogadas pelo Corinthians comprova que o técnico não mentiu.

Foi um time agudo, intenso e, pasmem, não recuou um minuto. E, essa última ação, muito em função do nosso meio campo - o setor mair promissor e que pode nos render mais um ano mágico como foi o de 2012 (o que não é impossível, porque aqui é Corinthians).

O Corinthians do novo Tite é um time cujo esquema tático tem tudo para transformar o sistema de jogo no melhor e mais consistente do Brasil, na minha modesta opinião. Para explicar isso, gostaria de fazer uma análise sobre como vejo a tática e a estratégia empregada pelo treinador neste ano, que muito se assemelha ao que Barcelona, Bayern e, principalmente, a Alemanha campeã do mundo no Brasil fizeram – com suas devidas proporções, é claro.

Vamos voltar alguns meses no tempo – ou melhor, no período de junho a julho do ano passado, na Copa do Mundo do Brasil. Vamos lembrar da campeã Alemanha, a seleção cujo sistema tático é o que melhor pode ilustrar o Corinthians do moderno Tite.

Os alemães vieram ao Brasil depois de três copas do mundo, batendo na trave, caindo nas eliminatórias apesar de jogarem um futebol pra lá de consistente. Mantiveram a base, revelaram novos jogadores – enfim, tudo o que é conhecido e já foi falado a bons bocados.

O que nos interessa é a questão estratégica e tática empreendida pelo time do técnico Joaquim Law. A Alemanha jogou num sistema de 4-1-4-1 (como sabemos, vem sendo muito comentado nesse início de temporada) que variou para estilos de 4-3-3 e 4-1-2-3. Além disso, havia alternância de seus meias que se tornavam verdadeiros atacantes, principalmente quando jogava com um falso centroavante (Goetze).

A Alemanha, na final da Copa, foi à campo com o seguinte time: 1-Manuel Neuer; 16-Philipp Lahm, 20-Jerome Boateng, 5-Mats Hummels, 4-Benedikt Hoewedes; 7-Bastian Schweinsteiger, 6-Sami Khedira, 13-Thomas Mueller, 18-Toni Kroos, 8-Mesut Ozil; 11-Miroslav Klose

Aqui vemos que há um atacante fixo de área – o que é importante para compararmos ao Timão (não em matéria da qualidade dos jogadores, mas as funções que cada um desempenha).

Podemos imaginar o sistema solar com uma série de planetas flutuando ao redor dele, cada um com sua rotação.

O meio-campo teve Kehdira, como primeiro volante; Schweinsteiger, o segundo volante, que se posicionava mais próximo à linha que marca a passagem da defesa ao ataque; Muller, que fazia o lado esquerdo com uma movimentação vertical; Kroos, o homem mais centrado da linha ofensiva; e Ozil, o homem da flutuação do meio-campo e pelas jogadas criativas capaz de deixar qualquer um na cara do gol.

Hoje, o Timão tem: Ralf – Elias – Renato Augusto – Jadson – Emerson Sheik. Muitos aqui dirão – mas o Sheik é atacante, não meia. Mas notem: em nenhum dos jogos o Sheik foi um jogador agudo ofensivamente. Ele acompanhou os laterais e, somente em dados momentos da partida, se aproximou do atacante de área fixa – bem como Muller faz.

Para entender a mecânica do meio-campo do Timão é preciso saber que, neste esquema, quanto mais se concentram jogadores de qualidade, há mais probabilidade de sucesso ofensivo – o que é óbvio, de maneira lógica.

Mas isso o Corinthians tem. O Ralf é o cara da segurança, desarma e protege a zaga como ninguém; o Elias é o homem da aproximação e saída de bola, que tem também a incumbência de atacar e infiltrar na área para marcar bem (bem fisicamente, teremos um grande ano do jogador em 2015); Renato Augusto é, com perdão da comparação, um Toni Kroos. Reparem o desenho tático do jogador no Real Madrid e o de Renato Augusto quando ocupa a faixa diagonal da esquerda quando o time sai para o ataque. Ele é o cara da passagem da bola na parte mais ofensiva do sistema, que faz a ligação com qualidade e tem competência para investidas mais agudas, segurar a bola, fazer o pivô e chutar de fora da área; Jadson é o Ozil, o cara que flutua – e para fazer bem, tem de se movimentar bem;o Sheik é o cara do lado do campo que faz as vezes de segundo atacante ou divide a infiltração com Elias quando temos um centroavante falso, como Danilo ou Luciano.

Outra lição que devemos gravar do time do Corinthians neste começo do ano: seremos um time que valorizará a posse de bola, pacientemente, mas ao mesmo tempo jogando verticalmente, em busca do gol sem rodeios. É um time que joga agrupado em um lado do campo para abrir espaços do outro lado – e para isso é fundamental o apoio dos laterais. Notaram como Fábio Santos e Fagner atacam bem mais do que nos últimos anos?

Para ilustrar isso que disse, vou citar dois lances: o primeiro é no gol de Fagner contra o Once Caldas, na primeira partida. Lembram-se da jogada? Sheik recebeu a bola de Ralf na esquerda, prendeu com paciência, voltou a bola a Ralf que dominou e virou a jogada. Fagner dividiu de cabeça, a bola sobrou para Renato Augusto (que jogava de falso 9), abriu espaço para Fagner que recebeu a bola do RA de calcanhar e fez o gol.

Outro lance aconteceu na última quarta-feira, parecido com este último, quando Sheik virou uma bola que deixou Jadson na cara do gol para fazer – mas este perdeu.

Lembram-se de que o PVC disse, na transmissão do jogo (para quem acompanhou o Fox Sports) que o time do Corinthians estava amadurecido? Pois é. É a questão da valorização da posse da bola.

Para valer um esquema tático como esse, com jogadores de qualidade concentrados no meio-campo, é preciso fazer a bola rodar, de pé em pé, sem ligação direta ou erro de passes na saída. O pior momento do Corinthians no ano, foi justamente o início do segundo tempo da partida de volta contra o Once, quando Elias e Jadson erraram passes demais e forneceram muitos contra-ataques.

Para não me alongar muito, queria dizer uma coisa: atenção para Christian, que está no banco, e Bruno Henrique. São dois jogadores de boa categoria e que podem fazer uma saída de bola mais precisa se jogarem como primeiro volante: principalmente Christian que arma e desarma como ninguém.

Assim, eu acho que o time do Corinthians tem tudo para ser um grande time em 2015.

5.313 visualizações e 117 respostas neste tópico

Avaliação do tópico:

Responder tópico

Melhores respostas

Jader Adriano #363 @jader.adriano em 13/02/2015 às 16:09

Nesses 7/8 minutos que demorei pra ler seu tópico aprendi muito mais de tática do que nesses programas de esporte que passam na TV que só fazem fofoca na verdade...Futebol que é bom:0.

Parabéns.

Bruno Marcos #2.439 @bruno.marcos em 13/02/2015 às 14:46

Boa cara, bela análise!

Sei que é difícil, mas gostaria de ver um cara que saiba sair jogando no lugar do Ralf, acho que o time iria crescer muito, principalmente porque com uma maior qualidade desse 1, o passe iria melhorar e consequentemente o time iria reter mais a bola, o que iria compensar a marcação que o Ralf faz!(Mais tempo com a bola, menor o tempo necessário pra marcar, filosofia do Guardiola!)

Últimas respostas

André Luiz Cassiano De Campos #526 @decocampos em 20/02/2015 às 21:12

Diferença é que eu já tinha cantado aqui que o esquema era 4-1-4-1, antes do referido cara do blog dizer, neah? PVC disse também que é esse o esquema... Mas fazer o que neah!

Phillipe #91 @phillipe.eduardo em 20/02/2015 às 21:09

" "

Cara na minha visão ainda continua sendo o 4-3-3, diferença eque não pago pau para comentarista de jornal.

Publicidade

Phillipe #vaicorinthians #91 @phillipe.eduardo em 20/02/2015 às 21:09

Cara na minha visão ainda continua sendo o 4-3-3, diferença eque não pago pau para comentarista de jornal.

André #526 @decocampos em 19/02/2015 às 09:24

" "

Cara, pra você parar de teimar. O cara do globoesporte tá falando a mesma coisa, e demorou depois do jogo de ontem!

Larga a mão de PES, essa bosta ae. Simulador de futebol é Fifa.

http://globoesporte.globo.com/blogs/especial-blog/painel-tatico/post/superioridade-tatica-do-4-1-4-1-do-corinthians-decide-classico-na-libertadores-fica-licao.html

André Luiz Cassiano De Campos #526 @decocampos em 19/02/2015 às 09:24

Cara, pra você parar de teimar. O cara do globoesporte tá falando a mesma coisa, e demorou depois do jogo de ontem!

Larga a mão de PES, essa bosta ae. Simulador de futebol é Fifa.

http://globoesporte.globo.com/blogs/especial-blog/painel-tatico/post/superioridade-tatica-do-4-1-4-1-do-corinthians-decide-classico-na-libertadores-fica-licao.html

Phillipe #91 @phillipe.eduardo em 14/02/2015 às 13:31

" "

Certeza e isso mesmo, Tipo na quarta-feira com os bixas pressionando talvez o Tite podera ou poderia recua o Renato Auguto para essa posição 1º na minha opinião e o único jogador do Elenco que pode fazer esta função, Dai Subira o Ralf para fazer essa famosa linha de 4 na frente do Guerrero.

Pode ser exe: REnato---- Sheik --- Elias -- Ralf(Melhor que Khedira na minha opinião) -- Jadson --- e Guerrero na frente.

REnato---- Sheik --- Elias -- Bruno H -- Jadson --- e Guerrero na frente também.

Ai sim seria um 4-1-4-1, Pois o Renato ficaria na posição de 'Cerebro' poderia subir algumas vezes mas ficaria lá como um Pirlo ou Swh fazem nesse tipo de formação..

José Filho #12.760 @jose.filho7 em 18/02/2015 às 14:36

também gosto

Maria #2 @gracinhado.timao em 14/02/2015 às 08:32

" "

E aquela bola curta é massa demais.

Edilson O Capeta #387 @zausccp em 14/02/2015 às 20:03

Ah, e tem outra coisa, dessa forma o guerrero não vai mais precisar ficar saindo da área como ele saia com o mano. Mais uma resposta clara de que com o mano a equipe estava mal organizada em campo.

Camilo Aparecido De Almeida #593 @camiloaparecido em 14/02/2015 às 20:02

Dor de cabeça gostosa para o Tite, tomara que ele saiba contornar a ciumeira de quem fica no banco de reservas.

Edilson O Capeta #387 @zausccp em 14/02/2015 às 20:00

Pra simplificar... A alemanha joga com um cabeça de área, dois a frente dele e dois abertos mais agudos.

Fica assim:

scheweinsteiger

khedira kroos

gotze reus (ozil)

Muller

Na hora de marcar, eles fecham duas linhas de 4, como a inglaterra ensinou muito bem como se faz nos últimos 40 anos, mas eles ainda tem um cara flutuando dentro dessa linha, que pode ser o kroos, o khedira e, na maioria das vezes, o scheweinsteinger.

O Tite esta escalando a equipe da mesma forma. é uma copia.

Scheweinsteinger dá lugar a Ralf.

Khedira a Elias.

Kroos a renato Augusto.

Gotze a Jadson

Reus a Sheik

E muller a guerrero.

é simples, não tem complicação como parece.

O que diferencia para o mano é que o Jadson foge do camisa 5 adversário. Consegue jogar porque não precisa resolver o lance em meio segundo.

Ficou mais fácil para o renato Augusto que recua e vem com a bola dominada.

Para o Elias que encontra resguardo pra quando quer chegar na área.

Quem tem que se 'sacrificar' é o segundo atacante, que agora tem que correr atrás de lateral, fechar uma linha no meio campo.

COM O MANO...

...o Jadson não podia nem entrar em campo porque no meio ali ele não tem porte pra aguentar a exigencia da nossa torcida.

...o Elias não podia largar a posição porque não tinha ninguém acompanhando lateral até o final. Se ele fosse pra área ele estava ferrado pra voltar. Era nitido que ele estava puto em jogar daquela forma.

...o renato não precisa ficar tomando pancada no tornozelo, ele vem com a bola dominada e ai ele é um dos jogadores mais técnicos do país, sem contar o fato de que vai ganhar confiança física, já que é um jogador que sofre com lesões.

...e o segundo atacante, Malcom ou Sheik, sabem o que precisam fazer em campo. Não é mais aquele negócio de 'fica lá na frente, dribla e cruza ou chuta'.

Phillipe #91 @phillipe.eduardo em 14/02/2015 às 13:09

" "

Por isso que falo que o Corinthians não joga 4-1-4-1 como muitos time jogam nesse 1 o volante tem que ser tipo um Shw ou Pirlo os caras que saiem com a bola.. Já o Corinthians o Renato tem que volta até a linha do Ralf para pegar essa bola para fazer as jogadas por isso que falo que o Corinthians trabalha mais no sistema 4-3-3 do que o sistema 4-1-4-1 tão dito.

Sendo na linha de 3 da frente como falei, Sheik esquerdo, Guerrero/Danilo Centro e Elias na direita sendo que esses jogadores mudam de posição já que Guerrero vai do centro para direita e Sheik abre o corredor para esquerda, o Elias vem por dentro para fazer as famosas infiltrações.

Ronaldo Juniior #92 @ronaldoo em 14/02/2015 às 14:48

Bela análise.

Wesley Rafael #1.361 @wrafael em 14/02/2015 às 14:34

Muito boa analise parabéns, eu queria muito a entrada do Bruno Henrique nesse time, ele marca bem, tem uma boa saída de bola, tem um ótimo chute, o Tite vem preferindo a entrada do petros que eu acho um erro já que esse só sabe marcar igual o Ralf. E digo mais acho que com a entrada do Malcom nesse time, ia ficar muito parecido com o Real, uma boa defesa e um contra-ataque mortal.

Carlos Da Silva #112 @carlos.da.silva1 em 14/02/2015 às 14:30

Isso a imsmo manow