Andrés Sanchez assume supervisão das obras do estádio do Corinthians

Andrés Sanchez assume supervisão das obras do estádio do Corinthians

3.4 mil visualizações 21 comentários Comunicar erro

Andrés Sanchez, presidente do Corinthians de 2007 a 2011

Andrés Sanchez, presidente do Corinthians de 2007 a 2011

Foto: Bruno de Lima

Fora da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) desde o fim de novembro, Andrés Sanchez é o homem do Corinthians à frente da construção do estádio do clube na região de Itaquera, em São Paulo. Mesmo sem um cargo específico na hierarquia corintiana, o ex-presidente assumiu a função que era de Luis Paulo Rosemberg até o fim de 2012 e passou a cuidar do dia-a-dia das obras. O Itaquerão será palco da abertura da Copa do Mundo de 2014.

"Ele está à frente do estádio. Trabalhou nisso desde o início e seguirá", afirmou Mario Gobbi, atual presidente, ao UOL Esporte em um evento na sede da FPF (Federação Paulista de Futebol) na última quinta. O cartola negou, entretanto, que Sanchez ocupará um cargo formal no clube.

"Chamar o Andrés para algum cargo seria humilhá-lo. Quem foi presidente, que é o cargo maior, não pode ser chamado para outra função. Ele vai ajudar como sempre fez", explicou Gobbi.

Andrés foi, ao lado de Luís Paulo Rosemberg, o principal entusiasta da construção do estádio corintiano. Aliado de Ricardo Teixeira e filiado ao PT, articulou com a CBF e o Governo Federal para emplacar o estádio na Copa de 2014 no lugar do Morumbi, que foi vetado pela Fifa (Federação Internacional de Futebol).

Depois de deixar a presidência do Corinthians no fim de 2011, Andrés virou diretor de seleções da CBF, mas nunca se afastou completamente do projeto do estádio. Em novembro, por uma divergência com o sucessor de Teixeira, José Maria Marin, em relação à continuidade de Mano Menezes como treinador, o corintiano deixou a entidade.

Pouco depois, Rosemberg anunciou seu afastamento de algumas funções que acumulava no Corinthians, entre elas a maior parte das negociações pelo estádio. Agora, Andrés é quem toca o dia-a-dia do projeto. É ele quem conversa com fornecedores, decide questões pendentes e, principalmente, participa das discussões sobre o equacionamento financeiro, ainda indefinido.

O Corinthians e a Odebrecht seguem tentando a liberação do empréstimo de R$ 400 milhões do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social). O problema é que o Banco do Brasil, que serviria como avalista da operação, não aceita as garantias oferecidas pela empreiteira, que ainda negocia.

A assessoria de Andrés confirma a nova função do dirigente. Ele faz questão de frisar, no entanto, que a última palavra segue sendo de Mario Gobbi. "Ele que é o presidente, ele que manda", resumiu Andrés em sua participação no Arena Sportv, na última segunda.

Fonte: uol

Veja Mais:

  • Atacante foi oficializado na manhã desta quarta-feira

    Corinthians oficializa contratação de Matheus Matias, artilheiro do Brasil na temporada

    ver detalhes
  • Balbuena segue sem estender vínculo com o Corinthians

    Corinthians aciona Vampeta para tentar ajudar na renovação de Balbuena; clube se pronuncia

    ver detalhes
  • Vilson está afastado dos gramados desde março de 2017, quando passou por cirurgia

    Corinthians paga R$ 60 mil por atraso de 13 meses e quita dívida pela contratação de Vilson

    ver detalhes
  • Timão recebe o arquirrival Palmeiras na Arena neste sábado

    Torcida garante 33 mil ingressos para primeiro Dérbi de 2018; venda física começa nesta quarta

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes