Gigantes constroem o clássico mesmo em obras

Gigantes constroem o clássico mesmo em obras

Oswaldo de Oliveira e Mano Menezes assumiram nesta temporada

Oswaldo de Oliveira e Mano Menezes assumiram nesta temporada

Foto: D.A.Jr./Agência Corinthians

Santos e Corinthians terminaram o Paulistão passado em alta. Disputaram a final -; vencida pelo Timão -;, possuíam bons times e estavam de bem com suas torcidas. Mas a coisa mudou no segundo semestre de 2013. O rendimento caiu, as campanhas no Brasileirão foram apenas razoáveis e, nesta quarta, às 22h, na Vila Belmiro, os dois gigantes se enfrentam em processo de construção.

As mudanças no Peixe foram muito mais significativas dentro de campo. Da equipe que atuou na final do ano passado, só Bruno Peres, Arouca e Cícero estão à disposição. Neymar, principal estrela, foi para o Barça e até no banco houve substituição: saiu Muricy Ramalho, entrou Oswaldo de Oliveira.

Tantas alterações fizeram o time comemorar o sétimo lugar no Campeonato Brasileiro, já que a expectativa era muito pior. Neste Paulistão, segue o processo de retomada.

Garotada em campo, Montillo saindo, Leandro Damião chegando e ainda uma busca pela melhor forma de atuar. Busca que deixa o time em segundo do Grupo C, com sete pontos, atrás do São Bernardo.

mentalidade/ Vice-líder do Grupo B, com os mesmos seis pontos do Botafogo, mas perdendo por 2 a 1 no saldo de gols, o Corinthians passa por uma reconstrução muito mais mental do que técnica.

Os jogadores são praticamente os mesmos da final estadual de 2013. Paulinho e Edenílson saíram e Alessandro se aposentou, mas o restante permaneceu para esta temporada. Uendel e Fagner foram os únicos reforços confirmados.

A mudança, então, está mais em tentá-los fazer retomar o futebol perdido no segundo semestre do ano passado. Para isso, Mano Menezes entrou no lugar de Tite disposto a chacoalhar a equipe.

Nada melhor do que um clássico para mostrar a corintianos e santistas em qual estágio de evolução os times estão.

Damião está fora e Fagner, mesmo regularizado, também

A regularização de Leandro Damião está mais complicada do que foi sua negociação. O Inter, seu antigo clube, só aceita liberar toda a documentação depois de receber a segunda parcela do pagamento, ainda não quitada.

Assim, o departamento jurídico do Peixe acredita que não dê tempo de regularizá-lo até a partida de hoje à noite. Mesmo sabendo que, de acordo com as normas da Federação Paulista de Futebol, o jogador pode ser inscrito na competição até cinco minutos antes de a bola rolar.

A esperança santista é de acertar a situação até o fim da semana, para Oswaldo escalá-lo no sábado, contra o Botafogo, na Vila. Enquanto isso, Jorge Eduardo, atacante do sub-20, será o titular. Geuvânio, que vinha jogando, sentiu uma lombalgia.

Se Damião não pode jogar por questões burocráticas, com Fagner, no Timão, a ausência foi por opção de Mano Menezes.

O Wolsfburg, da Alemanha, dono de seus direitos econômicos, enviou os dados que faltavam para a regularização e o nome do jogador, emprestado até dezembro deste ano, apareceu no BID.

Mano, contudo, acha melhor esperar e não relacionou Fagner. 'O planejamento que fizemos é para o próximo fim de semana', disse. Diego Macedo segue como titular na lateral direita alvinegra.

opinião: Renan Cacioli - editor assistente de Esportes do DIÁRIO

Pressão sobre o Timão é maior

O Santos sem Neymar, como se esperava, não empolgou. Mas acabou sendo razoável em 2013 e, neste ano, vem contratando gente de peso, mantendo o elenco... Já o Corinthians não perdeu quase ninguém (além de Tite), mas, inexplicavelmente, o campeão mundial de 2012 virou uma equipe monótona. Obviamente, a pressão sobre o Timão é -; e tende a ser -; maior. O Mano terá de se virar para reorganizar a casa.

Mano Menezes volta a cobrar Pato e nega orientação tática

Mano Menezes e Alexandre Pato realmente começaram a relação no Timão com o pé esquerdo. O camisa 7 reclamou de seu posicionamento e das críticas recebidas diante do São Bernardo, ouviu uma bronca do treinador e, ontem, teve espaço para mais um puxão de orelha.

'O conjunto da obra (de Pato) é importante e ainda não está bom. Por isso, o torcedor não deu o aval. O nível de exigência é do tamanho do investimento que foi feito', falou o técnico.

Mas não pense que parou por aí. Mano fez questão de dizer que não pediu a Pato para jogar parado na frente, como o atacante comentou.

'Só temos um centroavante no plantel e ele se chama Paolo Guerrero. Só a ele é pedido para jogar de centroavante. Fui claro. Só temos um, estou confirmando, só peço a Guerrero para jogar de centroavante. Aos outros, peço que joguem de atacantes', falou Mano.

Seja por causa dos puxões de orelha ou da má atuação, Pato deve esquentar o banco no clássico de hoje à noite. Guerrero, o único centroavante do elenco, será o titular.

Fonte: Diário de São Paulo

Veja Mais:

  • Clayton disputou 14 jogos, marcando dois gols

    Corinthians e Atlético-MG finalizam últimos detalhes para devolução de Clayton

    ver detalhes
  • Carille definiu os jogadores que iniciam o duelo contra a Chapecoense

    Carille saca Clayson, mantém Jadson fora e escala Corinthians para enfrentar Chapecoense

    ver detalhes
  • Danilo volta a ser opção para Carille

    Sem Jadson e com Danilo, Corinthians relaciona 22 jogadores para viagem a Chapecó

    ver detalhes
  • Pablo pode voltar a jogar pelo Corinthians neste sábado

    Pablo treina no gramado, mas DM do Corinthians ganha novos 'pacientes'; veja lista

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes