Perto de recorde histórico, Corinthians entra no clássico pra não tomar gols

Perto de recorde histórico, Corinthians entra no clássico pra não tomar gols

Por Meu Timão

Ao lado de Cássio, Cleber, Ralf, Gil compõe a 'Muralha Alvinegra'

Ao lado de Cássio, Cleber, Ralf, Gil compõe a 'Muralha Alvinegra'

19 minutos é o tempo que o Timão precisa segurar sem tomar gols para bater o recorde histórico. Se conseguir, a defesa composta por nomes como Cássio, Cléber, Gil e Ralf irá ultrapassar o recorde da equipe. Mas é claro, que, para Mano Menezes o principal não é somente bater o recorde, como ampliá-lo - e por isso o plano é passar pelo clássico com vitória e sem sofrer gols.

Curiosamente, a última vez que a defesa corintiana sofreu um gol foi exatamente quando enfrentou o São Paulo, pelo Campeonato Paulista. Desde então são 7 jogos e 641 minutos sem ver a bola entrar contra as redes corintianas.

Caso consiga o feito, Mano e seus comandados ultrapassa o recorde das últimas décadas, superando a equipe comandada por Vanderlei Luxemburgo, que alcançou a marca dos seis jogos, ou 659 minutos em 2001.

Para Mano, a atenção redobrada na defesa é o que fortalece o ataque, e o treinador continua apostando no sistema defensivo do time. Apesar disso, quando pergutado sobre sua preferência tática, o técnico garante preferir um time equilibrado e reforça o esforço do Corinthians em complementar o elenco no setor ofensivo.

Veja Mais:

  • Jogadores da Seleção Brasileira cantando 'Timão Ê Ô'

    VÍDEO: Jogadores da Seleção Brasileira cantando 'Timão Ê Ô'

    ver detalhes
  • Tite concedeu entrevista na Arena nesta segunda-feira

    Tite explica comemoração na Arena Corinthians; Fagner será titular

    ver detalhes
  • Marcelinho Paulista pode voltar ao Timão para comandar cargo na base

    Ex-volante é cotado para assumir gerência da base do Corinthians

    ver detalhes
  • Carlinhos está recuperado de cirurgia no púbis

    Artilheiro da Copinha faz primeiro treino no Corinthians após cirurgia

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes