Mano Menezes busca explicações, elogia adversário e rechaça menosprezo

Mano Menezes busca explicações, elogia adversário e rechaça menosprezo

Por Meu Timão

Mano orienta a equipe no gramado

Mano orienta a equipe no gramado

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Após a derrota para o Figueirense, 1 a 0, na inauguração da Arena Corinthians, o treinador do Timão, Mano Menezes, concedeu entrevista coletiva na moderna sala de conferências do estádio. Aqui no Meu Timão o torcedor confere um compacto da sabatina dos jornalistas ao treinador. Abaixo, os principais trechos transcritos.


A inoperância ofensiva
Penso que encontramos dificuldades esperadas porque o jogo se desenhava dessa maneira. Figueirense esperando a gente, bem posicionado e nós tendo que tomar a iniciativa do jogo para construir. Já na semana passada abordamos o assunto dizendo que nos defendíamos bem, mas faltava a outra parte da equipe. Logo enfrentaríamos dificuldades contra equipes que se fechassem.

A derrota
Tomamos um gol e isso era tudo que não poderia acontecer. E com isso, estamos muito tristes e decepcionados.

Menosprezo por tratar o Figueirense como "adversário perfeito" motivou adversário?
Não acredito que isso tenha sido crucial para o resultado do jogo. No futebol também se perde motivado. E de qualquer forma isso foi coisa da imprensa, não nossa.

Faltou garra?
Não acho que faltou garra ao Corinthians. No segundo tempo construímos ao menos para um empate.

Com o estádio, Corinthians subirá de padrão?
Os estádios não jogam futebol, as equipes sim. O que é comum acontecer quando se constrói um estádio dessa grandeza é construir um time equivalente. É isso que estamos tentando, mas não é fácil como as pessoas pensam. Já avançamos nesse aspecto, mas ainda falta.

Renato Augusto e Jadson
Vamos esperar um pouco. É a primeira vez que Renato Augusto faz noventa minutos. Procurou o jogo e teve lucidez. Jadson esteve abaixo do que é Jadson, mas a equipe toda esteve. Não é justo individualizar nessa hora. É preciso ter continuidade, não mudar tudo após um momento que deu errado.

Ansiedade
Atrapalhou na primeira parte, é normal. Mas depois, quando levou o gol, inclusive, superou esse sentimento. Mas antes, durante o primeiro tempo, influenciou um pouco.

Veja Mais:

  • Clayton disputou 14 jogos, marcando dois gols

    Corinthians e Atlético-MG finalizam últimos detalhes para devolução de Clayton

    ver detalhes
  • Carille definiu os jogadores que iniciam o duelo contra a Chapecoense

    Carille saca Clayson, mantém Jadson fora e escala Corinthians para enfrentar Chapecoense

    ver detalhes
  • Danilo volta a ser opção para Carille

    Sem Jadson e com Danilo, Corinthians relaciona 22 jogadores para viagem a Chapecó

    ver detalhes
  • Pablo pode voltar a jogar pelo Corinthians neste sábado

    Pablo treina no gramado, mas DM do Corinthians ganha novos 'pacientes'; veja lista

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes