Corinthians conquista vitória na raça e cola no líder Cruzeiro

Corinthians conquista vitória na raça e cola no líder Cruzeiro

Por Meu Timão

Jogo foi truncado e com cartões amarelos e com a vitória do Timão!

Jogo foi truncado e com cartões amarelos e com a vitória do Timão!

Foto: Cabral/LANCEPress

Em pleno dia dos pais Corinthians e Santos entraram com objetivos diferentes em campo na Vila Belmiro. Enquanto o Timão buscava encostar ano líder Cruzeiro, o rival praiano tentava encostar no G4. O jogo, portanto, foi truncado, tenso e com poucos lances de efeito.

O Primeiro Tempo de Tensão E O Corinthians Com Um A Mais

O jogo começou com todas as atenções voltadas para a volta de Robinho para o rival santista. Contudo, o jogo foi tenso, muito disputado e com muitos cartões amarelos. O Santos teve mais poder de fogo e chegou a frente várias vezes. Thiago Ribeiro, Robinho e Arouca tiveram boas chances de marcar o gol, mas, em nenhum dos momentos, Cássio foi muito exigido.

A ligação do meio com o ataque do Timão não funcionou e a equipe teve dificuldades em encontrar o caminho do gol de Aranha. Apesar da eficiência abaixo da média do ataque Corinthiano, a defesa foi bem. A única chance clara de gol do Timão foi uma forte cabeçada do zagueiro Cleber para o chão que quase surpreendeu Aranha.

O sistema defensivo sofreu alguma pressão no começo da partida, mas com o avançar do tempo, a equipe se encontrou e conseguiu bloquear bem as investidas do ataque santista. Robinho só conseguiu fazer alguns dribles sem muito objetivo e os volantes alvinegros, Petros, Elias e Ralf, conseguiram segurar o ímpeto dos santistas.

O lado negativo do primeiro tempo ficou por conta das faltas duras cometidas. As duas equipes chegaram forte em vários momentos e vários princípios de tumulto aconteceram. Foram sete cartões amarelos e um jogador expulso.

Pelo lado do Corinthians os faltosos foram: Gil, Fábio Santos e Guerrero. Já pelo lado praiano: David Braz, Lucas Lima e Alisson (2 cartões e expulso).

Segundo Tempo Começa Sem Mudanças

Mesmo com um jogador a menos, o Santos acabou voltando com a mesma formação da primeira etapa, o Corinthians, por sua vez também voltou com os mesmo jogadores. A expectativa era que o jogo se desenhasse em um cenário de pressão corinthiana e a busca por um contragolpe por parte do Santos.

Os primeiros minutos do segundo tempo, de fato, foram assim. O Santos conseguia segurar bem a bola, mas pouco perigo oferecia ao gol do Timão. Uma das poucas chances de gol, Robinho roubou uma bola de Guilherme Andrade, dentro da área, e quase conseguiu marcar o tento.

Assutado com o vacilo do lateral, Mano Menezes fez sua primeira alteração: entra Ferrugem, sai Andrade. Do lado do Santos, Oswaldo de Oliveira tirou Leandro Damião e colocou o volante Alan Santos. O jogo, como era o esperado, se desenvolvia em uma maior posse de bola do Timão contra a velocidade do time santista.

Após as alterações, o Santos se fechou mais ainda e o jogo truncou. Pensando em buscar a vitória, Mano Menezes, aos 14 minutos de jogo, fez um alteração ousada: tirou o regular Petros e colocou o habilidoso Renato Augusto. O meia, com fome de jogo, conseguiu, logo de cara, boas chances para o Timão.

E, essa abertura da equipe, acabou gerando ataques perigosos da equipe santista. A mais aguda dessas jogadas contou com a habilidade de Robinho, a velocidade de Thiago Ribeiro e o chute de Lucas Lima.

O Timão, entretanto, não conseguia criar. Apesar da maior posse de bola, o Corinthians não conseguia criar nada e o goleiro Aranha assistia ao jogo. Guerrero, Romero, Renato Augusto e Jadson não produziam muita coisa e, mesmo com um jogador a mais, o Corinthians sofria com os contra-ataques do Santos. O jogo ficava perigoso e cheio de tensão.

Para tentar mudar o resultado da partida, Romarinho foi chamado por Mano Menezes e entrou, aos 27 minutos do segundo tempo, no lugar do camisa 10, Jadson.

O treinador tentava avançar, ainda mais, sua equipe em busca da vitória. Do outro lado, Rildo entrou no lugar de Thiago Ribeiro para dar ainda mais velocidade ao time do Santos.

O Corinthians acabou melhorando na partida e Elias teve uma grande chance de marcar o gol do Timão.

Após uma boa bola de Ferrugem e um chute fortíssimo, o goleiro Aranha teve que, enfim, fazer a primeira grande defesa da partida. O Timão crescia no jogo de maneira calma, organizada e aproveitando os espaços.

Com 35 minutos de jogo, Robinho saiu para a entrada de Geuvânio. A defesa alvinegra, aparentemente, teria mais paz e o ataque poderia pressionar ainda mais a defesa do Santos. O jogo se tornaria um ataque contra defesa nos minutos finais.

O lateral Ferrugem, que acabou entrando muito bem na partida, forçou Aranha a fazer uma grande defesa aos 38 minutos do jogo.

Enfim, o gol

Após a grande defesa do goleiro santista, o prêmio do Timão. Escanteio para o Corinthians, Renato Augusto na bola. O ótimo zagueiro Gil subiu sozinho, com estilo e tirou do goleiro Aranha.

Era o gol do Timão. Na raça, na vontade e na organização! O Corinthians marcava no final do jogo e reduzia para três pontos a vantagem do líder Cruzeiro.

Com o forte sistema de marcação do Corinthians, o Santos não teve chances e não conseguiu ameaçar Cássio. O Timão sai da Vila Belmiro com três pontos importantíssimos na busca pelo título do Brasileirão.

Uma grande atuação do sistema defensivo alvinegro e um grande prêmio pela pressão, organização e inteligência da equipe corinthiana.

O próximo compromisso do Timão no campeonato brasileiro é contra o Bahia, no dia 16, na Arena Corinthians.

Veja Mais:

  • Corinthians volta a jogar nesta segunda pela Liga Nacional

    Corinthians encara 'reforçado' Sorocaba na primeira final da Liga Nacional

    ver detalhes
  • Pelada registrada no Amapá, onde Caio presenciou o tradicional 'futilama'

    Do Amapá à Antártida: torcedor do Corinthians, fotógrafo percorre o mundo em busca de peladas

    ver detalhes
  • Cerca de 200 integrantes de organizadas foram ao Pacaembu neste domingo

    Ato de organizadas tem gritos de 'Vamo Chape' e pedido por liberdade nos estádios

    ver detalhes
  • Kalil, à direita de Roberto de Andrade, pediu licença de 60 dias

    Vice-presidente solicita licença do cargo e dispara contra diretoria do Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes