Diretoria minimiza erros de arbitragem contra o Timão

Diretoria minimiza erros de arbitragem contra o Timão

Por Meu Timão

1.0 mil visualizações 45 comentários Comunicar erro

Mano Menezes é um dos que mais reclamam da arbitragem

Mano Menezes é um dos que mais reclamam da arbitragem

Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

O Corinthians não quer saber de briga nem reclamações sobre arbitragem - pelo menos foi essa a mensagem do diretor de futebol Ronaldo Ximenes. O dirigente minimizou os últimos erros de arbitragem contra o Timão, e garantiu que não vê perseguição.

A ordem no Parque São Jorge é que jogadores e comissão técnica evitem quaisquer discussões sobre erros de arbitragem. A mensagem parece ir especialmente para o técnico Mano Menezes, que tem sido efusivo em suas reclamações contra os juízes.

Para a diretoria, as reclamações constantes tem prejudicado a concentração do time, e prejudicam o foco da equipe que deveria apenas pensar em vencer os jogos. Ximenes opinou ainda que os erros são normais, e que a situação não é exclusiva do Corinthians.

A diretoria garantiu que está atenta, e que se vier a perceber alguma tendência contra o Timão, irá se manifestar. A conduta da diretoria buscar minimizar as polêmicas em episódios que poderiam prejudicar o Corinthians com possíveis punições.

Veja Mais:

  • Técnico da equipe colombiana não poupou elogios ao Corinthians

    Técnico do Millonarios se impressiona com Corinthians: 'Um dos favoritos ao título'

    ver detalhes
  • Paulo Roberto deve ser titular diante do Internacional

    Reapresentação do Corinthians indica um único titular contra Internacional; Sheik é ausência

    ver detalhes
  • Rodriguinho jogou amistoso pelo Brasil em junho de 2017, contra Austrália

    Rodriguinho, do Corinthians, compõe lista de suplentes da Seleção para Copa do Mundo

    ver detalhes
  • Estacionamento da Arena possui capacidade para comportar 1,3 mil veículos

    Corinthians supera imbróglio e anuncia nova gestora do estacionamento da Arena

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes