Adriano é denunciado por tráfico de drogas e associação ao tráfico

3.6 mil visualizações 63 comentários

Por Meu Timão

Adriano faltava mais que vinha nos treinos do Corinthians

Adriano faltava mais que vinha nos treinos do Corinthians

Daniel Augusto/ Agência Corinthians

O atacante Adriano, que tenta retomar a carreira no futebol francês, foi denunciado pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro nesta terça-feira. A acusação é grave: tráfico de drogas e associação ao tráfico de drogas. O primeiro crime prevê pena de até 15 anos de reclusão, e o segundo, dez. Além disso, também pode responder por falsificação de documento.

Adriano desembarca na França para conhecer estrutura de time que quer contratá-lo
O caso será avaliado pela 29ª Vara Criminal do Rio, que vai decidir se acata ou não a denúncia oferecida pelos promotores. A denúncia foi feita pela 1ª Central de Inquéritos do Ministério Público do Rio de Janeiro.

Na denúcia, o promotor não vê a necessidade de prisão de Adriano, mas pede que seu passaporte seja recolhido, pela "possibilidade de fuga do jogador, por ser "pessoa com elevados recuros financeiros".

Para a denúncia, a promotoria se baseou em investigação da polícia que mostrou que Adriano comprou uma moto potente para um traficante da Vila Cruzeiro, comunidade onde o jogador cresceu e continuou indo mesmo depois da fama.

De acordo com a denúncia, Adriano, junto com um amigo (Marcos José de Oliveira), "consentiu que outrem utilizassem de bem de que tinham propriedade e posse, para o tráfico ilícito de drogas".

A moto comprada por Adriano, de 600 cilindradas, em 2007, foi colocada em nome da mãe do traficante Paulo Rogério de Souza Paz, o "Mica", que seria amigo de Adriano.

De acordo com o promotor do caso, na época da compra da moto a comunidade da Vila Cruzeiro era dominada pela facção Comando Vermelho, na qual Mica fazia parte. E era ele a "pessoa que autorizava ou não a entrada e saída de pessoas e a realização de eventos na região".

Para isso, "os traficantes necessitavam de veículos velozes, em especial motocicletas, pela agilidade no tráfego, que fossem legalizados e não levantassem suspeitas quando transitassem fora das comunidades dominadas pela organização criminosa." Uma outra moto, do mesmo modelo e no nome de Adriano, também teria realizado essa missão.

Pelo raciocínio da promotoria, o ex-atacante do Flamengo e da seleção e seu amigo "livre e conscientemente, ao colaborarem para a atividade do tráfico de entorpecentes, se associaram aos traficantes em atividade na Vila Cruzeiro, com a finalidade de facilitar o tráfico ilícito de drogas e as atividades afins,"

Veja Mais:

  • Corinthians fica no empate por 1 a 1 com o Ituano, na Arena, em seu último compromisso antes da paralisação

    Clubes e FPF se reúnem nesta sexta-feira para alinhar retorno do Campeonato Paulista; veja detalhes

    ver detalhes
  • O 1º jogador negro do Corinthians: medo de punição e preconceito pós-escravidão

    VÍDEO: O 1º jogador negro do Corinthians: medo de punição e preconceito pós-escravidão

    ver detalhes
  • Sem espaço no Corinthians, volante Thiaguinho defende o CRB atualmente

    Meu Timão entrevista volante Thiaguinho em live nesta quinta-feira; saiba como assistir

    ver detalhes
  • Corinthians pretende bater o martelo sobre Jô até o final deste mês

    Corinthians e Jô tentam equacionar diferença financeira para acordo; diretoria trabalha com prazo

    ver detalhes
  • Cássio participou de uma entrevista virtual coletiva nesta quinta-feira

    Cássio reforça discurso de maior corte salarial no Corinthians para evitar demissões

    ver detalhes
  • Bruno Méndez (20), Lucas Piton (19) e Carlos Augusto (21) são considerados três dos principais ativos do Corinthians, com boa chance de venda ao exterior

    Novo Pedrinho? Corinthians tem 22 jogadores com idade para despertar interesse de clubes de fora

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: