Mano acredita que sua situação foi 'mal conduzida' pela diretoria do Corinthians

Mano acredita que sua situação foi 'mal conduzida' pela diretoria do Corinthians

Por Meu Timão

Mano Menezes foi o convidado do Arena Sportv

Mano Menezes foi o convidado do Arena Sportv

O treinador corinthiano, Mano Menezes, foi o convidado da vez do programa Arena Sportv. O comandante aproveitou a oportunidade para comentar sua situação no Coringão para o ano que vem.

Com contrato até o final da atual temporada, o técnico admitiu que não gostou da forma pública como a diretoria tratou do assunto. Graças as eleições em fevereiro, o presidente Mário Gobbi Filho anunciou que não renovaria o contrato do treinador e que o time começaria o ano com um interino.

- O Corinthians falou bastante por aí, pela declaração do presidente de que não ia renovar comigo pelas questões administrativas e políticas do clube. Isso criou uma interpretação antecipada do que o Corinthians queria fazer e até criou um certo constrangimento. A questão foi mal conduzida e exigiu da gente muito profissionalismo em um momento importante da temporada. Era provável que os jogadores relaxassem também, então tive que mostrar que tínhamos coisas mais importantes independe da minha situação. Minha decisão vou tomar depois do Brasileiro, não é hora de falar nem para cá nem para lá - disse o treinador.

No 'Arena SporTV' do dia 6 de outubro, Gobbi disse aos comentaristas que não iria renovar o vínculo de Mano ao fim da temporada e que a decisão em relação a isso ficaria com o presidente eleito no pleito do dia 1º de fevereiro. Mano, por sua vez, demonstrou chateação e disse que não foi procurado por nenhum candidato à presidência para conversar:

- Não deveria ter sido conduzida da maneira como se conduziu. Tem gente que tratou publicamente e não era assim que deveria ser feito (...) No Corinthians é difícil interpretar algumas coisas porque se fala uma linguagem internamente e outra externamente. No futebol de um modo geral é assim, mas no Corinthians é mais. Como existe eleição no início do ano que vem e tudo envolve questões políticas e estratégias de eleição, tenho de ficar a margem de tudo isso. A gente não pode se envolver, senão fica uma mistura grande e pode piorar. Eu, diretamente, não recebi nada de ninguém - afirmou.

Questionado sobre se ficaria no comando técnico do Corinthians, Mano disse que, da forma como foi tratado pela diretoria, não sabe se quer continuar na próxima temporada.

- Depende muito da relação de confiança que se estabelece no trabalho. Entre técnico e direção tem de ter 100% de confiança. O técnico vai errar e acertar, vai ganhar e vai perder, mas tem de ter respaldo. Não se pode trabalhar em um lugar onde na primeira ou segunda derrota você volte a ser questionado porque as preferências podem ser outras. A direção tem de pensar dessa forma e eu também - afirmou.

No final do programa, Mano aproveitou para destacar a ótima relação que tem com Mário Gobbi.

- Me relaciono muito bem com o Gobbi, desde 2008 a relação é muito boa. Ele como vice-presidente de futebol, a palavra dita na segunda-feira valia domingo, só mudava quando sentava e repensávamos o rimo. Era como é até hoje entre eu e ele - finalizou.

Veja Mais:

  • Oswaldo defendeu utilização da cor verde em homenagem à Chapecoense

    Oswaldo comenta tragédia da Chapecoense e é mais um a defender cor verde no Corinthians

    ver detalhes
  • Sala de cabines de TV da Arena passa a ser chamada Lilácio Pereira Jr.

    Corinthians batiza sala de transmissões da Arena em tributo a vítima de acidente

    ver detalhes
  • Golaço de Marlone sobre Cobresal rendeu a ele indicação ao Puskás

    Marlone supera Messi e Neymar e vai à final do Prêmio Puskás da Fifa

    ver detalhes
  • Luidy (boné) conheceu o CT Joaquim Grava na última quinta-feira

    Contratação do Corinthians vai ao CT pela primeira vez

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes