Ximenes divulga carta contra Andrés e pede fim de ditadura no Timão

Ximenes divulga carta contra Andrés e pede fim de ditadura no Timão

Por Meu Timão

Ronaldo Ximenes divulgou carta oficial com declaração contra Andrés Sanchéz

Ronaldo Ximenes divulgou carta oficial com declaração contra Andrés Sanchéz

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

O clima dentro dos bastidores do Corinthians não é nada bom. Nesta quinta-feira, o ex-diretor de futebol, Ronaldo Ximenes, e o superintendente de futebol, Andrés Sanchéz, trocaram farpas e acusações.

Depois de participar de uma entrevista na Radio Central 3, Ximenes viu Andrés rebater as suas declarações e chamá-lo de mentiroso publicamente. O ex-presidente do Corinthians disse que Ximenes assinava contratos e ninguém tinha conhecimento e que a culpa da Arena ainda não ter naming rights é do ex-diretor.

Ronaldo Ximenes, por sua vez, também rebateu. Ele divulgou uma carta oficial, enviada por e-mail, onde nega as informações ditas por Sanchéz e insinua que deve entrar com um processo contra atual superintendente do Timão.

Confira a nota oficial de Ximenes na íntegra

"Ontem, 7 de maio de 2015, participei do programa Timoneiros, da Radio Central 3. Em programa de alto nível expus minha opinião sobre alguns temas ligados ao Corinthians.

Participei do programa partindo do pressuposto que vivemos em um país livre e democrático, onde podemos, desde que civilizadamente, apresentar nossas idéias. E foi isso que fiz.

Todavia, o ex-presidente do Corinthians, Sr. Andrés Sanchez, a quem eu sempre tratei com o devido respeito, procurou a imprensa para responder a minha entrevista, ocasião que atacou a minha honra e imagem. Considerando que fui atacado nesta seara apresento esta carta de esclarecimento e dou por encerrado o dialogo com o referido senhor, com o qual somente voltarei a falar, eventualmente, na esfera judicial ou em qualquer Comissão de Ética das instituições que participamos.

Em relação aos demais leitores que acompanharam essa manifestação, informo que em nenhum momento me calarei diante da minha consciência.

Tenho certeza que como diretor de futebol cometi acertos e erros, como qualquer ser humano está sujeito. Nunca assinei contratos, pois quem assina é o presidente, mas aqueles assinados por ele sei que sempre foram idôneos. Sofri preconceito de muitos porque nunca tinha passado pelo futebol profissional ou amador. Passei também por problemas particulares que impediram em um curto espaço de tempo de desempenhar minhas funções. Dificuldades financeiras também estiveram presentes como a premiação do Paulista, vencido em maio de 2013 e paga somente no ano passado.

Contudo, conseguimos no ano de 2014 reformular o elenco e chegar ao 4º lugar do Brasileiro, classificando para a Libertadores. Poderia sempre ter sido melhor, mas acho que diante das circunstâncias foi um ano vitorioso. Ressalto que trabalhei muito para isso. Não espero o reconhecimento de ninguém, muito menos ser um agente influenciador. Peço somente o respeito a um ser humano bem intencionado que fez o melhor que pode.

No mais, ressalto que o meu objetivo hoje no Corinthians é lutar pela sua democratização de verdade, para que nunca mais voltemos a ter ditadores. Isso somente é possível com o fim do CHAPÃO e com maior participação do FIEL TORCEDOR"

Veja Mais:

  • Campeonato Brasileiro agora tem quatro, e não três, vagas à fase de grupos da Libertadores

    Conmebol anuncia novidade, e Corinthians volta ao páreo por vaga direta na Libertadores

    ver detalhes
  • Alan Santos tem conversas avançadas com Corinthians

    Corinthians negocia contratação de volante do Coritiba, diz portal

    ver detalhes
  • Giovanni Augusto treinou como lateral nesta terça-feira

    Giovanni na lateral, mudança na zaga e susto de Rildo: o treino desta terça do Corinthians

    ver detalhes
  • Corinthians encara o Cruzeiro neste domingo, no Mineirão

    Resultado no Mineirão vale mais que os três pontos para Corinthians e Cruzeiro; entenda

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes