Recuperado, Leandro Castán comemora retorno e promete pancadas em Messi

Recuperado, Leandro Castán comemora retorno e promete pancadas em Messi

Por Meu Timão

O ex-corinthiano Leandro Castán voltou a atuar pela Roma

O ex-corinthiano Leandro Castán voltou a atuar pela Roma

Foto: Reprodução

O ex-corinthiano Leandro Castán, recuperado da operação de um cavernoma no cérebro, voltou aos gramados vestindo a camisa da Roma, da Itália. Em dezembro de 2014, o jogador foi submetido a um procedimento cirúrgico, que durou três horas e meia, e recebeu alta do hospital pouco mais de uma semana depois. Porém, a recuperação total só se deu por completa no último mês.

Hoje, titular absoluto no clube italiano, teve seu contrato renovado por mais quatro anos e manteve seu salário no nível pago na Europa. Inclusive, na última sexta-feira, em um amistoso contra o Barcelona, no Camp Nou, o brasileiro marcou estrelas como Messi, Neymar e Suárez. Apesar do resultado desfavorável à Roma - 3 a 0 -, o zagueiro revelou a empolgação em jogar ao lado do "melhor do mundo".

"Fiquei muito feliz e trabalhei demais para isso. Comecei a me preparar desde o momento em que disseram que eu teria de operar para voltar a jogar. Esse jogo contra o Barcelona foi o quarto do qual eu participei. Ainda não atuei durante 90 minutos em nenhum deles, ainda estou fora de forma, mas foi muito especial", disse Castán, em entrevista ao Diário de S. Paulo.

"Eu brinquei que antes, sem o problema, nunca havia jogado contra ele (Messi). Aí agora, depois de um ano parado e com cirurgia na cabeça, fui encarar o melhor do mundo. Mas foram 45 minutos especiais e deu para me divertir. Vou trabalhar forte para, na próxima vez, conseguir enfrentá-lo 100%, para dar umas pancadas nele (risos)", completou.

No entanto, lembrando ainda da superação de uma cirurgia de grande porte, contou detalhes de sua recuperação. "Em janeiro, depois da cirurgia, senti muita dificuldade quando fui tocar na bola novamente. Tive de reaprender até a andar, a correr... Era tudo novo", revelou. "Nenhuma (sequela). Hoje, meu corpo já está melhor do que antes. O que falta é ritmo de jogo, velocidade, tempo de bola. Mas isso tem a ver com o fato de eu não disputar uma partida inteira, com 90 minutos, desde julho de 2014, na pré-temporada da Roma contra o Real Madrid, nos Estados Unidos", acrescentou.

E quando questionado sobre o carinho que ainda demonstra, principalmente nas redes sociais, pelo Corinthians, onde fez 111 partidas, três gols e conquistou o Campeonato Brasileiro de 2011 e a Libertadores de 2012, mostrou gratidão. "Tenho um respeito muito grande pelo Corinthians, porque, se estou na Roma, foi pela vitrine que o Corinthians me deu. É o time pelo qual eu torço no Brasil. Existe um carinho, respeito e gratidão enormes. E olha que já não tenho mais contato com ninguém do atual elenco ou da diretoria", afirmou.

Porém, feliz na Itália, descartou uma volta breve ao Brasil. "É difícil imaginar a volta ao Brasil neste momento. Estou muito feliz na Itália e minha esposa não quer voltar mais. A gente, inclusive, comprou uma casa aqui. Eu também não quero voltar. O plano é cumprir os três anos e, quem sabe, renovar. Depois, penso em tentar a carreira como treinador", concluiu.

Veja Mais:

  • Jadson pode ser relacionado para o clássico contra o Palmeiras

    Jadson pede para enfrentar o Palmeiras; desempenho contra o Água Santa será decisivo

    ver detalhes
  • Camacho e o pai Anizio Camacho

    Acidente em casa tira vida de pai de Camacho; mãe e irmão do jogador são hospitalizados

    ver detalhes
  • Atlético-PR e Coritiba preferiram não realizar a partida e enfrentaram o modelo tradicional do futebol

    Unidos, rivais peitam a Globo e acabam barrados pela Federação Paranaense

    ver detalhes
  • Roberto de Andrade pode ser afastado nesta segunda-feira

    Linha do tempo e opiniões de conselheiros: tudo sobre o tema impeachment no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes