Relembrando carreira, Fagner revela proposta de 'tratamento' inusitado

Relembrando carreira, Fagner revela proposta de 'tratamento' inusitado

Por Meu Timão

Fagner já fez 101 jogos e quatro gols pelo Timão

Fagner já fez 101 jogos e quatro gols pelo Timão

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Revelado nas categorias de base do Corinthians, o lateral-direito Fagner estreou pelo profissional do clube em 2006, no mesmo ano em que se transferiu para o PSV Eindhoven, da Holanda. No período da sua carreira em que ficou longe do Parque São Jorge, passou pelo Vasco e também pelo Wolfsburg, da Alemanha. Só então, oito anos depois, em 2014, o jogador voltou ao time onde tudo começou.

Com 1,68 de altura, o atleta, hoje aos 26 anos, recordou uma situação incomum vivida ainda nos tempos de terrão. Fagner chegou a receber uma proposta de "tratamento para crescer". Mas como tudo tem um "porém", o tratamento inusitado teria seu preço no futuro do jogador.

"Já me ofereceram tratamento para ficar mais alto. Teve treinador que falou para mim: 'Olha, quer fazer um tratamento para crescer?'. Minha família nunca teve condição, nunca faltou nada na minha casa, mas não tivemos condições de fazer coisas além do que era necessário. Então era assim: 'Você quer fazer um tratamento? Mas futuramente, eu quero participação'", relembrou o jogador, em participação ao quadro Papo de Boleiro, do programa Band Esporte Clube, da TV Bandeirantes.

Enquanto ainda estava na categoria juvenil, com 17 anos, fazia parte do time comandado por Ademar Braga e recordou-se perfeitamente de como foi sua ascensão ao profissional, que se deu na partida contra o Fortaleza, válida pelo segundo turno do Campeonato Brasileiro de 2006.

"O Ademar Braga, que era treinador do time B, na época, falou que três jogadores se apresentariam no profissional, e era eu, o Willian e o Daniel Grando. Meu pai me deixou na segunda-feira de manhã no clube, o Leão (técnico do Corinthians na época) fez um coletivo, treinei bem. Saiu a convocação para uma viagem para Fortaleza, e quando eu vi, meu nome estava lá! Chegou na hora do jogo, o Leão falou 'Fagner'", disse o lateral.

"Uma coisa que me marcou muito, foi a gente descendo para o túnel no intervalo, o Roger (meia) me puxou e falou: 'Joga normal, faz de conta que você está no juvenil e se errar, pode falar que a culpa é minha!'", acrescentou.

Quando memoriza sua volta ao Timão, sempre carrega um tom de gratidão ao clube que o revelou, ainda que só tenha feito apenas sete jogos como profissional e não teve seu contrato renovado na época.

"Eu saí e depois de oito anos eu voltei. Quando eu voltei para o Corinthians, eu pedi para usar a camisa 35 justamente por isso, porque os meus primeiros sete jogos aqui foram com a 35, quando eu era menino. Eu achei que tinha ficado uma história aberta entre eu e o clube, e eu queria retribuir isso de alguma maneira", concluiu.

Atualmente, o Corinthians é dono de 50% dos direitos econômicos de Fagner, que retornou em 2014, por empréstimo pelo Wolfsburg. Antes emprestado, a renovação em 2015 garantiu ao jogador um novo contrato com duração até dezembro de 2018. Neste momento, o lateral completou 101 jogos e quatro gols vestindo a camisa do Timão.

Veja Mais:

  • Internacional foi alvo de gafe da Fifa

    Fifa comete gafe, troca escudo do Internacional e põe foto do Corinthians no lugar

    ver detalhes
  • Guilherme foi o destaque da atividade coletiva pelo segundo dia consecutivo

    Dupla volta, e Oswaldo vê time titular brilhar em treino do Corinthians; veja a escalação

    ver detalhes
  • Sanchez denunciou também que Odebrecht abriu portas da Arena a repórteres, para mostrar 'somente o que quer'

    Andrés Sanchez se pronuncia sobre auditoria da Arena e critica Corinthians

    ver detalhes
  • Wagner pode reforçar o Corinthians em 2017

    Agente explica situação de Wagner e diz ter acerto contratual com Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes