Para Roberto de Andrade, depois de tantos títulos, corinthiano 'ficou mais exigente'

Para Roberto de Andrade, depois de tantos títulos, corinthiano 'ficou mais exigente'

Por Meu Timão

Presidente do Corinthians falou sobre a conquista de títulos

Presidente do Corinthians falou sobre a conquista de títulos

Foto: Marcelo Machado/Ag. Corinthians

Recopa Sul-Americana em 2013, Libertadores e Mundial de clubes em 2012, Campeonato Brasileiro em 2011, Copa do Brasil em 2009. A sequência de títulos conquistados pelo Corinthians nos últimos anos deixou o clube mal acostumado. Para o presidente Roberto de Andrade, com o tempo, o torcedor Alvinegro também sente as consequências da constante disputa por títulos recentemente.

"O torcedor também ficou, entre aspas, mal acostumado. Todos aqui trabalhamos para ter um grupo forte e ganhar tudo todo ano. Impossível? Sim, mas ganhamos muito", disse o mandatário em entrevista ao LANCENET!.

Dessa forma, o Timão acaba "pagando o preço" por ter ganho os troféus e participado de fases importantes de campeonatos distintos. Em decorrência do histórico, a pressão por novas conquistas, naturalmente, é maior.

"A palavra certa não é pagar, pois é uma satisfação. Só que ninguém aceita mais um deslize, por menor que seja. Ninguém tem mais paciência como tinha. O Corinthians ficou 20 e poucos anos sem título e a torcida só crescia. Será que se isso acontecer hoje – Deus queira que não – a torcida vai crescer ou só encolher? Que hoje ficou mais exigente, não tenho dúvida! Mas tá bom, isso não é ruim, até porque estamos aqui para fazer o futebol glorioso, nosso objetivo é ganhar", afirmou Roberto.

"Não é que aumenta, você fica mais aguçado para chegar ao título, óbvio, normal. Todas as pessoas que estão no futebol começam a enxergar até onde seu braço alcança. Quem está em décimo não dá para falar de campeonato, mas quem está em primeiro ou segundo, pode. Não só o Corinthians, tem cinco, seis clubes lá em cima que têm a real possibilidade", completou.

Em relação ao Campeonato Brasileiro 2015, que o clube do Parque São Jorge lidera, com 43 pontos, o presidente considerou uma possível queda e consequente ausência de título nesta temporada, vendo o acontecimento como "aceitável".

"Por que não? Acho normal, nós não temos a obrigação de ganhar título todo ano. Queremos? Sim, todo dia. Mas não obrigação. Temos elenco forte, mas e se alguém tiver um elenco mais forte e melhor? A competição é com os outros, não conosco", ponderou.

"Obrigação é estar na cabeça do Brasileiro. Campeão, vice-campeão, terceiro lugar... O Corinthians não pode ficar fora dessas posições. Isso leva à Libertadores, então é", finalizou, projetando a participação na competição sul-americana no próximo ano.

Veja Mais:

  • Renê Júnior foi apresentado no início da atual temporada

    Mesmo sem clube quando contratado, Renê Júnior custará R$ 5 milhões aos cofres do Corinthians

    ver detalhes
  • Torcida espera que trio esteja logo a disposição de Carille

    Renê Júnior, Sheik e Henrique: saiba como está a condição física dos reforços do Corinthians

    ver detalhes
  • Kazim destoou em goleada corinthiana sobre São Caetano; Neto 'pediu cabeça' do atacante

    Com até cutucada em Tite, Neto detona manutenção de Kazim como titular do Corinthians

    ver detalhes
  • Vidotto, Léo Príncipe, Bastos e Giovanni: quarteto não está nos planos em 2018

    Vetados do Paulistão e 'encostados': os nove jogadores que não devem ficar no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes