Libertadores 2016 promete mudanças e argentinos acusam 'golpe' do Timão

Libertadores 2016 promete mudanças e argentinos acusam 'golpe' do Timão

Por Meu Timão

95 mil visualizações 288 comentários Comunicar erro

Pressão do Corinthians parece ter incomodado argentinos

Pressão do Corinthians parece ter incomodado argentinos

Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Um mês depois de acabar a Libertadores da América de 2015, a pressão do Corinthians criticando os valores pagos aos clubes participantes da competição parece ter feito efeito na Conmebol.

Tudo começou com o ex-presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, dizendo que o clube deveria escolher ficar de fora da próxima Libertadores, por questões financeiras.

"A Conmebol paga uma merreca. Foi um erro meu, mas eu estou forçando a barra para o Corinthians não disputar Libertadores enquanto os pagamentos forem feitos desse jeito. Você sabia que o Corinthians tem que pagar, no jogo em casa, de 8 a 12 mil dólares? Depende do árbitro, duas horas antes do jogo... Você sabia disso? É um absurdo", disso o ex-presidente no canal SporTV.

A efeito de comparação, as equipes participantes da Libertadores neste ano receberam algo em torno de 2 milhões de reais de direitos de transmissão, enquanto o Campeonato Paulista pagou R$14 milhões a cada um dos clubes grandes de São Paulo.

Duas semanas depois o pronunciamento de Andrés, veio a resposta do presidente da Conmebol. Em uma entrevista a uma rádio argentina, foram anunciado mudanças para o próximo ano: "Eu garanto que depois da próxima Copa, cada clube receberá um aumento significativo", disse Juan Angel Napout.

O medo da entidade é que o desinteresse do Corinthians pode gerar um desinteresse geral do público na própria competição. Não é incomum a TV aberta parar de exibir os jogos da Libertadores quando não há equipes Brasileiras. Até mesmo a final da última edição, que contou com Tigres e River Plate, só esteve presente em canais de TV a cabo.

Novo formato e a crítica dos argentinos

Além de prometer um aumento nos valores pagos aos participantes, o presidente da Conmebol também informou que as oito equipes cabeças de chave da edição 2016 serão escolhidas com base num ranking dos últimos 10 anos.

A ideia não agradou os argentinos do diário "Olé", acusando que seria um "golpe" do Corinthians. Na tese, isso evitaria o que aconteceu no começo do ano, quando três campeões da competição se enfrentaram no "grupo da morte", com Corinthians, San Lorenzo e São Paulo.

Segundo uma publicação do Olé deste sábado, as mudanças vieram imediatamente após a reclamação de Sanchez, que também se articula com outras equipes brasileiras para tomarem o mesmo caminho. O que não dá para entender é o motivo da desconfiança dos argentinos já que a entidade passaria a pagar melhor aos 32 clubes que disputam a competição.

Veja a publicação da imprensa argentina

Diario Olé

Veja Mais:

  • Corinthians está conversando para tentar trazer Romarinho de volta

    Corinthians entra em contato com Al-Ittihad para contratar Romarinho; jogador se pronuncia na Arábia

    ver detalhes
  • Romero segue treinando a parte e não será relacionado aos jogos do Corinthians enquanto não resolver sua situação contratual

    Carille comenta situação de Romero e explica mudanças pelos lados do Corinthians

    ver detalhes
  • Mauro Boselli pode estrear pelo Corinthians

    Após Manoel, Boselli tem nome registrado no BID e pode estrear pelo Corinthians

    ver detalhes
  • Argentino teve excelente aproveitamento em vídeo publicado pela Corinthians TV

    Corinthians TV acompanha treino de finalização de Mauro Boselli; veja aproveitamento

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes