'Pilhado', Bruno Henrique fala sobre clássico com Palmeiras

'Pilhado', Bruno Henrique fala sobre clássico com Palmeiras

Por Meu Timão

Para Bruno Henrique, clássico contra o Palmeiras é 'diferente' de outras partidas

Para Bruno Henrique, clássico contra o Palmeiras é 'diferente' de outras partidas

Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Peça fundamental no meio-campo de Tite, Bruno Henrique já pensa no Palmeiras, adversário do próximo final de semana. Para o volante, a atmosfera que envolve um clássico é bem diferente do que apenas uma simples partida. Após ser questionado se “rezaria” por um bom resultado no Allianz Parque, o camisa 25 foi sucinto.

“Não tem que rezar, não. É trabalhar forte pra chegar lá e vencer. O clássico é diferente, você fica pilhado pra chegar o jogo logo. É muito bom jogar clássico”, afirmou Bruno Henrique durante participação no programa “Fox Sports Rádio”.

Líder do Campeonato Brasileiro, o Corinthians terá de superar um importante desafio no próximo domingo (06): o Timão não vence um clássico há oito partidas. O último triunfo alvinegro aconteceu em 08 de março, quando a equipe de Tite derrotou o São Paulo por 1 a 0, no estádio do Morumbi, pelo Campeonato Paulista de 2015.

Desta vez, porém, o Corinthians tem um “reforço”. Antes criticado, Vagner Love voltou a balançar as redes adversárias e chegou a seis gols no Brasileirão – apesar da atuação regular contra a Chapecoense, no domingo, o atacante se posicionou bem e marcou um dos gols da vitória por 3 a 1.

“Ele estava um pouco agoniado sim. Acho que um jogador como ele, às vezes a bola não está entrando, o cara vive de gol, né? Mas é uma cara que nunca baixou a cabeça, nem na reserva. Quando o Luciano entrou, deu muitos conselhos. É um cara de grupo. As coisas começaram a acontecer e espero que ele possa continuar”, enalteceu.

O meio-campista ainda explicou sua função no tradicional 4-1-4-1 de Tite. Apesar da característica ofensiva, Bruno tem desempenhado o trabalho de primeiro volante, assim como Ralf. Antes de chegar ao ataque, o camisa 25 precisa guardar a posição e evitar que a defesa fique “exposta”.

“Na função de primeiro volante, o fato de dar bastante liberdade pro Elias e pro Renato Augusto, geralmente sobra um lateral. Então eu fico um pouco mais preso, de segundo volante era bem mais fácil. Mas de primeiro eu seguro um pouco mais. Ou às vezes quando eu tiver uma passagem (ao ataque), ficar o Elias ou o Renato, porque o Tite não gosta que deixe exposto. Você pode tomar um contra-ataque e acabar tomando o gol”, detalhou.

O volante deverá estar em campo nesta quarta-feira, quando o Timão enfrentará o Fluminense, às 22h, na Arena Corinthians. Nesta segunda, os jogadores se reapresentaram ao CT Joaquim Grava e iniciaram a preparação para o duelo. No entanto, a equipe titular será definida somente nesta terça, véspera da partida.

Veja Mais:

  • Desfalque diante do Vitória, Pablo está recuperado e deve viajar a Goiânia

    Treino do Corinthians tem rachão com 'morte súbita', 'desafio' a Clayson e disputa de pênaltis

    ver detalhes
  • Roberto (à esq.) está pessimista por negócio com Cicinho

    Roberto de Andrade esclarece especulações, vê Cicinho distante e abre o jogo sobre Nenê

    ver detalhes
  • Nenê foi oferecido nos últimos dias para a diretoria do Corinthians

    Nenê é oferecido ao Corinthians; até troca com dois jogadores alvinegros é sugerida

    ver detalhes
  • Para presidente corinthiano, aporte da Crefisa no Palmeiras é 'ponto fora da curva'

    'Desleal', diz Roberto de Andrade sobre apoio da Crefisa ao arquirrival do Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes