Edu Gaspar revela que pediu para ser liberado do Timão por conta do alto salário

Edu Gaspar revela que pediu para ser liberado do Timão por conta do alto salário

Por Meu Timão

Ex-jogador, Edu Gaspar assumiu a gerência de futebol do Corinthians em 2011

Ex-jogador, Edu Gaspar assumiu a gerência de futebol do Corinthians em 2011

Foto: Meu Timão

Gerente de futebol do Corinthians, Edu Gaspar teve uma trajetória de sucesso dentro dos gramados. Revelado nas divisões de base do Timão, o ex-meia passou por Arsenal (ING) e Valencia (ESP) antes de retornar ao clube paulista, em 2009. No entanto, após poucas oportunidades na equipe, teve de tomar uma atitude surpreendente.

“Eu tinha um ano de contrato ainda com o Corinthians. E percebi que eu estava incomodando o Corinthians e sendo incomodado, porque quando eu voltei da Espanha eu não voltei um jogador barato. Eu tinha um alto salário, eu tinha luvas, uma série de coisas importantes financeiramente falando”, relembrou Edu Gaspar, durante participação no programa “Bola da Vez”, da ESPN Brasil.

“Esse ano, quando eu cheguei pro Andrés (Sanchez, então presidente) em 2010, eu tinha mais um ano até 2011. Nós conversamos na sala dele e eu falei: ‘Andrés, vamos parar por aqui. Estou me sentindo mal de não estar sendo útil como gostaria. Sou um cara caro, estou fazendo mal ao clube e mal a mim mesmo”, disse.

Entretanto, apesar da vontade de deixar os gramados, Edu resolveu seguir o conselho de Andrés Sanchez e tentou a última “cartada”. “Eu recebi um chamado do West Ham, da Inglaterra. Nesse dia, eu falei: ‘Vou tentar mais uma vez’. Fui pra lá e o presidente do clube falou: ‘Edu, tem dois jogadores que estou vendendo. Assim que eu vender o primeiro, você entra na lista. Mas já vem treinando com a gente’”, contou.

“E eu fui, fiquei treinando. Fechou o prazo, eles não conseguiram vender os dois jogadores e voltei ao plano inicial. De lá, avisei minha família, meu pai, minha mãe e minha esposa. Falei: ‘Estou parando de jogar. Encerrei minha carreira, vou me dedicar às minhas coisas pessoais que tenho e parei’. Depois de 20 dias, o Andrés me chamou pra assumir esse cargo que estou até hoje”, revelou.

Além do alto salário, Edu sequer era utilizado por Mano Menezes, então treinador do Timão. Sincero, ele não escondeu a mágoa com o ex-comandante. “Teve dias que eu não estava na lista de convocados e no sábado, véspera da viagem, no meio do treino: ‘Edu, vai lá pegar suas coisas que você vai viajar com a gente’. Aí aviso minha esposa, pego minha roupa, vou para o hotel, saio correndo, chego no aeroporto e vou pro jogo. Chego no jogo e sou cortado”, lamentou.

“Isso daí que me machucou. Eu falei: ‘Não tenho problema de não estar convocado. Mas não faça isso comigo. Eu não estou dando trabalho, respeito pra caramba (sic) o cara que está jogando, não abro a boca. Mas por que fazer isso dessa maneira comigo? Não foi uma vez. Então isso me chateou muito”, completou.

Veja Mais:

  • Vidotto, Léo Príncipe, Bastos e Giovanni: quarteto não está nos planos em 2018

    Vetados do Paulistão e 'encostados': os nove jogadores que não devem ficar no Corinthians

    ver detalhes
  • Kazim destoou em goleada corinthiana sobre São Caetano; Neto 'pediu cabeça' do atacante

    Com até cutucada em Tite, Neto detona manutenção de Kazim como titular do Corinthians

    ver detalhes
  • Cristian recebeu homenagem do Corinthians no vestiário da Arena ao atingir 100 jogos pelo clube

    Sem clube, Cristian se despede do Corinthians: 'Sempre vou levar no coração'

    ver detalhes
  • Vital treinou como titular em primeiro esboço para quarta-feira

    Piscina para titulares e esboço com Vital para quarta: veja como foi a reapresentação do Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes