Completando 200 jogos, Cássio relembra melhor e pior momento no Corinthians

Completando 200 jogos, Cássio relembra melhor e pior momento no Corinthians

Por Meu Timão

Em entrevista, Cássio fez um balanço de sua passagem pelo Corinthians

Em entrevista, Cássio fez um balanço de sua passagem pelo Corinthians

Foto: Daniel Augusto/ Agência Corinthians

No Corinthians desde 2012, Cássio chegou pouco badalado ao Parque São Jorge. O goleiro vinha do PSV Eindhoven, na Holanda, e não era muito conhecido no Brasil. Desde então, porém, assumiu a titularidade e não largou mais.

Com o Corinthians, o jogador conquistou a Libertadores e o Mundial de Clubes - e foi herói em ambas as ocasiões. Depois de quase quatro anos no clube, Cássio comentou suas conquistas: "Eu fico feliz em estar alcançando um número importante dentro do clube. Se não me engano estou entre os dez goleiros que mais jogaram no Corinthians. Espero que possa chegar mais longe ainda, tenho mais três anos de contrato e espero bater outras marcas", afirmou.

Apesar das lembranças, o jogador ponderou sobre falhas e sobre a má fase que viveu, quando a torcida chegou a pedir o nome de Walter, seu reserva direto. "O pior momento é quando não ganha títulos. Eu não vejo que eu tive uma má fase de sete ou oito jogos que eu falhei. Eu falhei em alguns jogos, com certeza, estou quase quatro anos aqui, é normal isso. Mas em quanto anos que estou aqui, tenho muitas histórias boas. Esse tempo teve muito mais coisas vitoriosas e felizes do que negativa. No ano passado a gente não ganhou títulos, mas nos outros anos nós sempre fomos campeões e conquistamos títulos importantes e até inéditos, como foi o caso da Libertadores", disse o goleiro em entrevista no CT Joaquim Grava.

Com lucidez falou sobre 2014 - o primeiro ano sem títulos de uma equipe que se acostumou com a vitória: "No ano passado, por não termos ganhados nenhum título, depois da derrota para o Atlético-MG ficou um clima um pouco chato. Houve muita pressão, quando íamos viajar entravamos direto no avião, nem passávamos no saguão, por protestos. Foi um momento chato mas não foi longo porque a gente perdeu e tivemos uma arrancada muito boa no Campeonato Brasileiro e conseguimos chegar na Libertadores" encerrou.

Veja Mais:

  • Oposicionista deve oficializar sua candidatura em breve

    Com diretores atuais como vice, Paulo Garcia se lança como candidato à presidência do Corinthians

    ver detalhes
  • Romarinho marcou sobre o Real Madrid, na semifinal do Mundial de Clubes de 2017

    Corinthians tira onda no Twitter após gol de Romarinho no Real Madrid

    ver detalhes
  • Novo uniforme branco do Corinthians na temporada 2017/18

    Corinthians e Nike renovam parceria até 2029; clube recebe bolada de luvas

    ver detalhes
  • Parte da dívida é relativa a venda de Felipe ao Porto

    Corinthians tem cerca de R$ 10 milhões a receber de clubes brasileiros e europeus

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes