Conmebol melhora condições da Libertadores, mas beneficia Boca Juniors por anistia

Conmebol melhora condições da Libertadores, mas beneficia Boca Juniors por anistia

Por Meu Timão

8.3 mil visualizações 101 comentários Comunicar erro

Amarilla é um dos casos investigados que envolve a polêmica Conmebol

Amarilla é um dos casos investigados que envolve a polêmica Conmebol

Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

A Conmebol completa 100 anos em 2016 e, de “presente”, reduziu punições disciplinares dos clubes participantes da Libertadores. O maior beneficiado com a decisão da entidade foi o Boca Juniors, que inicialmente havia sido punido em oito jogos sem torcida, mas que agora viu a punição reduzir para apenas duas partidas.

A confederação anunciou nesta terça-feira em seu site oficial que as medidas foram tomadas com o parecer positivo de sua Comissão de Assuntos Legais e com aprovação majoritária dos membros do Comitê Executivo da Conmebol. Junto do "presente", a entidade também divulgou o fim da taxa de 10% as times que disputam a Libertadores e um aumento na premiação, que beneficiará o Corinthians nessa edição.

Desta forma, ficou definido que as suspensões de jogadores e treinadores serão reduzidas pela metade do que havia sido imposto e as punições para torcidas serão reduzidas em dois terços. No entanto, a entidade ressalta que a medida não contempla aqueles que foram julgados por doping, agressões a árbitros e racismo.

O Boca havia sido punido devido ao episódio em que seus torcedores atacaram jogadores do River Plate com spray de pimenta. Inicialmente, a pena era de quatro jogos em casa com portões fechados e a proibição de torcida em mais quatro jogos como visitante. Agora, o time argentino cumprirá a pena de ficar um jogo sem seus torcedores na Bombonera e na primeira partida que jogar fora de casa.

Além do Boca, o Racing , que tinha seu goleiro Saja suspenso, já poderá contar com o jogador na fase preliminar da competição. Já o Rosário Central, que deveria disputar seu primeiro jogo sem torcida, poderá vender ingressos e receber seus torcedores normalmente.

Medida controversa – A anistia, divulgada pela Conmebol como uma “comemoração” ao centenário e uma medida da recém-eleita diretoria, causou controvérsia até entre os próprios diretores.

Indignado com a atitude, Adrián Leiza, vice-presidente do Tribunal de Disciplina da confederação, renunciou ao cargo por não considerar legitima a decisão da entidade.

Para lembrar – Há uma investigação sobre o caso do árbitro Carlos Amarilla, que apitou o confronto entre Corinthians e Boca Juniors, nas oitavas de final da Libertadores de 2013. Na ocasião, o time paulista foi muito prejudicado pela arbitragem, com gols mal anulados e pênaltis não marcados.

Apesar de Amarilla divulgar que não fez parte de nenhum esquema de corrupção, foram divulgadas gravações telefônicas nas quais Julio Grondona, ex-presidente da Associação Argentina de Futebol (AFA), teria influenciado a escolha do árbritro paraguaio para o confronto entre Corinthians e Boca em uma conversa com Abel Gnecco, representante da Argentina no Comitê de Árbitros da Conmebol.

Veja Mais:

  • Pedrinho pode estar de saída do Corinthians

    Empresário de Pedrinho desabafa, agradece Fiel e diz: 'Ciclo dele no Corinthians acabou'

    ver detalhes
  • Corinthians vem de derrota para o Santos no Brasileirão

    Em seu pior turno na história, Corinthians mira nove finais para evitar tragédia no Brasileiro

    ver detalhes
  • Corinthians de Jonathas não conseguiu vencer o Cruzeiro nesta quarta-feira

    VAR tem noite terrível, Corinthians é derrotado na Arena e perde título da Copa do Brasil

    ver detalhes
  • Emerson Sheik foi eleito pela Fiel o melhor em campo na derrota do Corinthians para o Cruzeiro

    Mais velho e mais novo do Corinthians são eleitos os melhores da final da Copa do Brasil

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes