Vampeta 'previa' vitórias do Corinthians sobre rival e fazia colega gastar 'bicho' antes mesmo da final

Vampeta 'previa' vitórias do Corinthians sobre rival e fazia colega gastar 'bicho' antes mesmo da final

Por Meu Timão

Fábio Luciano foi capitão do Corinthians na primeira década do século 21

Fábio Luciano foi capitão do Corinthians na primeira década do século 21

Foto: Divulgação

A freguesia do São Paulo em clássicos contra o Corinthians foi assunto debatido no programa "Resenha Espn" do último domingo. Com presença dos ex-jogadores do Timão Fábio Luciano e Vampeta, foi revelado um esquema de "previsão" de resultados no mínimo inusitado.

Zagueiro e volante viveram juntos no Corinthians seus melhores momentos nos anos de 2002 e 2003. Nesse período, o Timão derrotou o São Paulo em duas finais: Rio São-Paulo de 2002 e Campeonato Paulista de 2003. Em uma delas, Vampeta convenceu Fábio Luciano a gastar o "bicho" (premiação recebida pelos jogadores após a conquista dos títulos) antes mesmo da realização da final, tamanha era o otimismo do elenco alvinegro antes de enfrentar o rival do Morumbi.

"Jogamos juntos no Corinthians e nosso rival maior em decisões era o São Paulo. E assim, cara... Era um negócio incrível. A gente jogava a semifinal, passava, esperava o São Paulo passar. A hora que o São Paulo passava, no outro dia, ele (Vampeta) falava: 'Podemos gastar o bicho que o título é nosso'", revelou, entre risos, Fábio Luciano.

O zagueiro prosseguiu e contou um episódio no qual adiantou a reforma de sua casa às custas da freguesia do São Paulo para o Corinthians. Nem o ex-zagueiro nem Vampeta revelaram em qual ocasião específica tal situação ocorreu.

"Eu estava construindo minha casa nessa época de decisões. E aí o Vampeta falava de segunda até a decisão, todo dia, pode gastar que a gente vai ganhar. Aí chegou uma hora que eu acreditei. Eu estava fazendo minha casa e falava: 'Ô, Vamp! Será que a gente vai ganhar mesmo?'. E ele: 'Vamos sim. Com certeza, pô'. Aí liguei para meu pai e, se a premiação fosse R$ 10 mil, falei para ele comprar R$ 10 mil em material e botar a nota para depois do jogo", disse o ex-beque.

"Aí meu pai falava: 'Você é maluco cara, tem que jogar primeiro'. Aí eu: 'Não, pai! Bota logo essa nota, porque isso está me motivando'. Aí no resto da semana fiquei falando para o Vampeta todo dia: 'Pô, Vamp... Será que vamos ganhar mesmo?'", completou, arrancando risos dos apresentadores e dos comentaristas da Espn.

Veja Mais:

  • Desfalque diante do Vitória, Pablo está recuperado e deve viajar a Goiânia

    Treino do Corinthians tem rachão com 'morte súbita', 'desafio' a Clayson e disputa de pênaltis

    ver detalhes
  • Roberto (à esq.) está pessimista por negócio com Cicinho

    Roberto de Andrade esclarece especulações, vê Cicinho distante e abre o jogo sobre Nenê

    ver detalhes
  • Nenê foi oferecido nos últimos dias para a diretoria do Corinthians

    Nenê é oferecido ao Corinthians; até troca com dois jogadores alvinegros é sugerida

    ver detalhes
  • Para presidente corinthiano, aporte da Crefisa no Palmeiras é 'ponto fora da curva'

    'Desleal', diz Roberto de Andrade sobre apoio da Crefisa ao arquirrival do Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes