Rivellino revela grande decepção em sua passagem pelo Corinthians

Rivellino revela grande decepção em sua passagem pelo Corinthians

Por Meu Timão

Rivellino esteve no primeiro evento da Arena Corinthians

Rivellino esteve no primeiro evento da Arena Corinthians

Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Um dos maiores nomes da história do Corinthians e também da Seleção Brasileira, o ex-jogador Roberto Rivellino, atualmente com 70 anos, relembrou seus melhores momentos pelo clube. Convidado do programa Do Ceará para o Mundo, da RedeTV, o Garoto do Parque, como ficou conhecido, falou sobre sua maior decepção no Timão, tendo em vista que não conquistou títulos.

"Acho que Deus não quis (risos). Eu também dei muito azar, peguei um Santos de Pelé, peguei uma academia com Ademir da Guia, com Luís Pereira, aquele time fantástico. E peguei um São Paulo que o governador sentava no banco, o Laudo Natel, que montou uma equipe maravilhosa. Foi bicampeão paulista de 1970 e 1971 e trouxe o Papagaio, o meio de campo era Gérson, Pedro Rocha", declarou.

Revelado na base do Corinthians, o Riva defendeu o Corinthians na categoria profissional por dez temporadas, entrando em campo por 474 vezes e balançando as redes adversárias em 141 oportunidades. Na visão do ex-camisa 10, o fato de não ter conquistado títulos, se deve à imensa diferença entre a força dos clubes na época, quando comparado ao elenco corinthiano.

"O time do Corinthians, de uma certa forma, eu considerava o pior. Era o pior. Se você fosse analisar, comparar com o Santos, com o Palmeiras, com o São Paulo, até contra a Portuguesa, era inferior. Mas a gente sempre incomodava e chegava. Deus acho que falou: Aqui você vai ficar a vida toda, mas não vai conseguir ser campeão", acrescentou.

Questionado a respeito de um episódio curioso em sua carreira, quando deixou o estádio do Morumbi e voltou para sua casa andando depois do vice-campeonato paulista em 1974, Rivellino não escondeu a decepção em meio ao revés, destacando o potencial corinthiano.

"Tinha tudo para nós conquistarmos o título. O time jogou um grande futebol na quarta-feira e empatamos com o Palmeiras no Pacaembu. Eu vim a pé pensando na vida, porque não era possível. Peguei minha mala, que eu levava na concentração e fui para a casa a pé. Foi tristeza, decepção, porque mais do que ninguém eu queria ser campeão pelo Corinthians. Para mim era muito mais importante porque eu era o maior nome", completou.

Campeão do Mundo em 1970 com a Seleção Brasileira, Rivellino deixou o Corinthians em 1975, para defender o Fluminense. No clube carioca atuou por quatro temporadas, até acertar sua transferência ao futebol árabe, no Al-Hilal, onde jogou mais mais três anos antes de anunciar sua aposentaria do futebol.

Veja Mais:

  • Campeonato Brasileiro agora tem quatro, e não três, vagas à fase de grupos da Libertadores

    Conmebol anuncia novidade, e Corinthians volta ao páreo por vaga direta na Libertadores

    ver detalhes
  • Alan Santos tem conversas avançadas com Corinthians

    Corinthians negocia contratação de volante do Coritiba, diz portal

    ver detalhes
  • Giovanni Augusto treinou como lateral nesta terça-feira

    Giovanni na lateral, mudança na zaga e susto de Rildo: o treino desta terça do Corinthians

    ver detalhes
  • Corinthians encara o Cruzeiro neste domingo, no Mineirão

    Resultado no Mineirão vale mais que os três pontos para Corinthians e Cruzeiro; entenda

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes