Troca de e-mails sugere fraude em documento da Arena; em nota, Corinthians 'lava as mãos'

Troca de e-mails sugere fraude em documento da Arena; em nota, Corinthians 'lava as mãos'

Por Meu Timão

8.5 mil visualizações 115 comentários Comunicar erro

Arena Corinthians vem sendo pivô de escândalos envolvendo suas obras

Arena Corinthians vem sendo pivô de escândalos envolvendo suas obras

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

A Arena Corinthians voltou a ficar em evidência no noticiário por conta de um possível escândalo ao longo de sua construção. Duas semanas após a revelação de contratos escusos entre Odebrecht e fornecedoras, uma troca de e-mails datados de agosto de 2015 foi publicada nesta terça-feira pelo jornal Folha de S. Paulo, sugerindo fraude em um documento relativo às obras do estádio. Por meio de nota oficial, a diretoria do Corinthians se isentou de responsabilidade na polêmica (confira abaixo).

Os e-mails revelados pela reportagem foram enviados e/ou recebidos por: Epaminondas Junior (funcionário da Odebrecht), Nilton Leão (gerente da Arena em 2015, por indicação de Luis Paulo Rosenberg), Ricardo Corregio (engenheiro da Odebrecht e responsável pelos contratos da Arena), Anibal Coutinho (arquiteto responsável pelo projeto da Arena), Andrés Sanchez (ex-presidente do Corinthians), Roberto de Andrade (então e atual presidente do Corinthians) e Guilherme Molina (um dos responsáveis pela parte jurídica da Arena). A conversa indica que houve adulteração no boletim de medição da Arena, que mostrava o que faltava de obras a serem executadas e o que já havia sido faturado.

O trecho mais importante da troca de e-mails foi escrito por Ricardo Corregio e enviado a Nilton Leão com cópias para Andrés Sanchez e Roberto de Andrade: "O item 01 abaixo (referência ao fato de a medição de 2014 não representar a realidade dos trabalhos daquele ano) foi uma decisão de cotistas, por necessidade direta na emissão dos CIDs".

A intenção das partes envolvidas em uma possível fraude no boletim de medição da Arena seria adiantar o repasse dos CIDs (Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento) da Prefeitura de São Paulo. Tais documentos, que deveriam render quase 50% do custo inicial do estádio ao Corinthians, eram emitidos conforme as obras avançavam.

A Odebrecht negou fraude ou tentativa de antecipar os CIDs: "A 'necessidade direta na emissão dos CIDs', citada no e-mail, refere-se ao fato do investimento necessário para emissão dos R$ 420 milhões de CIDs já haver sido atingido antes mesmo da Copa 2014, de forma que o acompanhamento mensal não se fazia mais necessário."

A Prefeitura de São Paulo afirmou que não houve irregularidade na emissão dos CIDs: "Quanto às investigações, a Prefeitura acompanha o seu desenrolar em uma zona de segurança absoluta, em função do fato, já mencionado, de que a utilização de CIDs está muito aquém das menores estimativas de custo do estádio. Na hipótese de a Arena ter custado menos de R$ 700 milhões, a Prefeitura, amparada na lei anti-corrupção pode suspender os títulos imediatamente."

O presidente Roberto de Andrade não se manifestou.

O ex-presidente Mario Gobbi, que era mandatário do clube na época em que o boletim de medição foi assinado, negou responsabilidade nos assuntos relativos à Arena: "O representante do Corinthians no Fundo e Gestor da Arena sempre foi, desde o nascedouro, o presidente Andrés Sanchez, que sempre cuidou de tudo na Arena."

Nilton Leão confirmou a troca de e-mails, mas não quis se pronunciar.

Andrés Sanchez se limitou a dizer que "recebe muitos e-mails, não dá conta de ver todos e que, pos isso, existe um departamento jurídico."

Nota oficial

Pouco após a publicação da reportagem da Folha de S. Paulo, o Corinthians emitiu uma pequena nota oficial em seu site. O posicionamento do clube é de que a diretoria não tem/teve relação com o episódio relatado pelo jornal.

"Em relação à matéria publicada nesta manhã no jornal Folha de S.Paulo, intitulada em “Troca de e-mails indica fraude para antecipar incentivos do Itaquerão (sic)”, o Corinthians esclarece:

O assunto dos CIDs foi acompanhado e orientado pelos jurídicos do BRL Trust, Odebrecht, Corinthians e Machado Meyer. Em nenhum momento colocaram qualquer ilegalidade a nós, dirigentes do Clube."

Veja mais em: Arena Corinthians e Diretoria.

Veja Mais:

  • Bicicleta de Bale inspira zoeira entre corinthianos na web: 'Parecia o Romero!'

    Bicicleta de Bale inspira zoeira entre corinthianos na web; confira melhores tweets

    ver detalhes
  • Maycon (à esq.) não fica após Copa; Rodriguinho e Jadson devem receber ofertas

    Andrés diz que Corinthians deve perder três titulares durante janela de transferências

    ver detalhes
  • Renan Areias comemora o gol marcado contra o São Paulo, na final da Copa do Brasil Sub-20

    Corinthians vence São Paulo na Arena e sai na frente na final da Copa do Brasil Sub-20

    ver detalhes
  • Porque o Internacional odeia o Corinthians | #53

    VÍDEO: Por que o Internacional odeia o Corinthians | #53

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes