Sem contrato, artilheiro do sub-17 tem futuro indefinido

Sem contrato, artilheiro do sub-17 tem futuro indefinido

Por Meu Timão

5.3 mil visualizações 59 comentários Comunicar erro

Caio Emerson foi autor de sete gols na conquista da Copa do Brasil Sub-17 de 2016

Caio Emerson foi autor de sete gols na conquista da Copa do Brasil Sub-17 de 2016

Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

Artilheiro da equipe Sub-17 do Corinthians na conquista da Copa do Brasil da categoria no ano passado, com sete gols, o atacante Caio Emerson vive um verdadeiro imbróglio no clube.

Com vínculo com o Corinthians acertado até o fim de fevereiro, Caio contava com um acordo prévio de renovação de contrato assim que completasse 16 anos. O jogador, que foi contratado sem custos do Cruzeiro para a categoria Sub-15, custaria um investimento de R$ 1 milhão para o Timão na compra de 50% dos seus direitos econômicos. Porém, o presidente Roberto de Andrade negou o acordo realizado pelo ex-presidente Mário Gobbi e o pacto com o atacante não será traçado.

O Corinthians chegou a apresentar propostas a Caio, que recusou uma assinatura do contrato profissional por meio do seu empresário. A melhor oferta teria se aproximado de R$500 mil. Recentemente, Caio chegou a ser dado como certo em tratativa com o Everton, da Inglaterra, mas a negociação não teve avanço e ele continuou no clube alvinegro. O jogador também já negocia com outros times da europeus como Barcelona e Granada, da Espanha.

Até o último fim de semana, o Corinthians permanecia com um contrato de amador com o atacante. O vínculo assegura para o clube o direito de receber o valor investido pelo atleta, nos últimos três anos, mesmo com a data expirada. Segundo o estafe de Caio, uma liberação desta forma custaria cerca de R$ 600 mil.

Caio Emerson em disputa de bola pelo Corinthians

Caio Emerson em disputa de bola pelo Corinthians

Agência Corinthians

No primeiro semestre do ano passado, o Corinthians informou à CBF (Confederação Brasileira de Futebol) que detinha 100% dos direitos econômicos de Caio. Porém, o Timão conta com apenas 25%, enquanto os empresário do atleta e o Cruzeiro (seu ex-clube) possuem 50% e 25%, respectivamente. Sendo assim, a tentativa de renovação e a compra de mais 25% de passe do jogador não pode ser registrada.

Caio ficou longe dos gramados nos últimos meses devido a situação de seu contrato, quando o Corinthians chegou a solicitar à CBF que não levasse o jogador para a Seleção Brasileira da categoria. O atacante não treina no Parque São Jorge desde de junho do ano passado.

Segundo o empresário de Caio Emerson, Taciano Pimenta, as tratativas com o Corinthians não foram pausadas em entrevista ao repórter Dassler Marques, do UOL: "Tivemos reuniões com o Fausto, novo diretor da base, e com outro diretor ligado ao presidente para tentar viabilizar. Quando ele foi artilheiro da Copa do Brasil, tivemos muita procura, algumas consultas, mas os clubes hoje têm medo de que se caracterize assédio na Fifa", comentou o agente.

Questionado sobre o caso pela reportagem do UOL, o diretor do departamento de base do Corinthians, Fausto Bittar, garantiu que o caso foi passado para a área jurídica do clube. Os responsáveis pelo setor alvinegro não foram localizados para esclarecimento.

Veja mais em: Mercado da bola e Base do Corinthians.

Veja Mais:

  • Corinthians fez dois gols no final do jogo e garantiu a classificação

    Corinthians vira no fim, despacha o Avenida e avança na Copa do Brasil

    ver detalhes
  • Quem para o homem?! - Gustagol comemora oitavo gol pelo Corinthians em 2019

    Atacantes do Corinthians empatam na eleição do craque da segunda fase da Copa BR; veja avaliações

    ver detalhes
  • Urso beija escudo do Corinthians ao comemorar primeiro gol pelo clube

    Carille se encanta com Sornoza e valoriza credenciais de Urso: 'Sei que o corinthiano gosta'

    ver detalhes
  • Avelar é dúvida para compromisso do fim de semana; Timão se reapresenta nesta quinta

    Avelar deixa Arena mancando e pode se tornar desfalque para Carille

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes