Técnico conta como foi treinar Tevez no Corinthians e controlar 'vaidade' do elenco

Técnico conta como foi treinar Tevez no Corinthians e controlar 'vaidade' do elenco

Por Meu Timão

7.7 mil visualizações 37 comentários Comunicar erro

Tevez foi protagonista do título do Brasileirão 2005 pelo Corinthians

Tevez foi protagonista do título do Brasileirão 2005 pelo Corinthians

A passagem do atacante argentino Carlos Tevez pelo Corinthians é recheada de boas histórias. Da troca de socos com o zagueiro Marquinhos ao título do Campeonato Brasileiro de 2005, o jogador entrou para a história do Timão e se tornou um dos principais estrangeiros a passar pelo clube. O estilo de jogo brigador, aliado à técnica apurada, foi comprovado de perto por Geninho, hoje treinador do ABC.

"Não tenho o que reclamar dele. Era perfeito. Tinha um jeito fechado, falava enrolado, mas cumpria tudo, horário certinho, treinamentos. Tinha um empenho grande e por tudo isso era o destaque do time. Sempre foi um cara família. Alguns problemas dele foram por conta do apego com os mais próximos. Era muito rígido no comportamento e relacionamento, mas nunca me deu problema", recorda Geninho em entrevista ao site Foxsports.com.br.

Embora contasse com um atacante do nível de Tevez no elenco, controlar o grupo corinthiano em 2006 não foi tarefa das mais fáceis. Isso porque, naquela temporada, o Corinthians passou a conviver com as cobranças da torcida e da imprensa acerca da parceria com a MSI. Tal turbulência política teve influência direta no departamento de futebol.

"Todo dia tinha problema no Corinthians. Dentro do grupo, rolava vaidade, ego. Mas todo mundo se respeitava. Pessoal queria jogar. A disputa era grande. Era preciso administrar bem o grupo. Uma turma tombava para a diretoria, outra para a MSI. Não funcionava. Não tinha um grupo coeso. Havia respeito, mas não tinha aquela união, todo mundo puxando pelo mesmo objetivo", admite, acrescentando ainda que a presença da polícia no Parque São Jorge se tornou frequente naquele período.

"O ambiente era muito conturbado. Era um vulcão em erupção. O elenco era fantástico, jogadores de qualidade. Com tranquilidade, venceria tudo. Mas era difícil ter isso. Toda semana tinha invasão de campo na Fazendinha. Precisava de polícia para treinar. Respeito a torcida, ela ama o clube. Mas isso (invasão) atrapalha. Não ajuda o grupo e traz pressão. Não era fácil trabalhar no Corinthians", concluiu.

Somando suas duas passagens (2003 e 2006), Geninho comandou o Corinthians em 66 partidas. Sem obter resultados satisfatórios, deixou o Timão e logo acertou com o Goiás. Já Tevez, que anotou 46 gols em só 78 jogos com o manto alvinegro, foi contratado pelo West Ham United, da Inglaterra, ao lado do conterrâneo e então companheiro de time Javier Mascherano.

Veja mais em: Ex-jogadores do Corinthians.

Veja Mais:

  • Thiago Neves desperta interesse no Corinthians

    Corinthians formaliza interesse em Thiago Neves e Sassá, relata Cruzeiro

    ver detalhes
  • Ramiro foi peça importantes nos últimos títulos do Grêmio

    Pai de Ramiro revela conversas adiantadas com o Corinthians e fala em acerto ainda nesta semana

    ver detalhes
  • Matias Ávila, diretor financeiro, e Roberto Gavioli, gerente financeiro, em coletiva nesta quarta-feira

    Corinthians confirma déficit em 2018, mas prevê explosão de receitas com TV e patrocínios

    ver detalhes
  • Meio campista está bem perto de se tornar novo reforço do Corinthians

    Diretor do Fluminense confirma 'sim' de M. Gabriel e Corinthians se aproxima de acerto por Sornoza

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes