Porto exercerá prioridade e Felipe se tornará a segunda maior venda da história do Corinthians

227 mil visualizações 243 comentários

Felipe no segundo ano de Corinthians (2013), quando mal era relacionado para os jogos

Felipe no segundo ano de Corinthians (2013), quando mal era relacionado para os jogos

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

De reserva dispensável à segunda maior venda da história do Corinthians. Essa será a trajetória de Felipe no Parque São Jorge, que foi iniciada em janeiro de 2012 e se encerrará em julho de 2017, quando o Porto (POR) exercerá a prioridade de compra que está em contrato e comprará os últimos 25% dos direitos econômicos que pertencem ao Timão. A informação é de O Jogo, de Portugal.

De acordo com o jornal esportivo daquela país, os Dragões pagarão os € 4,5 milhões (R$ 15 milhões) que foram acordados entre as partes para a liberação do zagueiro em maio do ano passado, quando o Porto desembolsou outros € 6 milhões (R$ 24 milhões). A soma dos dois valores elevará a transferência de Felipe a R$ 39 milhões, valor esse que representará a segunda maior da história do clube.

O zagueiro, que foi bancado por Tite quando nem torcida nem diretoria confiavam mais, só ficará atrás de Paulinho. O volante foi vendido ao Tottenham (ING) em 2013 por € 20 milhões, que na época correspondia a R$ 59 milhões. O ex-camisa 8, que segue brilhando na China e na Seleção Brasileira, foi a maior venda corinthiana em 106 anos.

Felipe foi apresentado junto de Cássio em fevereiro/2012. Ambos fizeram história.

Felipe foi apresentado junto de Cássio em fevereiro/2012

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

A cifra total da transferência de Felipe ultrapassará, assim, o valor desembolsado pelo Shandong Luneng para tirar Gil da zaga do Corinthians. Em janeiro do ano passado, os chineses pagaram € 9 milhões (R$ 38 milhões). O zagueiro deixará para trás também o meia Renato Augusto, comprado pelo Beijing Guoan (CHN) no mesmo ano por € 9 milhões (R$ 35 milhões). A famosa venda do meia William, recém-chegado à equipe profissional, para o Shakhtar Donetsk (UCR), em 2007, por US$ 19 milhões (R$ 30 milhões) agora passa a ser a quinta maior da história.

Vale lembrar que os R$ 39 milhões não serão apenas de lucro ao Corinthians, já que o clube desembolsou R$ 13 milhões em janeiro do ano passado para comprar a metade dos direitos econômicos que pertenciam ao Banco BMG - outros 50% já estavam de posse do clube.

Em tempo: esses valores acima são referentes as transferências totais dos jogadores, não levando em consideração o percentual que ficou com o Corinthians nas ocasiões. A saber: Gil (90%), Renato Augusto (50%) e Paulinho (50%).

AS CINCO MAIORES VENDAS DA HISTÓRIA DO CORINTHIANS:

Paulinho (Tottenham-ING, 2013, R$ 59 mi) - € 20 mi

Felipe (Porto-POR, 2016 e 2017, R$ 24 mi + R$ 15 mi = R$ 39 mi) - € 6 mi e € 4,5 mi

Gil (Shandong Luneng-CHN, 2016, R$ 38 mi) - € 9 mi

Renato Augusto (Beijing Guoan-CHN, 2016, R$ 35 mi) - € 8 mi

William (Shakhtar Donetsk-UCR, 2007, R$ 30 mi) - US$ 19 mi

Veja mais em: Ex-jogadores do Corinthians.

Veja Mais:

  • Pedrinho ainda não se apresentou ao Benfica, de Portugal

    Benfica planeja adiar pagamento de Pedrinho para 2021; Corinthians se posiciona

    ver detalhes
  • Elenco principal do Corinthians voltou a ficar três meses com salário atrasado

    Corinthians volta a somar três meses de salário atrasado com elenco principal

    ver detalhes
  • [Mayara Munhoz] Quando apontar um erro é um grande acerto. Que orgulho, Meu Timão!

    ver detalhes
  • Último jogo do Corinthians foi no dia 15 de março, já com Arena vazia

    Governo de São Paulo confirma retorno do Campeonato Paulista no dia 22 de julho

    ver detalhes
  • Jô já trabalha no Corinthians, mas ainda não teve situação regularizada

    Dupla de ataque do Corinthians está sem contrato com o clube; entenda situações

    ver detalhes
  • Conselho não aprovou as contas do Corinthians em 2019

    Conselho Fiscal reprova contas de 2019 do Corinthians e questiona ausência de dívidas

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: