Jô explica preleção da final evolução do time em 2017: 'Tentei resgatar a raça do Corinthians'

Jô explica preleção da final evolução do time em 2017: 'Tentei resgatar a raça do Corinthians'

Por Meu Timão

2.7 mil visualizações 29 comentários Comunicar erro

Jô se tornou um dos líderes do elenco corinthiano em 2017

Jô se tornou um dos líderes do elenco corinthiano em 2017

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

A goleada do Corinthians por 3 a 0 sobre a Ponte Preta, em Campinas, no último domingo, não apenas aproximou a equipe do título paulista como também simbolizou a evolução do Timão em 2017 em relação ao desempenho apresentado na seta final do ano passado. O atacante Jô sabe muito bem disso.

Contratado pelo Corinthians no segundo semestre de 2016 mas liberado para jogar apenas em 2017, Jô passou os últimos meses do ano passado integrado ao elenco mas limitado a apenas treinar. Esse período fez o jogador se aproximar dos colegas de equipe e, mais do que isso, observar tudo (coisas boas e ruins) que aconteciam com o Timão.

Como consequência, Jô criou vínculo com boa parte do elenco - inclusive os garotos que o viam e ainda veem como inspiração. A consequência disso tudo é, meses depois, o camisa 7 corinthiano ser uma espécie de conselheiro dentro do grupo de jogadores do Timão.

"Minha vida, no fim do ano, só treinando, me fez enxergar algumas coisas dentro do elenco. É praticamente o mesmo grupo, mostrei as dificuldades do ano passado, falta de atitude, perda de confiança. Tentei, nesse pouco tempo, resgatar isso. A raça do Corinthians, a atitude de dar carrinho, marcar e correr. O psicológico é fundamental", contou, em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira, no CT Joaquim Grava.

Poucos minutos antes de a bola rolar para aquela que seria a melhor partida do Corinthians em 2017 até aqui, Jô foi responsável pela parte mais emocionante da preleção alvinegra, ainda nos vestiários do Moisés Lucarelli. A experiência dos últimos meses aliada ao tempo que passou pelo clube no início da década passada foram o combustível para o discurso.

"Antes de ser jogador profissional, eu ia nos jogos, estava na arquibancada, às vezes na organizada, outras vezes em outro setor. Sei o que o torcedor passa. E sei depois o que é jogar no Corinthians, me tornei profissional aqui, passei por momentos bons e ruins. Sei o que representa essa camisa. Tentei passar um pouco do que é o Corinthians", explicou.

Vale ainda destacar que a união do elenco corinthiano ficou evidente não apenas na preleção de Jô no último domingo. No fim de semana anterior, antes do clássico contra o São Paulo, na Arena, havia sido a vez de Fagner puxar o coro no vestiário alvinegro, com direito a participação até mesmo de seu pequeno filho Henrique.

Veja mais em: e Campeonato Paulista.

Veja Mais:

  • Roger marcou o segundo gol corinthiano no duelo deste domingo

    Corinthians vira nos acréscimos, mas ainda leva gol de empate e tropeça no Vitória

    ver detalhes
  • Corinthians empatou com o Vitória em 2 a 2 nesta rodada

    Concorrentes tropeçam, e Corinthians abre leve distância para Z4; veja classificação

    ver detalhes
  • Ralf foi eleito craque da partida no entendimento dos torcedores do Corinthians

    Veteranos são eleitos 'craques' do Corinthians no Barradão; Avelar beira nota zero

    ver detalhes
  • Jadson foi autor do primeiro gol do Corinthians contra o Vitória, em Salvador

    Jadson reconhece situação desconfortável do Corinthians no Brasileiro e lamenta 'gols dados'

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes