Jô compara atual Corinthians com 2005 e relembra briga de rodo e vassoura: 'Parecia Star Wars'

5.7 mil visualizações 36 comentários

Por Meu Timão

Ainda no começo de carreira, Jô vivenciou um elenco bastante complicado

Ainda no começo de carreira, Jô vivenciou um elenco bastante complicado

Divulgação

Na atual temporada, os jogadores do Corinthians costumam creditam à coletividade o bom momento da equipe. O centroavante Jô, no entanto, já dividiu vestiário com um plantel bastante diferente, recheado de estrelas e com vários problemas de relacionamento. Em 2005, mesmo com o título brasileiro, sobraram histórias de desentendimentos entre os jogadores do Timão.

"Aquele time tinha muita técnica. Tinha jogadores excepcionais, de um poder de decisão individual muito grande. Mascherano, Carlitos, o cara é fantástico. Ele falou que ia ser campeão e artilheiro em 2005. E foi. A diferença é que hoje sabemos das nossas limitações, mas temos uma organização e uma humildade fantástica de saber que tem que marcar e correr todo mundo. Não importa quem faça o gol, naquela época não, tinha um pouco de vaidade", relembrou, em participação no programa Bola da Vez, da ESPN.

"Era um ambiente bem diferente. Deu certo porque tinha jogadores decisivos. Mas era uma loucura", completou.

Leia também:
Contra o Racing, Corinthians decide classificação às quartas da Sul-Americana
Apesar de polêmica, treinador do Corinthians vê Jô pronto para decidir contra o Racing
Renata Fan compara Jô a 'ladrão' e revolta torcida do Corinthians

Com tantas discussões, era inevitável que, hora ou outra, jogadores perdessem a linha e partissem para as vias de fato. Aconteceu com Tevez e Marquinhos durante um treino, lembrado até hoje pela Fiel, por exemplo. Mas o camisa 7 do Corinthians lembra de outro embate como o mais tenso que já presenciou em um vestiário de futebol.

"Teve uma briga que foi difícil separar. Contra o São Caetano, no Anacleto Campanella. Foi o Carlos Alberto e o Fábio Costa, saiu faísca. Um pegou uma vassoura o outro pegou o rodo. Quem entrava no meio? Parecia aqueles filme do Star Wars. Foi complicado, vi uma briga assim que no futebol eu nunca tinha visto", contou, aos risos.

"Era todo dia uma confusãozinha. Ficou por isso mesmo, no outro dia estavam lá se abraçando no café da manhã e ninguém entendia nada", concluiu.

Veja mais em: , Ídolos do Corinthians e Ex-jogadores do Corinthians.

Veja Mais:

  • Boca Juniors vai pagar menos por casos de racismo do que Corinthians por infração a artigo que trata de propaganda no banco de reservas

    Conmebol multa Boca por racismo; valor é menor que pena ao Corinthians por propaganda no banco

    ver detalhes
  • Vítor Pereira foi anunciado há exatos três meses pelo Corinthians; seu primeiro jogo, porém, aconteceu dias depois

    Vítor Pereira completa três meses de Corinthians com 52.63% de aproveitamento; relembre trajetória

    ver detalhes
  • Caio Mello não faz mais parte do quadro de funcionários do Corinthians

    Fisioterapeuta deixa o Corinthians após mais de 13 anos

    ver detalhes
  • Abimael, à direita, assinou com o Corinthians por dois anos

    Corinthians acerta contratação de lateral-esquerdo ex-Palmeiras para o Sub-20

    ver detalhes
  • Fagner correu ao redor do gramado nesta segunda-feira, no CT Joaquim Grava

    Fagner inicia transição e elenco do Corinthians faz treino em casa após empate no Majestoso

    ver detalhes
  • Torcedor do Corinthians precisa parar de procurar problema onde não tem

    [Mayara Munhoz] Torcedor do Corinthians precisa parar de procurar problema onde não tem

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia:

x