Valorizando trabalho de Carille, Betão explica diferenças entre o Corinthians de 2005 e 2017

Valorizando trabalho de Carille, Betão explica diferenças entre o Corinthians de 2005 e 2017

Por Meu Timão

Betão deu entrevista emocionado na Arena Corinthians

Betão deu entrevista emocionado na Arena Corinthians

Foto: Larissa Lima/Meu Timão

Na noite deste sábado, um dos nomes mais emocionados na Arena Corinthians estava dentro de campo e não defendia as cores alvinegras. Zagueiro do Avaí, Betão viveu 14 anos de sua carreira no Timão e não escondeu a emoção de ver o estádio corinthiano de pé. Mas o defensor não se ateve apenas ao extra-campo. Campeão em 2005, ele também comparou as equipes e fez questão de valorizar o trabalho de Fábio Carille.

Leia também: Derrotado na Arena Corinthians, Betão faz depoimento fantástico: 'Hoje fiquei arrepiado'

"Eu quero dar uma ênfase ao trabalho do Carille. No futebol, o Tite tem ensinado isso, não adianta ser técnico de futebol, você tem que saber gerir pessoas. Para quem está de fora, futebol é emoção, empolgação. Para a gente que está dentro, não é assim. O Carille, não conheço particularmente, mas você vê que ele coloca seriedade para os jogadores", analisou, em entrevista na zona mista da Arena.

"Você vê que o Corinthians, na minha opinião, não tem jogadores fantásticos, estrelas, diferente de 2005. Você vê jogadores com qualidade, técnica, muita competência tática e um treinador que sabe gerir bem isso", completou.

Leia também:
Diretor do Corinthians ironiza Vidotto: 'Um probleminha com o quarto reserva nem sei se é problema'
Caíque chama a responsabilidade para duelo contra o Fluminense: 'Estou preparado'
Presidente do Corinthians cutuca Palmeiras após vitória sobre o Avaí

Mas não foi só na glória de 2005 que o experiente jogador esteve presente. Parte do time que foi rebaixado em 2007, ele não consegue pensar no rebaixamento como algo que "valeu a pena" por tudo que veio depois da queda - o time se encaminha para o 11º título em dez anos.

"Rebaixamento não é bom para ninguém. Independente se é grande ou pequeno. Mas quem sabe foi um alerta para as pessoas começarem a enxergar as coisas de outra maneira. Lembro que nos anos que passei no Corinthians, desde base até profissional, as coisas são levadas na emoção. E o Corinthians é imenso, marca mundial, não dá para levar assim. O pessoal se conscientizou, não sei se antes ou depois da queda, que precisava de um trabalho sério e o resultado está aí", concluiu.

Veja mais em: Ex-jogadores do Corinthians e Campeonato Brasileiro.

Veja Mais:

  • Timão conquistou Paulistão sobre a Ponte Preta; times voltam a se enfrentar logo na abertura de 2018

    Corinthians e Ponte Preta reeditam final na abertura do Paulistão 2018; veja a tabela

    ver detalhes
  • Os 10 momentos mais marcantes do Hepta

    VÍDEO: Os 10 momentos mais marcantes do Hepta

    ver detalhes
  • Alessandro Nunes e Roberto de Andrade são responsáveis por formar elenco de 2018

    Presidente do Corinthians estabelece número ideal de contratações para 2018 e promete time forte

    ver detalhes
  • Timão encara o arquirrival Palmeiras na ida da final da Copa do Brasil

    Com entrada gratuita, Arena Corinthians recebe decisão do Sub-17

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes