Após aumento no valor dos ingressos, médias de público e renda caem na Arena Corinthians

Após aumento no valor dos ingressos, médias de público e renda caem na Arena Corinthians

10 mil visualizações 172 comentários Comunicar erro

Arena Corinthians não ficou mais completamente cheia após o aumento dos ingressos

Arena Corinthians não ficou mais completamente cheia após o aumento dos ingressos

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O Corinthians aumentou os valores dos ingressos nos jogos do Campeonato Brasileiro e da Copa Libertadores. A decisão, tomada pela nova diretoria que assumiu após a eleição no início de fevereiro, impactou de forma negativa nas médias de público e renda da Arena.

Tanto na competição nacional quanto na competição sul-americana, a quantidade de corinthianos que foi a Itaquera este ano diminuiu consideravelmente após a majoração no preço dos bilhetes. Com mais assentos não preenchidos, a arrecadação também foi menor. Mesmo com o valor mais alto dos ingressos.

Na Libertadores, por exemplo, a queda foi de 20% na presença do público (39.922, antes do aumento, contra 32.050, este ano, após o aumento. A arrecadação caiu junto, deixando os quase três milhões de reais em média por jogo (R$ 2.957.823,00, mais precisamente) e caindo para pouco mais de dois milhões de reais por jogo (R$ 2.185.041,00, mais precisamente).

No Brasileirão, da mesma forma. Nas quatro primeiras edições disputadas na Arena (2014, 2015, 2016 e 2017), a média de público foi de 34.127 pagantes, com uma arrecadação de R$ 2.028.776,00. Este ano, com aumento, as médias são as seguintes após seis jogos como mandante: 32.391 e R$ 1.678.957,00.

Outra prova disso é que as médias de público e renda do Paulistão, competição de menor apelo, com adversários de menos expressão, praticamente ficaram as mesmas do Brasileirão e da Copa Libertadores, bem mais atrativas. Os valores no Estadual foram os mesmos do ano passado - veja comparação abaixo.

Boa parte dos setores teve seus preços acrescidos, alguns em até 35%. Mas o que mais chama atenção é o Setor Oeste Superior, que passou de R$ 68 (preço cobrado no Dérbi da primeira fase Paulista, por exemplo) para R$ 138 (preço de face, sem o desconto no Fiel Torcedor). Nos outros setores também houve aumento nos valores.

O Meu Timão tentou entrar em contato com o departamento de marketing do Corinthians para mostrar os números e saber se há intenção de diminuição dos valores atuais, mas não obteve resposta até o momento dessa publicação.

Médias de Público e Renda da Arena em 2018

Paulista (não teve aumento) - 31.890 / R$ 1.838.579,00

Brasileiro e Libertadores (teve aumento) - 32.277 / R$ 1.847.652,00

Médias de público e renda em Libertadores

Antes do aumento (2015 e 2016) - 39.922 / R$ 2.957.823,00

Depois do aumento (2018) - 32.050 / R$ 2.185.041,00

Médias de público e renda no Brasileirão

Antes do aumento (2014 a 2017) - 34.127 / R$ 2.028.776,00

Depois do aumento (2018) - 32.391 / R$ 1.678.957,00

Compare os preços do BR-17 (sem aumento) e do BR-18 e Libertadores-18 (com aumento)

Norte - R$ 40 / R$ 54
Sul - R$ 54 / R$ 72
Leste Superior Lateral - R$ 84 / R$ 104
Leste Superior Central - R$ 98 / R$ 118
Leste Inferior Lateral - R$ 84 / R$ 118
Leste Inferior Central - R$ 98 / R$ 132
Oeste Superior - R$ 68 / R$ 138
Oeste Córner - R$ 128 / R$ 168
Oeste Inferior - R$ 178 / R$ 228

*Valores cheios, sem o desconto no Fiel Torcedor

Veja mais em: Arena Corinthians, Ações de marketing, Diretoria do Corinthians, Ingressos e Torcida do Corinthians.

Veja Mais:

  • Resta apenas o acerto dos jogadores com seus novos clubes para selar o negócio

    Corinthians e Atlético-MG se acertam por troca de atacantes; jogadores aceitam conversar

    ver detalhes
  • Uendel pode acertar retorno para o Corinthians em breve

    Empresário confirma que Corinthians deve acertar retorno de Uendel em janeiro

    ver detalhes
  • Ramiro assinou com o Corinthians nesta quinta-feira e é o quinto reforço para 2019

    Novo reforço do Corinthians, Ramiro se aproxima de Jadson e Luan em estatísticas do Brasileirão

    ver detalhes
  • Corinthians jogou boa parte da temporada sem estampa no espaço principal do uniforme

    Otimismo do Corinthians com patrocínio contrasta com fracasso inédito desde era Kalunga

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes