Entenda o que fez Romero não renovar com o Corinthians; contrato está próximo do fim

Entenda o que fez Romero não renovar com o Corinthians; contrato está próximo do fim

52 mil visualizações 393 comentários Comunicar erro

Romero não renovou e ficou sem jogar desde janeiro; contrato termina no dia 14 de julho

Romero não renovou e ficou sem jogar desde janeiro; contrato termina no dia 14 de julho

Sarah Tonon/Meu Timão

Uma diferença mensal na cotação do dólar, anotadas em um caderninho durante cinco anos por Romero, foi o obstáculo para a renovação de contrato do paraguaio com o Corinthians.

A situação é a seguinte: o paraguaio chegou ao Corinthians em maio de 2014. Seu contrato previa salário em dólar por cinco anos. A cotação a ser usada pelo Corinthians para a conversão em real tinha um mínimo garantido e um máximo que não poderia ser ultrapassado. Até aí tudo bem...

Leia também:
Rescisão de Sergio Díaz é formalizada, e atacante deixa Corinthians
Gil aparece no BID e já está liberado para reestrear pelo Corinthians
Anúncio inusitado confirma empréstimo de Léo Príncipe do Corinthians ao Paraná

O problema é que o jogador, mês a mês, fez um controle dessa diferença do que foi pago pelo Corinthians e o quanto o dólar daquele respectivo mês renderia. Controle esse a caneta mesmo, num papel que foi apresentado aos dirigentes recentemente.

Para entender melhor a situação, veja o exemplo do Meu Timão: vamos dizer que Romero tinha a receber US$ 70 mil num determinado mês. Pelo contrato, com uma cotação máxima fixada em 2.6, esse salário em dólar representaria 182 mil reais.

Naquele mesmo mês, a cotação do dólar comercial estava em 3.1, o que representaria 217 mil reais na conversão. Ou seja, na visão de Romero, a diferença naquele respectivo mês foi de R$ 35 mil. E assim foi o controle feito pelo paraguaio, mês após mês.

Após cinco anos de acordo, tal diferença dá um total acima dos R$ 2 milhões. Um dinheiro que Romero quis receber à vista no momento da renovação, mas que não houve acordo com os dirigentes, que aceitariam pagar apenas parcelado ao longo de todo o novo contrato (três anos).

Em tempo: mesmo se Romero não renovar (o que deve acontecer), o Corinthians terá de pagar US$ 3 milhões (cerca de R$ 12 milhões) a um grupo de empresários que emprestou o dinheiro naquela ocasião para tirá-lo do Cerro Porteño em maio de 2014.

Veja mais em: Romero, Ex-jogadores do Corinthians e Diretoria do Corinthians.

Veja Mais:

  • Urso também destacou o nível de equilíbrio do Campeonato Brasileiro

    Júnior Urso projeta duelo com Flamengo após eliminação: 'Tomara que sintam o impacto'

    ver detalhes
  • Carille teve todo plantel à disposição na atividade desta quinta-feira

    Com todo elenco à disposição, Carille comanda treino tático e técnico na tarde desta quinta-feira

    ver detalhes
  • Carlinhos durante treino no Lab R9, no CT Joaquim Grava, na temporada 2017

    Corinthians encaminha empréstimo de atacante pela terceira vez consecutiva

    ver detalhes
  • Jorge Kalil (diretor-adjunto de futebol, à esquerda) não está mais no dia a dia do CT Joaquim Grava; Duílio (à direita) seguirá ao lado de Vilson Menezes e Emerson Sheik

    Diretor-adjunto de futebol pede afastamento do Corinthians para resolver questões profissionais

    ver detalhes

Comente a notícia: