Diretor nega 'Corinthians quebrado' e esclarece busca por Luan e Michael

20 mil visualizações 192 comentários

Por Meu Timão

Matias Romano Ávila é diretor financeiro do Corinthians

Matias Romano Ávila é diretor financeiro do Corinthians

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

A diretoria do Corinthians encara com naturalidade o fato de, mesmo apresentando resultados financeiros negativos ao longo da atual gestão, sinalizar com altos investimentos em contratações de jogadores para a temporada de 2020.

Em entrevista concedida ao portal Globoesporte.com e publicada nesta quinta-feira, o diretor de finanças do clube, Matias Romano Ávila, negou que o Corinthians esteja "quebrado" e disse ser possível pagar por reforços de alto nível justificando se tratar de uma equipe grande.

"Nós não estamos quebrados (...) Temos capacidade para fazer aquisições. O Corinthians é muito grande, tem como pagar", argumentou o dirigente.

Especificamente duas negociações vêm chamando atenção pelo alto potencial de investimento do Corinthians: o meia-atacante Luan, do Grêmio, e o atacante Michael, do Goiás. Para este último, foi formalizada oferta de 5 milhões de euros (quase R$ 23 milhões). Para o primeiro, o Timão tenta facilitar as tratativas utilizando atletas como moeda de troca.

Leia também:
Caso Luan: BMG pode ajudar Atlético-MG a 'dar chapéu' no Corinthians
Corinthians ganha 'ajuda' de Luan e mantém confiança em negociação
Presidente do Goiás diz que vai recusar proposta do Corinthians por Michael

"Sim, temos caixa para as contratações. Esse valor (apontado na previsão de contas de 2019) de déficit é só um cenário que está no orçamento, ele ainda não é real. Pode ser mais, pode ser menos. Ainda não fechamos o ano. Essa é a previsão sem nenhuma venda, esse é o cenário ruim. Seria muito fácil colocar no orçamento a venda de um jogador por R$ 100 milhões. Mas fazemos uma previsão conservadora", analisou o dirigente.

A projeção de déficit do Corinthians em 2019 está na casa dos R$ 144 milhões, conforme exposto na última quarta-feira pela diretoria aos conselheiros em reunião realizada no Parque São Jorge. Havia previsão orçamentária no início do ano de superávit de R$ 650 mil.

A brutal diferença é decorrente principalmente da receita abaixo do esperado com venda de jogadores e diretos de transmissão de televisão. A aprovação (ou reprovação) das contas de 2019 está prevista para abril do ano que vem.

"E continuamos com essa necessidade (de vender atletas em 2019). Tomara que aconteça. Não vendemos ninguém, o que recebemos até aqui (R$ 21 milhões, segundo o balancete de junho) foi dinheiro de formador da Fifa (lei da solidariedade). Mas ainda podemos vender", pontuou, com certo otimismo, o diretor financeiro.

Cabe lembrar que na reunião da última quarta estava agendada votação da previsão orçamentária de 2020, que aponta provável déficit de R$ 21 milhões. Tal documento, que seria aprovado nessa mais recente reunião do Conselho Deliberativo, será novamente colocado em pauta em novo encontro no início da próxima temporada.

Veja mais em: Diretoria do Corinthians, Mercado da bola, Contratações do Corinthians e Luan.

Veja Mais:

  • Danilo retorna ao Corinthians para trabalhar nas categorias de base

    Corinthians anuncia ex-meia Danilo como novo técnico do Sub-23

    ver detalhes
  • Lateral-esquerdo Alê Mantelli, de 18 anos, renovou contrato com o Corinthians até o fim de julho

    Corinthians renova contrato com jogador do Sub-23 que não atuou na última temporada

    ver detalhes
  • O adeus a Zague, querido amigo e atleta corinthianista

    [Walter Falceta] O adeus a Zague, querido amigo e atleta corinthianista

    ver detalhes
  • Ederson não atua desde o dia 25 de novembro e ficou fora da lista dos relacionados nos últimos seis jogos

    Corinthians aguarda ofertas por Éderson visando reformulação para 2021; dupla também pode sair

    ver detalhes
  • Jô no duelo contra o Palmeiras, pelo Campeonato Brasileiro

    Corinthians vê chance de ir à Libertadores cair em 15% após derrota em Dérbi; veja probabilidades

    ver detalhes
  • Rua em frente ao Parque São Jorge foi cedida ao clube pela Prefeitura de São Paulo

    Corinthians ganha cessão de rua por 40 anos, mas não escapa de indenização de R$ 22 milhões

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: