Como o número de participações em gol de Jô no Corinthians mais do que dobrou desde 2017

2.5 mil visualizações 23 comentários

Jô comemorando seu gol contra o Atlético Mineiro, pelo Brasileirão

Jô comemorando seu gol contra o Atlético Mineiro, pelo Brasileirão

Rodrigo Coca / Agência Corinthians

Jô teve mais um ótimo início de passagem no Corinthians em 2020 e ostenta bons números pelo clube, dando sequência ao 2017 surreal vivido no clube. A média geral, porém, não é nem de longe das melhores para quem briga entre os principais centroavantes da história do Timão. Uma mudança de função, porém, pode explicar essa diferença.

Um exemplo da média pouco efetiva de Jô é que ele alcançou o argentino Carlos Tévez no número de gols pelo clube (46), mas fez mais de 100 jogos a mais do que Carlitos (184 a 78). É por isso que se faz necessário um retorno ao surgimento de um então jovem de 16 anos com a camisa corinthiana.

Em 2003, Jô subiu ao profissional como uma espécie de segundo atacante, podendo cair pelos lados e fazer até a função de armador. Seu futebol era comparado ao de Rivaldo e ele recebeu sondagens do Manchester United antes mesmo de chegar ao time de cima. Na primeira passagem pelo clube, Jô quase sempre atuou com um centroavante.

Os melhores momentos dele, aliás, foram no Brasileiro de 2005, atuando aberto pelo lado direito e deixando a função de goleador justamente para Tevez. Isso somado ao fato de ser apenas um atleta em formação, longe do nível físico atingido posteriormente, deu a Jô 18 gols e 11 assistências em 115 jogos, uma média de 0,25 participações em gol por jogo.

Retornando em 2017, dessa vez já como um centroavante, Jô "explodiu" o número de participações em gol desde então. Presente em 69 partidas desde então, marcou 28 gols e deu sete assistências, uma média de 0,51 participação em gol por partida disputada, mais do que o dobro da anterior.

Muito mais goleador, ele ainda conseguiu equilibrar as assistências em relação àquele segundo atacante "bem mais magrinho" de 2005, como ele próprio costuma dizer. O pivô para o chute de Araos, na quarta-feira, é um exemplo do seu repertório.

Jô na primeira passagem pelo Corinthians

115 jogos
18 gols
11 assistências*

Jô na segunda e terceira passagem pelo Corinthians

69 jogos
28 gols
7 assistências*

*As assistências foram contabilizadas no megalevantamento realizado pelo Meu Timão

Vídeo: como Araos (e Luan) jogarão daqui pra frente com Jô?

Veja mais em: e Campeonato Brasileiro.

Veja Mais:

  • Vagner Mancini mira estreia do Corinthians na Copa do Brasil

    Mancini 'alerta' elenco do Corinthians sobre Copa do Brasil e relembra sucesso pessoal no torneio

    ver detalhes
  • Lucas Piton volta a trabalhar sem restrições no CT Joaquim Grava

    Com Lucas Piton, Corinthians faz treino tático de olho na Copa do Brasil; veja provável escalação

    ver detalhes
  • Mancini conquistou duas vitórias importantes em três jogos pelo Corinthians

    Corinthians vê risco de queda no Brasileiro cair em 17% após chegada de Mancini; veja probabilidades

    ver detalhes
  • Guilherme chegou ao América-MG em agosto e, até agora, disputou sete jogos; foram quatro anos de vínculo com o Corinthians

    Corinthians reencontra meia do América-MG que custou R$ 30 milhões em quatro anos de contrato

    ver detalhes
  • Mandatário fez promessa de bomba e a Fiel não esqueceu

    Torcida do Corinthians cobra bombas prometidas por Andrés para o mês de outubro; veja tuítes

    ver detalhes
  • Junior Sornoza deve retornar ao Corinthians no fim deste ano

    Sornoza tem casa assaltada no Equador; meia deve retornar ao Corinthians em janeiro

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: