A brecha para corrigir um erro e a calma necessária para não cometer outro

Andrew Sousa

23 anos, acadêmico de Jornalismo na Univali e fiel desde o primeiro de seus dias.

ver detalhes

A brecha para corrigir um erro e a calma necessária para não cometer outro

Coluna do Andrew Sousa

Opinião de Andrew Sousa

88 mil visualizações 101 comentários Comunicar erro

A brecha para corrigir um erro e a calma necessária para não cometer outro

Igor Marques foi um dos melhores jogadores do Corinthians Sub-20 em 2019

Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

A temporada nem começou de forma oficial e o Corinthians já sofre com o elenco curto. Reserva imediato de Fagner, Michel Macedo trata lesão e será desfalque para Tiago Nunes por cerca de mês. Com isso, a posição não tem nenhum suplente para os primeiros jogos do ano - que incluem Paulistão e Pré-Libertadores.

O que pode parecer um problema à primeira vista, no entanto, pode acabar sendo uma solução. A falta de uma opção no banco para Fagner abre a brecha para a direção alvinegra consertar um erro.

Entre os principais nomes do Corinthians Sub-20 em 2019, o jovem Igor Marques, de 21 anos, vinha sendo pedido entre os profissionais pela Fiel. De forma questionável, porém, o clube preferiu emprestá-lo para o Coimbra, de Minas Gerais, que tem ligação direta com o Banco BMG.

Entusiasta da promoção do atleta ao grupo principal do Timão, passei a acompanhar o clube mineiro nas redes sociais para ver o desempenho do garoto. Logo na estreia do Campeonato Mineiro, porém decepção: ele não ficou nem no banco de reservas. E isso costuma ser comum nos repasses feitos pelo Corinthians.

Privilegiado fisicamente, Igor é um lateral de características ofensivas. Veloz, chega ao fundo com frequência, tem boa finalização e costuma achar bem seus companheiros na área. Por que não contar com ele?

Com 18 ou 19 anos, é normal que jogadores sejam emprestados para ganhar corpo, rodagem e experiência. Igor, porém, já tem 21, se sobressaia contra os adversários do Sub-20 e foi bem entre os profissionais do Nova Iguaçu, seu ex-clube. Por que não desenvolvê-lo dentro do próprio clube?

Integrado por Coelho na reta final do ano passado, inclusive, ele se destacou em um dos jogos-treino que o clube fez no CT Joaquim Grava. O que as boas aparições durante as atividades lhe renderam? Um empréstimo.

Não sou do time que acha Michel Macedo um péssimo reserva para Fagner, mas não é de hoje que ele sofre com problemas físicos. Ter uma terceira opção é primordial, ainda mais quando há talento disponível.

Espero, então, que a diretoria aproveite essa brecha para chamar Igor Marques de volta. E é aqui que entra a tal calma descrita no título. Inflamados pela boa Copinha, muitos torcedores vão pedir Daniel Marcos no profissional.

Com enorme potencial, o atleta é uma ótima alternativa, mas acho que precisa de mais tempo no Sub-20. Apesar do destaque na Copinha de 2020, ele oscilou demais na última temporada, como é normal para a sua idade - tem apenas 18 anos.

Como tem sido dito por Tiago Nunes, o clube precisa estabelecer uma linha de sucessão, com curto, médio e longo prazo. Daniel é sem dúvida parte importante disso, mas não pode "furar a fila". Igor é mais pronto.

Em 2015, a saída de Fábio Santos obrigou o Corinthians a chamar Guilherme Arana de volta - estava emprestado ao Athletico Paranaense. Agora, a direção tem nova chance de acertar com um garoto de potencial e não se precipitar com outro, que ainda precisa de rodagem na base.

Veja mais em: Base do Corinthians, Corinthians Sub-20 e Michel Macedo.

Coluna do Andrew Sousa

Por Andrew Sousa

23 anos, formado em Jornalismo na Univali e fiel desde o primeiro de seus dias.

O que você achou do post do Andrew Sousa?