Quando o futebol fala mais que a boca

Danilo Augusto

Corinthiano e programador dedicado que tem um orgulho imenso de ter criado essa comunidade chamada Meu Timão.

ver detalhes

Quando o futebol fala mais que a boca

Coluna do Danilo Augusto

Opinião de Danilo Augusto

11 mil visualizações 120 comentários Comunicar erro

Quando o futebol fala mais que a boca

Romero tem 13 gols na temporada 2016

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Se você é daqueles que se emociona facilmente quando se trata de Corinthians, você é igual a mim. E hoje, na vitória por 4 a 0 contra o Flamengo, o que mais me comoveu foi ver a comemoração de Ángel Romero após marcar o primeiro gol da partida.

O atacante correu, gritou, pulou, foi perto da torcida, vibrou, abraçou os companheiros, ficou mais uns segundos, gritou novamente e voltou para o meio campo mostrando o símbolo da camisa corinthiana. Fez de tudo, sabia que o gol era importante, sabia que reforçava a titularidade que ele recentemente conquistou.

Resumindo, Romero comemorou como todo jogador corinthiano deveria fazer após um gol decisivo. Pode ter sido por ele, pelo time, pela torcida, tanto faz. O que importa foi a emoção que ele passou a todos nós. No final do jogo o atacante fez mais um. A partida já estava resolvida, dessa vez ele foi mais comedido, mas tudo bem.

Romero pode não ser tão renomado quanto outros atacantes que a própria torcida exigia que a diretoria contratasse, mas a média dele em 2016 é impecável. O paraguaio tem 13 gols em 33 jogos. Jadson e Love, artilheiros de 2015, fizeram 16 gols na temporada passada. Romero, se continuar como titular, deverá ultrapassá-los facilmente.

Parabéns, Ángel. Pelo menos hoje, ninguém pode te criticar.

Coluna do Danilo Augusto

Por Danilo Augusto

Corinthiano e programador dedicado que tem um orgulho imenso de ter criado essa comunidade chamada Meu Timão.

O que você achou do post do Danilo Augusto?