Presidente ou um cabo eleitoral?

Jorge Freitas

Colunista esportivo do portal 'No Ângulo', este internacionalista é mais um louco do bando e busca analisar o Timão com comprometimento com a realidade e as necessidades do maior clube do planeta.

ver detalhes

Presidente ou um cabo eleitoral?

Coluna do Jorge Freitas

Opinião de Jorge Freitas

2.5 mil visualizações 56 comentários Comunicar erro

Presidente ou um cabo eleitoral?

Andrés Sanchez se cala em meio à crise do Corinthians

Foto: Meu Timão

O Corinthians vive, possivelmente, sua pior crise da década. Depois de mais de 30 jogos sem apresentar um bom futebol, o clube virou um adversário fácil de ser superado, tanto pela falta de vontade de seus jogadores quanto pela ausência de um padrão tático que indique uma forma concisa de encarar o jogo. Para piorar, pela primeira vez em sua história, precisa jogar em casa sem a presença da Fiel Torcida, que como sabemos, faz diferença como nenhuma outra.

Tenho ficado preocupado com as possibilidades que esse time encara para esta temporada. Com o quarto pior aproveitamento e umas das maiores folhas salarias do Brasileirão, esse Corinthians chega a ser pior que o time que quase caiu em 2018, pois nem mesmo seus principais jogadores passam, atualmente, por um bom momento.

Mas se estamos preocupados com o momento da equipe, parece que na cúpula corinthiana o futebol é completamente secundário. A cada dia que vemos notícias do clube, percebe-se que Sanchez esta mais preocupado em eleger seu sucessor para se manter no poder que ajeitar a casa em seus últimos meses de clube.

Quando se espera uma postura altiva do presidente, com o objetivo de proteger o grupo e dar tranquilidade para a retomada do trabalho, são vistas apenas declarações vagas , que nada acrescentam ou, pior, tumultuam ainda mais o ambiente, como em sua última entrevista que chamou a atenção, quando alegou que só demitiria Tiago Nunes se ele perdesse o apoio dos jogadores, o que significou um prato cheio àqueles que já estavam contra o técnico.

Aliás, até sua fase blogueirinha já acabou. No Twitter, falou mais que papagaio enquanto os naming rights eram especulados. Depois, apenas um agradecimento a Duílio, numa clara demonstração de como, acima de sua função de presidente, está a de cabo eleitoral. A saída de Duílio do cargo de diretor de futebol tem, acima de qualquer coisa, o objetivo de retirar o futuro candidato do alvo da torcida e dos conselheiros pelos péssimos resultados da equipe que ele ajudou a montar.

A postura de Sanchez é lamentável. Lembra, por pior que seja, os tempos de Eurico Miranda no Vasco.

Será que mudará caso seu grupo seja novamente eleito?

Veja mais em: Andrés Sanchez, Eleições no Corinthians e Duílio Monteiro Alves.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Jorge Freitas

Por Jorge Freitas

Colunista esportivo do portal 'No Ângulo', este internacionalista é mais um louco do bando e busca analisar o Timão com comprometimento com a realidade e as necessidades do maior clube do planeta.

O que você achou do post do Jorge Freitas?