Vamos falar de Sergio Díaz

Julia Raya

Estagiária do Meu Timão e estudante de Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo-SP. Tem 17 anos e é corinthiana há 18. Sempre viveu com o Corinthians e agora trabalha com ele também.

ver detalhes

Vamos falar de Sergio Díaz

Coluna da Julia Raya

Opinião de Julia Raya

16 mil visualizações 140 comentários Comunicar erro

Vamos falar de Sergio Díaz

Díaz durante uma de suas raras atuações com a camisa do Corinthians

Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Precisamos falar de Sergio Díaz.

O atacante começou sua carreira logo cedo, no Cerro Porteño, onde se destacou. Ainda atuando no Sub-15 da equipe paraguaia, Díaz fez sua estreia pelo profissional com apenas 15 anos e em sua segunda partida já marcou um gol. Naquela época, ele chegou a ser comparado com Kun Aguero. Com boas atuações, ajudou a equipe a ser campeã do Torneio Apertura de 2015, o que gerou convocações para equipes de base da seleção paraguaia. Com 18 anos já tinha assinado seu contrato profissional com o clube.

Em 2016, Díaz disputou sua primeira partida na Libertadores, justamente contra o Corinthians. Foi aí que surgiu o interesse do clube. O Cerro Porteño superou o Timão em ótima partida do atacante – ele marcou um gol, deu uma assistência e fez vários dribles. Naquele momento, o Corinthians já queria Sergio Díaz e chegou a tentar sua contratação, mas levou um “chapéu” do Real Madrid, que também estava de olho no jogador.

Na Espanha, Díaz não conseguiu se firmar no elenco principal e atuou pelo Real Madrid B. Mesmo assim seguiu com boas atuações, boas jogadas e gols bonitos, mas foi emprestado ao Lugo da Espanha. Sem sucesso, retornou ao Real Madrid, mas estava fora dos planos até na equipe B do Real. O Corinthians viu a brecha e resolveu tentar empréstimo do jogador por um ano. Deu certo sua vinda, só faltou ele dar certo no clube também.

Mas o que aconteceu com a promessa que foi Sergio Díaz?

Díaz foi anunciado pelo Corinthians em 30 de julho de 2018, mas chegou tratando de uma lesão nos ligamentos cruzados do joelho direito, o que fez com que o técnico Osmar Loss não pudesse contar com ele. Recuperado da lesão, o paraguaio seguiu fora dos campos, por opção do técnico. Suas duas únicas oportunidades no ano de sua contratação foram sob o comando de Jair Ventura, nos dias 29 de setembro e quase um mês depois, no dia 27 de outubro, jogos em que ele não teve destaque.

Com a volta de Carille, Sergio Díaz teve esperança de voltar a campo com o manto corinthiano por mais vezes, até mesmo por uma fala do técnico. De início, Carille optou por não inscrever Díaz no Campeonato Paulista, mas se disse arrependido dessa decisão, então inscreveu o atacante no dia 20 de fevereiro. Diferente do que se esperava, Díaz não atuou e em pouco mais de um mês foi retirado da lista para dar lugar a Régis. Ao todo, foram 53 minutos em campo nesse ano de 2019, em uma partida pela Copa do Brasil e outra pela Sul-Americana.

Fato é: Sergio Díaz era visto como uma grande promessa do futebol, mas até agora não apresentou o futebol que fez Corinthians e Real Madrid “brigarem” pela sua contratação. Mas ninguém desaprende a jogar, né. Então por que Díaz não consegue fazer boas atuações? Será que é porque ele tem pouco tempo de jogo? Está sem ritmo? Ou o técnico não está sabendo usar o jogador? Será que ele não se encaixou no elenco? Não sabemos.

A questão é que Sergio Díaz não agrada, e deve ter seu vínculo com o Corinthians encerrado antes do previsto – o Timão busca outro clube para o paraguaio, que veio na intenção de ficar até dezembro, mas deve sair até a pausa para a Copa América.

Será que Sergio Díaz não é mais uma peça que poderia ter sido melhor utilizada? Com a saída próxima de acontecer, resta a nós, torcedores, acompanhar o trabalho do atleta em seu próximo clube para avaliar se Díaz é um bom jogador que não deu certo no Corinthians ou se foi precipitadamente avaliado como uma promessa.

Veja mais em: Sergio Díaz.

Coluna da Julia Raya

Por Julia Raya

Estagiária do Meu Timão e estudante de Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo-SP. Tem 17 anos e é corinthiana há 18. Sempre viveu com o Corinthians e agora trabalha com ele também.

O que você achou do post da Julia Raya?