Quando uma torcida rival invade um perfil corinthiano (e isso é bom)

Lucas Faraldo

Escrevendo sobre o Corinthians desde 2014

ver detalhes

Quando uma torcida rival invade um perfil corinthiano (e isso é bom)

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Opinião de Lucas Faraldo

11 mil visualizações 67 comentários Comunicar erro

Quando uma torcida rival invade um perfil corinthiano (e isso é bom)

Torcida do Bahia esbanjou simpatia na Fonte Nova (e na internet) durante jogo contra Corinthians

Foto: Reprodução/Twitter

Ontem me peguei conversando com a Mariane, uma amigona corinthiana. O assunto tinha relação com o jogo entre Corinthians e Bahia, mas não era exatamente sobre o jogo. Ela me contava sobre uma "invasão" sofrida nas últimas 24 horas em seu perfil na rede social Twitter.

Eram torcedores do Bahia que haviam invadido duas postagens dela sobre a própria torcida de Salvador. Num primeiro momento me assustei: "O que você escreveu?!", perguntei, já supondo que a tal invasão virtual era mais uma das brigas entre torcidas do novo milênio.

Mas não. Ali me deparei com um caso de "invasão do bem", se assim posso definir. A Mari havia feito comentários elogiando o gingado da torcida do Bahia – que, mais do que torcer, dança, encanta e faz muita festa nas arquibancadas. E bastou isso para diversos torcedores brotarem em seu perfil interagindo, até para convidá-la a assistir a um jogo na Fonte Nova e conhecer pessoalmente a tal Massa Tricolor. Houve até quem percebesse que ela é ilustradora e pedisse um desenho em homenagem ao clube de Salvador.

"Fiz um comentário sobre a simpatia da torcida do Bahia no twitter e o pessoal do Bahia super interagindo. 100% conquistada. BBMP", escreveu minha amiga, se apropriando carinhosamente da tradicional sigla Bora Bahia Minha Porra.

Para Mariane, para mim e espero que agora para vocês que estão lendo essa coluna, o Campeonato Brasileiro começou charmoso. Charmoso porque um bobo episódio me fez ver com bons olhos os encontros de diferentes torcidas e culturas de arquibancadas que o Brasileirão pode proporcionar (e olha que estamos falando da elitizada Série A, em!). Mais do que paz entre torcidas, é possível sonhar com troca de experiências entre torcidas.

É óbvio que nem sempre essa troca de experiências vai ser de adoração. Encontros de clubes (e próprias torcidas) com rivalidades afloradas dificilmente vão render carícias. Mas mesmo as piadas e os xingamentos bem humorados (e não discriminatórios ou ofensivos) fazem parte do nosso futebol. E como isso faz falta em clássicos paulistas!

(Cabe lembrar que desde 2016, quando foi determinada a política de torcida única nos estádios, as brigas e até mortes fora deles seguiram rolando antes e depois dos clássicos.)

Chega de briga entre torcidas. Chega de proibições contra torcidas. É hora de as torcidas entenderem que elas são parte fundamental da festa que deveria ser nosso futebol!

Veja mais em: Torcida do Corinthians e Campeonato Brasileiro.

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Por Lucas Faraldo Knopf

Jornalista pela ECA-USP e ex-Esporte Interativo, Jovem Pan e Lance!. Hoje trabalha no Meu Timão. Autor do livro 'Impedimento - Machismo, racismo, homofobia e elitização como opressões no futebol'.

O que você achou do post do Lucas Faraldo?