Paraisópolis e Corinthians: onde está a favela?

Lucas Faraldo

Escrevendo sobre o Corinthians desde 2014

ver detalhes

Paraisópolis e Corinthians: onde está a favela?

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Opinião de Lucas Faraldo

2.3 mil visualizações 79 comentários Comunicar erro

Paraisópolis e Corinthians: onde está a favela?

Mosaico da Arena Corinthians, em 2015, em alusão à cena icônica de Tite no Mundial de 2012

Foto: Agência Corinthians

Sou defensor de clubes de futebol, pelo alcance popular que têm, entenderem seu papel social seja como prestador de serviços, fomentador de campanhas ou porta-voz do povo para cobranças principalmente do ponto de vista social. O Corinthians costuma fazer isso bem.

Não é um dever institucional muito menos legal. Mas é moral. A iniciativa de transformar a Arena Corinthians no primeiro estádio de futebol do Brasil inclusivo a autistas é exemplo de como essa mentalidade é benéfica para todos – os óbvios beneficiados e o próprio clube.

E se semana passada aqui estava elogiando a atitude do Corinthians diante da urgência pela inclusão de pessoas do Transtorno do Espectro Autista, agora me surpreendo negativamente com o silêncio do clube em meio à comoção popular pela tragédia de Paraisópolis.

Paraisópolis, na Zona Sul, é a maior favela de São Paulo. São cerca de 50 mil habitantes (uma Arena Corinthians mais que lotada, para fins de ilustração por aqui). Nove jovens morreram por lá pisoteados no último fim de semana após operação policial num baile funk.

Nove vidas que poderiam, horas adiante, estar sintonizadas em frente à televisão ou ao rádio acompanhando o jogo entre Corinthians e Atlético-MG do último domingo, por exemplo.

A população clama por justiça. As autoridades dizem investigar o que aconteceu – mas já defendem a ação da PM, como afirmado pelo governador paulista, João Dória, antes mesmo de qualquer conclusão do inquérito aberto pela corregedoria da polícia. Nas redes sociais, circulam vídeos da abordagem policial gravados por moradores de Paraisópolis. O apresentador César Tralli e outros jornalistas da Globo assinaram reportagem revelando que um chamado de socorro do Samu às vítimas do pisoteamento foi cancelado por um policial.

Como já dito acima: o Corinthians não tem obrigação alguma ou relação direta qualquer com a tragédia de Paraisópolis. Assim como não tinha, mas não deixou de se posicionar, nos recentes casos do incêndio do Ninho do Urubu, do rompimento de barragem em Brumadinho, da morte de Boechat, do massacre de Suzano, das queimadas amazônicas, das vítimas do nazismo e de outros tantos episódios fatais não só no Brasil como em todo o mundo.

E se "a favela está aqui", como mostrou Tite ao mundo há sete anos, por que não se posicionar publicamente diante da tragédia de Paraisópolis? Seja mensagem em tom crítico cobrando explicações e investigações sérias das autoridades, seja em apoio às famílias e aos amigos das vítimas fatais. Show de bola seria juntar tudo num posicionamento só, no que seria um golaço. Importante, porém, como num jogo de futebol, seria ao menos não passar em branco.

É lindo (e relativamente fácil) o Corinthians se entender como time do povo e homenagear a favela quando as milhares de vielas que separam barracões por todos os cantos de São Paulo estão em festa graças a um gol, a uma vitória ou a um título do próprio Corinthians.

Mas mais bonito (e necessário) é se fazer presente não quando é o clube que precisa do apoio do povo da favela, mas sim quado o povo da favela é quem precisa do apoio do clube.

É festa, é festa na favela
É festa, é festa na favela
É festa na favela, alegria do povão
Chegou o grande dia, vai para cima Coringão

Está chegando a hora dessa zica acabar
E ganha esse jogo pra fiel comemorar
É festa, é festa na favela
É festa, é festa na favela

Veja mais em: Torcida do Corinthians e Ações sociais do Corinthians.

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Por Lucas Faraldo Knopf

Jornalista pela ECA-USP e ex-Esporte Interativo, Jovem Pan e Lance!. Hoje trabalha no Meu Timão. Autor do livro 'Impedimento - Machismo, racismo, homofobia e elitização como opressões no futebol'.

O que você achou do post do Lucas Faraldo?

  • Comentários mais curtidos

    Foto do perfil de Christian

    Ranking: 4684º

    Christian 259 comentários

    por @chris1544

    O que tem haver Corinthians com Paraisópolis, foi uma infatalidade, causada por erros humanos, agora Corinthians tem nada haver, como sempre você me surpreendeu dessa vez, em bostejar mais ainda, parabéns..

  • Foto do perfil de DANIEL

    Daniel 8 comentários

    por @dantimao2017

    Você por acaso já pensou em responsabilizar os organizadores do baile? Neste tipo de local só a drogas a rodo, bebidas e irresponsáveis que atormentam a toda vizinhança com suas músicas vulgares! S´quem vive em uma comunidade sabe o inferno que se tornou estes bailes funk!

  • Últimos comentários

    Foto do perfil de Antonio

    Ranking: 158º

    Antonio 4312 comentários

    123º. por @antonio.godoy.junior

    Caro Lucas eu discordo de sua opinião aqui não cabe nenhuma intervenção do clube ou manifestação até porque ninguém sabe ao certo quem está (certo ou errado) e na minha opinião o clube errou ao se manifestar a favor de uma das famílias trazendo-os a Arena para assistirem o jogo contra o Flu, e que foi mero cunho Politico contra o Governo atual que Futebol e Politica não deveriam se misturar, primeiro não tenho nada contra os que faleceram mas convenhamos nesses Bailes FUNK, PANCADÃO o que mais rola é trafico de drogas, prostituição ao céu aberto, meliantes que ostentam carros luxuosos que foram furtados ou seja o que fazia um garoto de 17 anos num lugar como esse até as 2/3/4 hs da manhã, agora os PM que passam a ser os vilões velho ditado (me diga com quem andas que direi quem és tu)

  • Publicidade

  • Foto do perfil de Anderson

    Ranking: 4084º

    Anderson 303 comentários

    122º. por @andersonlf86

    Porra... Mais politica? Não tem que se envolver em politica não... Faça suas ações sociais como tem feio muito bem... Apenas isso

  • Foto do perfil de Aram

    Ranking: 1111º

    Aram 1076 comentários

    121º. por @aram.rochert

    Lucas, talvez o Corinthians não tenha se posicionado publicamente sobre Paraisopolis por receio de manifestações agressivas nas redes sociais. A morte dos nove jovens não foi motivo só de comoção, mas também de comemoração por parte de gente que, sem sequer conhecer os fatos, elogiou abertamente a morte dos garotos. Um espetáculo de boçalidade e muito comum nesses tempos de pós-verdade e terraplanistas que de orgulham de sua própria imbecilidade. Ainda não li os comentários abaixo, mas não tenho a menor duvida que também você será ofendido por suscitar esse tema aqui no Meu Timão. Mas não importa: é preciso encarar as situações e os canalhas se frente. Abraço!

  • Foto do perfil de Luiz Cláudio

    Luiz 1 comentário

    120º. por @luiz.claudio.sanchez

    Triste tentativa, num mundo onde se vive uma total inversão se valores pseudo jornalistas escrevem essas merdas. O problema, com pesar pelas vidas perdidas é muito maior. Fica a pergunta, porque da ação policial?
    Pergunte a quem mora na comunidade o que acha dos bailes..

  • Foto do perfil de Jean

    Ranking: 1426º

    Jean 872 comentários

    119º. por @jean.pierry1

    Tem sempre um oportunista que de vez fazer o trabalho do clube fica desviando foco...
    Tá que nem a imprensa noticiando que o Corinthians vai entregar eu gostaria que o Corinthians perdesse mas entregar jamais e fica toda imprensa culpando nós da mediocridade do Cruzeiro...
    Para de ligar a gente com as fatalidades isso não tem.bada a vê isso é entre policia prefeitura e eles aqui não é delegacia e nem proteção de menor infrator...

  • Foto do perfil de Serjao

    Ranking: 267º

    Serjao 3131 comentários

    118º. por @serjolius

    Burgues falando de favela...soh podia ser esse cidadao...

  • Foto do perfil de Aylton

    Aylton 26 comentários

    117º. por @aylto

    Parabéns Lucas, é isso mesmo!

    O duro é ver aqui 'opiniões' justificando o massacre. É sempre a mesma ladainha: 'lá tinha drogas', 'lá tinha sexo' etc. E tal.

    Vamos lá, digamos que sim. Isso é justificativa para um massacre?

    O que esse mesmo pessoal que vem aqui passar pano para a PM diria se esta mesma polícia baixasse numa Festa Rave da classe média alta - onde rolam muita droga, muito sexo - e baixasse o cacete e matasse 9 pessoas?

    E aí bolsominions de plantão, me respondam!

    Mais uma vez, parabéns Lucas!

  • Foto do perfil de Danilo

    Danilo 5 comentários

    116º. por @tecnico.danilo

    Pensei que havia entrado no site da Uol.

    Lucas, sabe por quê o jornalismo brasileiro não possuí muito crédito com a população?

    Pois eles tentam implantar sua ideologia até mesmo em um site relacionado a futebol, sua indignação não é pelas vitimas, muito menos pelo o que o Corinthians fez ou deixou de fazer, sua indignação está clara se acompanharmos seu trabalho, é com a politica! Governo opressor.

    Para de tentar transmitir seus pensamentos politicos para os demais, por favor!

    Sou corinthiano, gosto de ler materias sobre o Corinthians, seu pensamento, sua revolta, poste em suas redes sociais.

    Jamais queremos causar atrito entre os corinthianos de coração, por isso, deixe de lado a sua parcialidade, e viva o melhor corinthiano que possa ser.