Corinthians à deriva. De novo

Lucas Faraldo

Escrevendo sobre o Corinthians desde 2014

ver detalhes

Corinthians à deriva. De novo

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Opinião de Lucas Faraldo

48 mil visualizações 105 comentários Comunicar erro

Corinthians à deriva. De novo

Corinthians está desnorteado na busca por um substituto de Tite seis meses após saída do técnico

O Corinthians está perdido na busca por um novo técnico. E isso não é novidade no último semestre.

É sinal de que o Corinthians está à deriva marcar uma entrevista coletiva às pressas, como foi feito na última quinta-feira, e não informar nada além de "queremos um técnico que faça o Corinthians campeão".

É sinal de que o Corinthians está à deriva ir a público ao longo de toda a última sexta-feira, em diversos veículos de rádio, televisão e impresso, dizer "mais do mesmo" enquanto a diretoria deveria estar reunida na busca de um novo técnico.

É sinal de que o Corinthians está à deriva admitir publicamente não conhecer Reinaldo Rueda, técnico atual campeão da Libertadores, finalista da Copa Sul-Americana e representante da América do Sul no Mundial de Clubes da Fifa.

É sinal de que o Corinthians está à deriva não traçar (ou não ser transparente ao fingir informar isso à torcida) um perfil de treinador, cogitando assim a contratação de nomes tão distintos entre si como Dorival Júnior, Paulo Autuori, Guto Ferreira e Jair Ventura.

Por fim, é sinal de que o Corinthians está realmente à deriva o fato de que todos os sinais citados acima são erros repetidos. Foram vistos de perto por jornalistas e torcedores num passado nada distante, nos últimos seis meses, nas tentativas frustradas de substituir Tite.

A sensação, aliás, é de que Tite era o único navegante competente neste barco chamado Corinthians. Um barco, cada vez mais, à deriva.

Veja mais em: Diretoria do Corinthians.

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Por Lucas Faraldo Knopf

Jornalista pela ECA-USP e ex-Esporte Interativo, Jovem Pan e Lance!. Hoje trabalha no Meu Timão. Autor do livro 'Impedimento - Machismo, racismo, homofobia e elitização como opressões no futebol'.

O que você achou do post do Lucas Faraldo?