Depois da agitação, vem a calmaria

Rafael Bianco

Rafael Bianco é estudante de jornalismo na Cásper Líbero e apaixonado pelo Corinthians. Com paixão herdada pela família, acompanha o dia a dia do clube em busca de informações e números do Timão.

ver detalhes

Depois da agitação, vem a calmaria

Coluna do Rafael Bianco

Opinião de Rafael Bianco

3.0 mil visualizações 44 comentários Comunicar erro

Depois da agitação, vem a calmaria

Depois de jogar a vida na Copa do Brasil, o Corinthians volta a ficar feliz com apenas um empate no Brasileiro

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O Corinthians fez uma grande partida contra o Flamengo na última terça-feira. Não conseguiu a classificação, é verdade, mas a expectativa era de que o time de Fábio Carille repetisse a intensidade no jogo contra o Cruzeiro, deste sábado, o que não aconteceu.

A equipe deste sábado era relativamente diferente. Sem Cássio e Fagner, convocados para a Copa América, o treinador também não contava com Vágner Love, que foi cortado por conta de dores nas coxas. Mesmo assim, a maior mudança estava na postura.

O jogo deste sábado foi bem mais cansativo, principalmente no primeiro tempo, onde as duas equipes apenas trocavam passes nas intermediárias. Bem diferente daquela agitação toda que vimos na última terça-feira, com bolas na trave, boas defesas e sustos a todo instante.

O segundo tempo foi relativamente mais movimentado, mas foi o Cruzeiro que tomou grande parte das ações ofensivas e Walter teve que ser, mais uma vez, brilhante quando solicitado. Dessa maneira, o Corinthians repete uma instabilidade muito grande e corriqueira.

É verdade ainda que os 25 reforços para a temporada apresentam um estigma completamente novo para a equipe, como costuma dizer Fábio Carille em toda entrevista coletiva.

O problema, no entanto, é mudar a mentalidade no mata-mata, em uma partida que a vitória é a única escapatória, enquanto nos pontos corridos o empate parece de bom tamanho. E com o Palmeiras conquistando pontos atrás de pontos, pode ser que um ponto fora de casa não seja mais suficiente.

Com oito rodadas disputadas, o alvinegro já está sete pontos atrás do rival paulista. Lembrando ainda que cada equipe possui um jogo a menos, sendo que existe uma possibilidade grande da partida do Palmeiras ser revertida em uma vitória, o que aumentaria a distância para dez pontos.

E com o Palmeiras repetindo a campanha inicial do Corinthians de 2017, pode ser que fique muito complicado buscar o rival em uma segunda oportunidade. Por isso, basta de calmaria e vamos nos manter na agitação.

Veja mais em: Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil.

Coluna do Rafael Bianco

Por Rafael Bianco

Rafael Bianco é estudante de jornalismo na Cásper Líbero e apaixonado pelo Corinthians. Com paixão herdada pela família, acompanha o dia-a-dia do clube em busca de informações e números do Timão.

O que você achou do post do Rafael Bianco?