Marketing do Corinthianismo é de extremo mau gosto

Roberto Gomes Zanin

Jornalista, diretor da RZ Assessoria, Bicampeão do mundo. Não sou ligado a nenhuma corrente política do clube. Quero apenas o melhor para o Timão. Discorde à vontade, mas com o respeito aos irmãos

ver detalhes

Marketing do Corinthianismo é de extremo mau gosto

5.0 mil visualizações 165 comentários Comunicar erro

Marketing do Corinthianismo é de extremo mau gosto

Amor incondicional ao clube não é religião

Foto: Rodrigo Coca - Agência Corinthians

A campanha de marketing do Corinthians, que liga nosso amor pelo clube à Religião beira a blasfêmia.

Claro, lógico, temos uma ligação de amor o time e devoção ao nosso escudo, mas isso não tem nada a ver com o culto que é devido apenas a Deus.

Temos uma religião, sim, o corinthianismo, mas ela se situa no plano terreno, apesar de às vezes torcermos (e até rezarmos, às vezes) para que o chute adversário não entre, ou de sentirmos coisas inexplicáveis em nosso amor pelo Timão. Mas isso não tem nada a ver com religião.

Somos todos Corinthians. Mas religião cada um tem a sua (ou não).

Numa época em que falta bom senso, tudo se mistura e corremos o risco de perder a hierarquização das coisas.

Orar, rezar a Deus é bem diferente do que se dirigir ao símbolo de um clube, mesmo sendo o maior de todos.

Como profissional da área de comunicação, sei que seria perfeitamente possível fazer uma campanha com o mesmo mote, mas que não misturasse as coisas.

A campanha “Fé Alvinegra’, com o lançamento da camisa com referência à espada de São Jorge, em 2017, foi de bom gosto. Falou sobre a fé do corinthiano, mas não foi sensacionalista.

Somos fieis, sim, mas porque não mudamos de time e não o abandonamos qualquer que seja o tamanho da fila. Não somos fieis porque colocamos o Corinthians no mesmo patamar de Deus.

O que querem os “gênios” que idealizaram a campanha? Que sejamos algo como a igreja Maradoniana, onde alguns idiotas cultuam Maradona?

O vídeo é tecnicamente muito bem feito (deve ter custado bem caro) e tem algumas boas ideias, como aquela que me remete ao fato de que muitos morreram durante a fila, durante os anos de sofrimento. Mas colocar Cristo crucificado numa trave é de extremo mau gosto.

Veja mais em: Ações de marketing.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Roberto Gomes Zanin

Por Roberto Gomes Zanin

Jornalista, diretor da RZ Assessoria de imprensa, bicampeão do mundo. Não sou ligado a nenhuma corrente política do clube. Quero apenas o melhor para o Timão. Discorde à vontade, mas com o respeito.

O que você achou do post do Roberto Zanin?

  • Comentários mais curtidos

    Foto do perfil de Rodrigo

    Ranking: 2360º

    Rodrigo 615 comentários

    por @rodrigo.dos.santos.s

    Entendam futebol é futebol, esporte é esporte e religião é religião. Ridículo esse marketing, de muito mal gosto.

  • Foto do perfil de Carlos

    Ranking: 14º

    Carlos 26218 comentários

    por @carlao.67

    Zanin, como meu pai me ensinou política, religião e futebol não se discutem... Querer misturar então nunca vai dar boa coisa... Acho que o marketing poderia e deveria ser mais criativo explorando a paixão do torcedorrcedor, que é o que move nosso clube de coração.

  • Últimos comentários

    Foto do perfil de Marcos

    Ranking: 359º

    Marcos 2783 comentários

    119º. por @garanha

    Zanin, com todo respeito discordo de você. O marketing atual, devido estar baseado em plataformas digitais, que utilizam Big data, IA, algoritmos, tudo em Cloud computing, redes neurais etc, etc, mudou de enfoque terrivelmente nos últimos anos e promete muito mais...
    Assim, qualquer campanha tem que ser disruptiva, polêmica e ousada ou irá para o lixo rapidamente, sendo esquecida em pouco tempo. Neste sentido, a campanha e o filme FZ Nasca, atingiu seus objetivos: entrou na corrente sanguínea do marketing digital, provocou.
    Somente um visão muito simplista irá comparar o "corinthianismo" com as religiões tradicionais, naturais ou pentecostais, que na sua essência também foram arquitetadas e criadas por alguém em algum momento da história. O que esta campanha esta tentando passar não é a visão sacra da religião e sim o oposto: sua visão profana, nos querendo dizer o quanto nosso clube é forte e poderoso. Pena que a maioria não consiga captar, aliás a maioria não entende nem ironias.

  • Publicidade

  • Foto do perfil de Ramon

    Ranking: 19º

    Ramon 22789 comentários

    118º. por @ramon.felipe1

    Eu gostei da campanha, respeito quem não gostou. Democracia é isso.

  • Foto do perfil de Marcelo

    Marcelo 1 comentário

    117º. por @marcelo.neves11

    Campanha ridícula. Sou corinthiano a 51 anos e nunca pensei que iria deixar de ir ao estádio, comprar itens com o símbolo do Timão e ter a camiseta do time.
    Mas após essa furada de campanha inútil, essas coisas serão passado.
    Parabéns Rosenberg pela idiotice. #abaixoocorinthianismo

  • Foto do perfil de RENATO

    Ranking: 14900º

    Renato 51 comentários

    116º. por @renato.lucio

    Jesus não criou o cristianismo assim como Buda não criou o budismo e etc. Tudo isso foi criado pelo homem pra controlar o gado, logo uma alusão do Corinthianismo ao cristianismo não é uma heresia e nunca será, somente o é na cabeça de pessoas acostumadas a ouvir e repetir o que ouvem como papagaios. Nada mais é que uma campanha publicitária muito bem feita por sinal que exalta o amor de uma torcida pelo seu time que de tão grande pode ser comparada a uma religião, pois temos nossos próprios "santos", fazemos nossas "peregrinações" exaltamos e idolatramos nosso escudo, muitos já mataram por esse time e consequentemente muitos já morreram, travamos verdadeiras batalhas contra oponentes, odiamos e ofendemos nossos "inimigos", quem nunca fez uma "promessa" pelo Corinthians, assistiu uma decisão de joelhos, acendeu velas na hora do jogo, fez o sinal da cruz quando o juiz apita o início do jogo?
    Todos tratamos torcer para o Corinthians como uma religião ou até mais que isso, mas tá duro de admitir.

  • Foto do perfil de RENATO

    Ranking: 14900º

    Renato 51 comentários

    115º. por @renato.lucio

    É muito mimimi..."Ah com Deus não se brinca"..."Isso é heresia"..."Isso beira a blasfêmia"...Ah religião, política e futebol não se discute".
    Aqui tem um monte de evangélico que não liga que o PASTOR venda as vassouras de Jesus ou perfume com cheiro de Jesus e até compra achando que está"agradando" a Deus e garantindo o lugar no Céu e tem um monte de católico que nem pisa na igreja ou então que vai na missa e depois passa o dia todo no buteco e chega bêbado em casa e bate na cara da mulher.
    Tudo isso é coisa de gente sem cultura, despreparada e hipócrita que vivem como gado e seguem fielmente o que terceiros pensam como verdade, vão ler e estudar pra entender melhor sobre tudo. Deixe os dogmas e paradigmas que foram enfiados em suas cabeças pelos seus pais que infelizmente não tinham acesso ao conhecimento e apenas repetiam o que ouviram de seus antepassados. Está na hora do povo pensar e discutir sim religião, política e tudo que envolve as diretrizes de um povo...

  • Foto do perfil de Lucas

    Ranking: 1956º

    Lucas 734 comentários

    114º. por @lucas.batista14

    De raro bom senso o teu texto, parabéns

  • Foto do perfil de vagner

    Ranking: 4580º

    Vagner 295 comentários

    113º. por @vagner.ferreira.de.a

    Nós crescemos escutando que torcer para o Timão e quase uma religião...que o Timão é uma nação...cheia de falácias como tudo que envolve o âmbito esportivo, aí vem o marketing e põe à prova como outras vezes e o povo fica no mimimi? Hipocrisia demais...tem muito pseudos por aqui, até quem é "culto" é curto nas ideias.

  • Foto do perfil de luiz

    Ranking: 5394º

    Luiz 241 comentários

    112º. por @luiz.antonio42

    Péssimo gosto, falta de criatividade