Um problema óbvio - e velho - com o Fiel Torcedor

Roberto Piccelli

Roberto Piccelli é advogado atuante em direito público e escreve sobre temas jurídicos e institucionais relacionados ao Corinthians.

ver detalhes

Um problema óbvio - e velho - com o Fiel Torcedor

Coluna do Roberto Piccelli

Opinião de Roberto Piccelli

10 mil visualizações 133 comentários Comunicar erro

Um problema óbvio - e velho - com o Fiel Torcedor

O Leste Superior e o Leste Inferior: setores separados, mas cobertos pelo mesmo plano.

Foto: Meu Timão

Praticamente todos que eu conheço que aderiram ou pensaram em aderir ao Fiel Torcedor já notaram um problema que incomoda bastante: a dificuldade de comprar ingressos em assentos próximos quando se vai ao estádio em grupos. É que o programa não permite a inclusão de dependentes que não sejam: filhos menores de 25 anos, cônjuge ou companheiro (a união estável precisa estar registrada em cartório!!), pai ou mãe do titular.

Vamos supor que um casal de corinthianos sem vínculo formal (casamento ou união estável) queira frequentar a Arena. O que hoje eles podem fazer é assinar um plano cada um. Um não pode ser dependente do outro. Como os lugares são marcados em boa parte do estádio, porém, não há nenhuma garantia de que vão sentar um ao lado do outro. Eles podem até tentar escolher assentos próximos, mas, especialmente se o jogo for disputado, não será nada fácil. É possível, inclusive, que fiquem em setores diferentes do estádio.

Além desse enorme inconveniente na compra de ingressos, o valor da anuidade é mais caro para quem adere a um segundo plano do que para quem inclui um dependente.

O problema, naturalmente, não se restringe a casais sem vínculo. Irmãos, amigos, colegas de trabalho, primos, enfim, são muitos os grupos que acabam prejudicados por essa restrição sem sentido. Muitos acabam recorrendo a um jeitinho: cedem as carteirinhas dos dependentes aos companheiros de jogo para driblar essa restrição sem sentido. A tática, porém, é clandestina: se o fiscal pega, a carteirinha é retida.

O Corinthians ganha muito pouco com essa política. Na impossibilidade de casais aderirem em conjunto, é maior a chance de que um dos dois simplesmente não venha a aderir do que a chance de que cada um faça um plano. Com grupos de amigos, idem. O clube ainda deixa de ganhar. Afinal, não é difícil imaginar também que, se fosse possível aderir em grupo, um corinthiano mais entusiasmado seria capaz de atrair toda a sua turma para a Arena.

Já passou da hora, portanto, de alguém rever essa regra. Se é importante não ampliar os descontos, basta criar duas categorias de dependentes: os com desconto (os que já existem) e os sem desconto (todos os demais).

Coluna do Roberto Piccelli

Por Roberto Piccelli

Roberto Piccelli é advogado atuante em direito público e escreve sobre temas jurídicos e institucionais relacionados ao Corinthians.

O que você achou do post do Roberto Piccelli?

  • Comentários mais curtidos

    Foto do perfil de Ale

    Ranking: 2329º

    Ale 527 comentários

    por @aleiskandar

    A melhor publicação sobre o fiel torcedor esse ano!

  • Foto do perfil de João

    João 10 comentários

    por @joao.alberto.gampiet

    Já mandei e-mail três vezes sobre esse problema, não obtive qualquer resposta.
    Já liguei também para fazer sugestão. Ficaram de entrar em contato.
    Em virtude disso, eu e alguns amigos recorremos a prática de emprestar carteirinhas dos dependentes uns dos outros pra resolver o problema.
    Pago 5 dependentes pra poder ir com meus amigos. Eles para ajudarem o Corinthians também se filiaram.
    Algumas políticas do fiel torcedor não me descem e, essa é uma delas.
    Não precisa dar desconto no fiel torcedor para quem não tem grau de parentesco, que cobrem inteira a anuidade, mas que deixem ser vinculados.
    Agradeço muito ter feito essa postagem, com certeza será ouvida porque as minhas,...
    E o tour na arena? Sonho.
    ...

  • Últimos comentários

    Foto do perfil de Silvio

    Ranking: 8379º

    Silvio 104 comentários

    132º. por @silviochiozini

    Concordo 100%

  • Foto do perfil de wagner

    Ranking: 1008º

    Wagner 1097 comentários

    131º. por @wagnernpeninha

    Acho que a diretoria nem toma conhecimento desses inconvenientes. Fica na mão da empresa que administra que cobra caro e é incompetente na hora de alavancar o fiel torcedor. Quero ser fiel torcedor...mas antes quero mais transparência!

  • Foto do perfil de Sérgio

    Ranking: 65º

    Sérgio 7324 comentários

    130º. por @sergio.ohno

    Com certeza a questão familiar deve ser revista para facilitar a compra de ingressos próximos mas a questão dos grupos me parece mais corriqueira já que é mais provável de acontecer do que famílias inteiras irem a muitos jogos, principalmente nos jogos noturnos por conta do horário. Tecnicamente o melhor seria o sistema permitir a criação de grupos de associados atrelados a um associado master que ficaria responsável pela compra dos ingressos até a quantidade máxima de associados do grupo.
    isso só funcionaria para melhorar a adesão de novos associados, independentemente de em família ou grupos, se houvesse uma fiscalização mais rigorosa em cima do uso de carteirinhas que não poderiam ser repassadas para terceiros. Bastaria que fosse feita a exigência de documento para comprovar a posse da credencial em alguns jogos, com a aplicação de medidas punitivas crescentes (advertência na 1.a vez, bloqueio na 2.a e confisco na 3.a vez) para que este esquema não possa mais ser utilizado.

  • Foto do perfil de Jack

    Ranking: 119º

    Jack 5001 comentários

    129º. por @tadeu54

    Realmente o Fiel Torcedor precisa de muitas melhorias, resolver essa situação é uma delas, outra muito grave é a parcela que a operadora do sistema fatura, o Rosenberg desenvolveu de um jeito, mas depois foi alterado para pior para o clube, claro! E quanto a amigos e familiares, tem um ponto importante : É fundamental evitar dar brechas para os malditos cambistas!

  • Foto do perfil de Fabiano

    Ranking: 2026º

    Fabiano 607 comentários

    128º. por @fabianogs

    Esse e um dos principais motivos que desanimam na arena, além do comportamento da torcida. Já tive que sair do lugar que estava pois chegou um cara com um papelzinho na mão falando que estava no lugar dele. Mas o que fazer, se nesse dia levei minhas filhas de 3 e 4 anos e tive que comprar o ingresso em dias separados devido a somente o meu estar na prioridade de pontos. Frescura sem tamanho.

  • Foto do perfil de Jorgi

    Jorgi 2 comentários

    127º. por @jorgi.lima

    Falou tudo... Eu mesmo deixei de pagar o fiel torcedor por isso.

  • Foto do perfil de João

    João 10 comentários

    126º. por @joao.alberto.gampiet

    Nada impede o cambista de fazer isso com familiares e familiares de conhecidos.
    Nada impede de criar um monte de contas.
    De qualquer forma ele consegue fazer isso.
    Todavia os cambistas que existem trabalham mais com os ingressos que não foram comercializados no fiel torcedor.
    A ideia do cartão de crédito é excelente, mas dependeria da vontade dos torcedores terem ou não o produto vinculado, meu filho de 4 anos não precisa de um.
    Já a impressão digital demora muito pra ser confirmada, geraria muita fila.
    A solução é fiscalizar por amostragem.
    Coisa que eu nunca vi acontecer.

    Foto do perfil de Caio

    Caio 37 comentários

    06/07/2016 às 15h28 por @cd981

    Não é tão simples assim. Liberando os vínculos para qualquer amigo, iria ficar muito fácil para cambistas cadastrarem uma série de dependentes falsos e começar a voltar aos tempos de cambistas do Pacaembu (o que já acontece em certo nível). O ideal seria ter uma entrada com um cartão de crédito (que você não iria querer emprestar) ou impressão digital para parar com isso e depois ter uma função no site para comprar com outros sócios para uma região específica do estádio. Infelizmente a liberação completa poderia prejudicar o torcedor que quer ingresso.

  • Foto do perfil de Caio

    Caio 37 comentários

    125º. por @cd981

    Não é tão simples assim. Liberando os vínculos para qualquer amigo, iria ficar muito fácil para cambistas cadastrarem uma série de dependentes falsos e começar a voltar aos tempos de cambistas do Pacaembu (o que já acontece em certo nível). O ideal seria ter uma entrada com um cartão de crédito (que você não iria querer emprestar) ou impressão digital para parar com isso e depois ter uma função no site para comprar com outros sócios para uma região específica do estádio. Infelizmente a liberação completa poderia prejudicar o torcedor que quer ingresso.

  • Foto do perfil de João

    João 10 comentários

    124º. por @joao.alberto.gampiet

    Roberto Picelli, você poderia capitanear esse pedido, o que acha?
    Consegue agendar algo com a alguém que realmente mande?
    Obrigado amigo.

  • Foto do perfil de João

    João 10 comentários

    123º. por @joao.alberto.gampiet

    Então, mas os gênios de lá,...
    preferem que emprestemos os cartões uns dos outros

    Foto do perfil de Juliano

    Juliano 270 comentários

    05/07/2016 às 15h58 por @juliano.barreto1

    Ótimo post! A sugestão de criar um dependente sem desconto é ótima também.